Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Begonia maculata


Begonia maculata
| Begonia maculata |

No mundo das chamadas plantas de interior, aquelas cultivadas predominantemente em função de suas características ornamentais, existem espécies que, repentinamente, caem nas graças do público, sem que se saiba exatamente quando e por que a moda começou. É o caso da elegantíssima Begonia maculata, com sua folhagem no melhor estilo petit pois, em francês, ou polka dot, em inglês.

Não é comum encontrarmos plantas com máculas tão simétricas e uniformemente distribuídas, como é o caso da Begonia maculata. Além disso, o contraste das bolinhas brancas com o fundo em um tom bem fechado de verde nos remete ao charme dos vestidos da década de 1950, que frequentemente retornam à cena com força total, em produções de moda com uma pegada vintage ou retro.


Em países de língua inglesa, a Begonia maculata é conhecida como polka dot Begonia. Trata-se de uma clássica planta de sombra, ideal para o cultivo dentro de casas e apartamentos. Ainda que existam diversas outras espécies e variedades, dentro do gênero Begonia, apreciadas pela beleza de suas folhagens, esta representante de bolinhas brancas é a que mais sucesso tem feito, junto aos cultivadores.

De maneira simplificada, existem dois grandes grupos de interesse paisagístico, neste gênero botânico. Há aqueles representantes que são cultivados e comercializados predominantemente em função da beleza de suas flores. É o caso das begônias híbridas, que ostentam frondosos bouquets de flores com pétalas simples ou dobradas. Em muitos casos, estas estruturas acabam se assemelhando a pequenas rosas, como é o caso da begônia vermelha.

De outro lado, estão as diferentes espécies e híbridos de begônias que, apesar de também produzirem flores, são mais cultivados e apreciados devido à beleza de suas folhagens, que podem apresentar as mais diferentes tonalidades e estampas. Além da Begonia maculata, também são bastante populares entre os colecionadores a Begonia rex e Begonia Asa de Anjo.


É muito comum que as pessoas confundam a Begonia maculata com a Begonia Asa de Anjo. A primeira grande diferença é que, no caso da primeira, trata-se de uma espécie pura. Já a segunda é uma planta híbrida. Além disso, é possível observar que as bolinhas brancas da Begonia maculata são maiores, mais alvas e bem delimitadas. O verso das folhas, no caso desta espécie, apresenta uma coloração acobreada, tendendo ao avermelhado.

Já a Begonia Asa de Anjo apresenta uma coloração verde mais suave, com o verso também mais claro, rosado. As bolinhas brancas são bem menores, em maior quantidade. Por fim, obviamente, a disposição das folhas, aos pares, lembra, de fato, as asas de um anjo. Esta estrutura não está presente nas folhas da Begonia maculata.

Embora esta não seja uma espécie comumente encontrada à venda, nos garden centers, a Begonia maculata é originária do Brasil. Trata-se de uma planta nativa da Mata Atlântica, podendo ser encontrada nas florestas quentes e úmidas do sudeste brasileiro. Hoje em dia, graças à imensa popularidade que vem ganhando, principalmente graças às redes sociais, esta begônia repleta de poás é presença obrigatória nas coleções ao redor do mundo, principalmente em países do hemisfério norte.


O aspecto não muito positivo da fama alcançada pela Begonia maculata reflete-se no seu preço. Embora seja uma planta nativa do país, os valores cobrados por um exemplar, no mercado, podem atingir patamares elevados. Isso ocorre porque não se pode sair por aí coletando plantas nativas, já que existe uma lei proibindo tal atividade. Portanto, as plantas devem ser produzidas em estufas comerciais, com as devidas licenças ambientais. Com o aumento da demanda, os preços sobem.

Além disso, a espécie tipo, mais frequentemente encontrada na natureza, apresenta as folhas predominantemente verdes. A variedade com bolinhas brancas é denominada Begonia maculata 'Wightti'. Por ser mais rara, esta planta precisa ser reproduzida comercialmente, replicando somente exemplares que já possuam esta característica, tão desejada pelos colecionadores.

Por ser uma planta típica de florestas subtropicais, a Begonia maculata aprecia ambientes com elevados níveis de umidade relativa do ar. Esta é uma espécie que sofre bastante em cômodos muito secos, principalmente aqueles que estão sob a ação de aparelhos de ar condicionado. Umidificadores ultrassônicos ajudam a criar um microclima mais saudável para o cultivo desta planta, em interiores. Além disso, bandejas umidificadoras, contendo pedriscos ou areia, e uma camada de água, por baixo dos vasos, ajuda a elevar o nível de umidade ao redor da planta. É importante que a água não fique exposta à superfície, o que atrairia o mosquito da dengue. A lâmina de água também não pode ficar em contato direto com o fundo do vaso, o que causaria o apodrecimento das raízes.


As regas da Begonia maculata devem ser frequentes, de modo a manterem o substrato levemente úmido, sem que fique encharcado por muito tempo. É necessário aguardar alguns dias, até que o excesso de água seja absorvido ou evapore, antes de uma nova irrigação ser realizada. Podemos perceber que o substrato está mais seco através da ponta do dedo sobre a terra, afundando levemente. Além disso, o peso do vaso também ajuda a decidir o melhor momento de regar a planta. Quanto mais leve o recipiente estiver, mas seco estará o substrato em seu interior.

A Begonia maculata é uma planta perfeita para o cultivo dentro de casas e apartamentos, já que não tolera a exposição ao sol pleno. Suas folhas estão habituadas à luz filtrada pelas copas das árvores, que chega até o chão das florestas subtropicais, seu habitat de origem. Em ambientes internos, no entanto, é importante que a planta não fique posicionada em um local muito escuro. Ela aprecia um ambiente próximo a uma janela bem iluminada, sem sol direto. Uma cortina fina ou tela de sombreamento podem ser utilizadas para proteger a planta durante as horas mais quentes do dia, principalmente no caso de janelas face oeste.

O substrato ideal para plantar a Begonia maculata é aquele rico em matéria orgânica, similar ao encontrado no solo das florestas. Uma mistura de terra vegetal e composto orgânico, em partes iguais, é apropriada para o cultivo desta planta. Alternativamente, substratos próprios para o cultivo de plantas tropicais, prontos para o uso, podem ser adquiridos em lojas especializadas. O importante é que o material seja bem aerado e facilmente drenável.


Sendo o solo rico em adubo orgânico, não é preciso se preocupar com um esquema muito elaborado de fertilização. Como complemento, uma fórmula de manutenção, do tipo NPK, com macro e micronutrientes, pode ser aplicada durante os meses mais quentes do ano, quando o metabolismo da planta está mais ativo. Também é durante este período que a planta costuma florescer, ainda que esta não seja a característica mais ornamental da Begonia maculata.

A multiplicação desta espécie é bastante rápida e tranquila. Basta destacar um segmento que contenha gemas adormecidas, aquelas pequenas intumescências na base das folhas, e colocá-lo em um recipiente com água. Em pouco tempo, novas raízes serão formadas e uma muda estará pronta para ser plantada. Também há quem prefira plantar as mudas diretamente no solo, sem maiores problemas.

Apesar de ser belíssima, esta planta de aspecto vintage é tóxica para cães e gatos, caso seja acidentalmente ingerida. Por precaução, também é aconselhável mantê-la longe de crianças pequenas. O mesmo vale para todas as outras espécies e híbridos do gênero Begonia.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil