Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Fotos de Orquídeas


Fotos Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Existem milhares de espécies de orquídeas espalhadas por todo o globo terrestre. A família das orquidáceas é uma das maiores do reino vegetal, sendo também uma das mais diversificadas. Além disso, o ser humano está constantemente produzindo novas orquídeas, plantas híbridas resultante do cruzamento entre as espécies encontradas na natureza. Ao longo deste artigo, vou mostrar uma compilação de fotos de orquídeas que já cultivei aqui no apartamento. Para saber mais sobre cada uma delas, basta clicar nos links para as respectivas matérias.



Começando com a primeira orquídea formalmente descrita por John Lindley, em 1821, a Cattleya labiata. Brasileiríssima, esta orquídea é considerada a rainha do nordeste. Apresenta uma multitude de colorações e um perfume único. Dentre as fotos de orquídeas já apresentadas aqui no blog, esta é uma das mais antigas.

Orquídea Cattleya labiata
Cattleya labiata

O gênero Cattleya é rico em espécies de orquídeas brasileiras e cobiçadas pelos colecionadores. Nete contexto, uma das mais valorizadas na atualidade é a Cattleya walkeriana, cujos exemplares mais raros podem atingir cifras vultosas. Também é considerada por muitos a rainha das orquídeas. A foto da orquídea abaixo foi tirada em uma exposição, há muitos anos.

Orquídea Cattleya walkeriana
Cattleya walkeriana


Outra foto de orquídea digna de nota é a da Cattleya bicolor. Seu colorido exótico, com pétalas e sépalas em um verde acobreado, contrastando com o esfuziante labelo magenta, faz jus ao nome da espécie, tornando esta orquídea única e bastante apreciada pelos colecionadores. O exemplar da foto abaixo foi cultivado aqui no apartamento, em uma varanda face oeste.

Orquídea Cattleya bicolor
Cattleya bicolor

Prosseguindo, temos a foto da orquídea Sophronitis cernua, que alguns agora consideram uma Cattleya. Esta mini orquídea produz abundantes inflorescências em diferentes tons de laranja, havendo inclusive uma variedade amarela bastante rara e cobiçada. Foi uma das orquídeas que melhor floresceu sob meu cultivo, aqui no apartamento. As fotos desta orquídea estão entre as mais curtidas em minhas redes sociais.

Orquídea Sophronitis cernua
Sophronitis cernua


Continuando com o gênero Sophronitis, apresento agora a rainha das raras orquídeas vermelhas. Por ser uma coloração difícil de ocorrer na natureza, a Sophronitis coccinea é a progenitora mais utilizada na produção de híbridos vermelhos de orquídeas. Esta foto de orquídea vermelha abaixo foi tirada aqui no apartamento, pouco antes de eu perdê-la. Trata-se de uma espécie de difícil cultivo, bastante exigente quanto aos níveis de umidade relativa do ar.

Orquídea Sophronitis coccinea
Sophronitis coccinea

Por fim, outra belíssima representante deste tipo de orquídea que já passou aqui pelo apartamento é a Sophronitis wittigiana. Sou fascinado pelo tom de rosa antigo de suas flores. Infelizmente, também é uma orquídea considerada de difícil cultivo. Ainda assim, obtive algumas belas florações aqui no apartamento, como podemos observar na foto da orquídea abaixo.

Orquídea Sophronitis wittigiana
Sophronitis wittigiana


Ainda dentro da aliança Cattleya, apresento a foto de uma ilustre representante do gênero Laelia que já floresceu aqui no apartamento. Trata-se da Laelia alaorii, também tipicamente brasileira e bastante delicada. A orquídea cuja foto apresento abaixo é uma das minhas preferidas, por ser uma variedade quase alba desta espécie. Dentre as fotos de orquídeas já apresentadas aqui no blog, esta é uma das mais apreciadas.

Orquídea Laelia alaorii
Laelia alaorii

Também vale a pena destacar este belíssimo híbrido, resultante do cruzamento entre Laelia alaorii e Laelia sincorana, uma das minhas orquídeas preferidas, que não poderia faltar nesta seleção de fotos de orquídeas que já passaram aqui pelo apartamento.

Orquídea Laelia alaorii x Laelia sincorana
Laelia alaorii x Laelia sincorana


Também brilham dentro do gênero Laelia as diferentes espécies de orquídeas rupícolas, que vivem sobre as pedras, ao contrário da maioria das suas parentes, epífitas, cujo habitat são os troncos das árvores. Na foto abaixo, destaco a orquídea Laelia lucasiana, uma bela representante das Laelias rupestres, cujo contraste nas cores do labelo, pétalas e sépalas consiste em sua marca registrada.

Orquídea Laelia lucasiana
Laelia lucasiana

E tendo mostrado fotos de orquídeas que vivem sobre as pedras, faço um link para algumas orquídeas terrestres que já passaram aqui pelo apartamento. Neste contexto, talvez a representante mais icônica seja a Arundina graminifolia, popularmente conhecida como orquídea bambu. Na foto da orquídea abaixo, podemos conferir como é impressionante a semelhança das flores desta orquídea que cresce normalmente no jardim, sob sol pleno, com as típicas espécies epífitas.

Orquídea Arundina graminifolia
Arundina graminifolia


Também não poderia deixar de fora a foto da orquídea Epidendrum fulgens, cujo colorido intenso e rusticidade tornam qualquer coleção mais interessante. Esta é uma orquídea de hábitos terrestres, também conhecida como orquídea da praia, por ocorrer em regiões litorâneas.

Orquídea Epidendrum fulgens
Epidendrum fulgens

Talvez nem todos se atentem ao fato de que a famosa orquídea sapatinho também é um tipo de orquídea terrestre. Mais especificamente, ela é considerada uma planta de hábito humícola, já que suas raízes assentam-se sobre a camada de húmus que se forma no chão das florestas. Na foto da orquídea abaixo, destaco o tipo mais comumente encontrado nas coleções, o Paphiopedilum Leeanum.

Orquídea Paphiopedilum Leeanum
Paphiopedilum Leeanum


Ainda na categoria popularmente conhecida como orquídea sapatinho, destaco o Phragmipedium Sedenii, também conhecido como sapatinho de princesa, graças à delicadeza de suas flores. As fotos desta orquídea são sinônimo de sucesso garantido entre os leitores aqui do blog.

Orquídea Phragmipedium Sedenii
Phragmipedium Sedenii

Outro interessante exemplo de orquídea terrestre é a Ludisia discolor. Ela é popularmente conhecida como orquídea joia, uma vez que sua folhagem é exuberante, considerada por muitos mais ornamental do que suas próprias flores. A foto da orquídea abaixo, ainda com os botões florais em desenvolvimento, dá uma noção do aspecto desta folhagem da Ludisia discolor.

Orquídea Ludisia discolor
Ludisia discolor

Uma orquídea comumente encontrada nas floriculturas, também terrestre, é o Cymbidium. Trata-se de uma orquídea de origem asiática, que aprecia climas mais frios e tem alguma dificuldade em florescer aqui no Brasil, principalmente em regiões litorâneas ou de climas mais quentes. Dentre as fotos de orquídeas Cymbidium que mais chamam a atenção destacam-se as das orquídeas verdes, coloração que não é muito comum de ser encontrada nesta família botânica.

Orquídea Cymbidium híbrida
Cymbidium híbrido


Também há interessantes flores na tonalidade verde entre algumas orquídeas popularmente conhecidas como Denphal. São na realidade híbridos do gênero Dendrobium, bastante comercializadas e apreciadas devido ao fato de suas flores assemelharem-se às das orquídeas Phalaenopsis. Na foto da orquídea abaixo, destaco uma Denphal esverdeada, com labelo vinho.

Orquídea Denphal híbrida
Denphal híbrida

Abrindo um parênteses, apresento uma orquídea que tem virado febre entre os colecionadores, a mini Phalaenopsis. São versões em miniatura das grandes orquídeas que encontramos nas floriculturas. Elas estão cada vez menores e mais perfeitas. Fotos de orquídeas em miniatura também estão entre as mais apreciadas pelos leitores do blog.

Mini Phalaenopsis híbrida
Mini Phalaenopsis híbrida


Por falar em miniatura, voltando ao gênero Dendrobium, destaco uma belíssima orquídea australiana, que cultivei com sucesso aqui no apartamento, o Dendrobium kingianum. Trata-se de uma planta de porte compacto, com delicadas flores em diversas colorações em tons pastel.

Orquídea Dendrobium kingianum
Dendrobium kingianum

No entanto, a representante mais popular deste gênero de orquídeas é, sem dúvida, a famosa orquídea olhos de boneca. Trata-se de um Dendrobium híbrido descendente da espécie nobile, cuja principal característica é o centro arredondado mais escuro, envolto por uma área branca, que lembra o formato dos olhos. Estas características são exemplificadas na foto da orquídea abaixo.

Orquídea Dendrobium híbrida
Dendrobium híbrido

Também bastante popular é o Dendrobium Stardust, que pode ser encontrado nas cores amarela ('Chiyomi') e laranja ('Stardust'). Abaixo, uma foto da orquídea amarela.

Orquídea Dendrobium Stardust 'Chiyomi'
Dendrobium Stardust 'Chiyomi'


Ainda nesta coloração, destaca-se o delicado Dendrobium lindleyi, com suas flores que lembram gemas de ovo.

Orquídea Dendrobium aggregatum
Dendrobium lindleyi

Fugindo do lugar comum, temos o exótico Dendrobium purpureum album, cujas inflorescências em formato de pompons brancos causam frisson entre os que acompanham as fotos de orquídeas publicadas neste blog e em suas redes sociais.

Orquídea Dendrobium purpureum album
Dendrobium purpureum album

Também pertence a este diversificado gênero a orquídea com a rara coloração azulada, Dendrobium victoria-reginae. Fotos de orquídeas azuis encontradas na internet costumam ser manipuladas. No entanto, esta é real, apesar de tender mais para o púrpura ou lilás, dependendo da temperatura da luz no ambiente.

Orquídea Dendrobium victoria-reginae
Dendrobium victoria-reginae


Uma orquídea mais comumente encontrada nas coleções, mas que custa a florescer, é o Dendrobium loddigesii. Quando bem cultivado, o que obviamente não é o meu caso, forma densas touceiras fartamente floridas. Na foto da orquídea abaixo, um modesto exemplo da aparência de uma flor individualizada.

Orquídea Dendrobium loddigesii
Dendrobium loddigesii

Passando agora ao gênero Oncidium, temos a popular orquídea chocolate, cujo nome científico é Oncidium Sharry Baby 'Sweet Fragrance'. Esta pequena orquídea é famosa por exalar um perfume adocicado que lembra o aroma do chocolate branco. Novamente, na foto da orquídea abaixo, um close up de uma flor destacada.

Orquídea Oncidium Sharry Baby 'Sweet Fragrance'
Oncidium Sharry Baby 'Sweet Fragrance'

Uma orquídea aparentada, que está na genealogia do híbrido acima, é o Oncidium ornithorhynchum, conhecido por seu perfume polêmico. Alguns amam, outros odeiam. Seu nome correto é Oncidium sotoanum, mas nunca encontramos este termo citado em lugar algum.

Orquídea Oncidium ornithorhynchum
Oncidium ornithorhynchum


A espécie acima citada também é progenitora de outro híbrido famoso, bastante perfumado, o Oncidium Twinkle. Esta orquídea pode ser encontrada em diferentes colorações. A variedade amarela, apresentada na foto abaixo, é chamada Oncidium Twinkle 'Yellow Fantasy'.

Orquídea Oncidium Twinkle 'Yellow Fantasy'
Oncidium Twinkle 'Yellow Fantasy'

Toda orquídea amarela, que produz copiosos cachos de flores em longas hastes, costuma ser chamada popularmente de orquídea chuva de ouro. É o caso da orquídea acima, mas a representante mais famosa deste tipo de floração é o Oncidium Aloha 'Iwanaga', cuja aparência podemos conferir na foto da orquídea abaixo.

Orquídea Oncidium Aloha 'Iwanaga'
Oncidium Aloha 'Iwanaga'

Ainda neste contexto, e com as mesmas características, temos o Oncidium pumilum, que alguns decidiram chamar de Lophiaris pumila. Esta orquídea é outra interessante representante do grupo de orquídeas perfumadas, cujas minúsculas flores exalam um adocicado aroma que lembra o mel.

Orquídea Oncidium pumilum
Oncidium pumilum

Pertencente a um gênero próximo ao Oncidium, temos a belíssima Miltonia moreliana. Suas pétalas e sépalas exibem uma intensa coloração arroxeada, que puxa para o tom de uva. O labelo mais claro, contrastante, é um espetáculo à parte. A foto da orquídea abaixo foi tirada durante uma exposição.

Orquídea Miltonia moreliana
Miltonia moreliana


Com flores menores, mas intensamente perfumadas, a Maxillaria tenuifolia faz sucesso junto ao público graças ao seu intenso aroma de coco queimado. Além disso, suas flores apresentam uma coloração alaranjada, que pode variar de intensidade conforme a planta, como podemos conferir na foto da orquídea abaixo.

Orquídea Maxillaria tenuifolia
Maxillaria tenuifolia

Ainda no âmbito das orquídeas de flores pequenas e perfumadas, destaco aqui as Gomesas crispa e recurva, cujas flores exalam agradáveis aromas cítricos, que lembram o cheiro do limão. Na foto da orquídea abaixo, um exemplo de floração da Gomesa crispa, que obtive aqui na varanda do apartamento.

Orquídea Gomesa crispa
Gomesa crispa

Uma orquídea aparentada das Gomesas, igualmente perfumada, é a Rodriguezia venusta. Suas flores brancas formam delicados cachos que lembram pequenos bouquets de noiva. Não por acaso, ela também é popularmente conhecida como orquídea véu de noiva. Dentre as fotos de orquídeas que já tirei aqui no apartamento, esta abaixo foi uma das que me deu mais trabalho, dada a quantidade de flores em planos distintos, ao longo da haste.

Orquídea Rodriguezia venusta
Rodriguezia venusta

Ainda menor e mais difícil de fotografar é a Capanemia superflua. Neste caso, como podemos observar na foto da orquídea abaixo, já temos flores nas dimensões típicas de uma micro orquídea. Um exemplar bem cultivado forma pequenas touceiras repletas de hastes florais. Evidentemente, no meu caso, obtive uma floração bem mais modesta. Ainda que eu não tenha um cultivo excelente, a beleza de cada espécie fica registrada nas fotos de orquídeas que venho colecionando ao longo do tempo, e que divido agora com vocês.

Orquídea Capanemia superflua
Capanemia superflua


Continuando com o intrigante mundo das micro orquídeas, apresento a Ornithophora radicans, também minúscula e perfumada. Vistas em close up, suas flores lembram pequenos pássaros. É um show de delicadeza, uma das minhas orquídeas preferidas, muito embora seja exigente quanto à umidade relativa do ar, difícil de ser controlada em apartamentos.

Orquídea Ornithophora radicans
Ornithophora radicans

Outra espécie belíssima, também de dimensões mínimas, é o Dendrochilum filiforme, conhecida como orquídea da corrente dourada. Suas micro flores são dispostas aos pares, ao longo de uma fina haste, que vai se torcendo, adquirindo um formato helicoidal, semelhante ao do DNA.

Orquídea Dendrochilum filiforme
Dendrochilum filiforme

Com flores bem maiores, mas ainda tratada por alguns como uma micro orquídea, temos a Masdevallia infracta. Ela pode ser encontrada em diferentes colorações, mas é a variedade de flores amarelas a que mais me chama a atenção. O aspecto exótico das flores deste gênero de orquídeas é bem característico e único.

Orquídea Masdevallia infracta amarela
Masdevallia infracta amarela

Outra belíssima representante deste gênero de orquídeas é a Masdevallia discoidea, com um colorido único e contrastante.

Orquídea Masdevallia discoidea
Masdevallia discoidea

As fotos de orquídeas apresentadas ao longo deste post constituem uma pequena seleção das espécies que já foram cultivadas aqui no apartamento. Muitas não estão mais aqui para contarem a história, mas a lembrança da passagem delas por minhas mãos ficou registrada através do milagre da fotografia.

Através deste artigo, procurei dar uma ínfima amostra da interessante diversidade de formas e cores encontradas nesta fascinante família botânica, a Orchidaceae. Para saber mais sobre cada uma das espécies apresentadas, juntamente com as fotos de orquídeas, deixei links para os respectivos artigos, com mais informações e dicas de cultivo. Espero que aproveitem!