Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Cacto Mammillaria bocasana


Cacto Mammillaria bocasana
| Mammillaria bocasana |

Muito embora os diferentes gêneros e espécies de cactos tenham suas peculiaridades, os representantes do táxon botânico Mammillaria costumam apresentar uma arquitetura geral bastante característica e uniformizada. Por este motivo, são popularmente conhecidos como almofadas de alfinetes. A aparência esférica destas cactáceas, cobertas por uma profusão de espinhos que se projetam radialmente, contribui bastante para que este apelido seja bem difundido entre o público leigo.

Ainda assim, cada espécie possui morfologias únicas e distintivas, como é o caso da Mammillaria bocasana, estrela do artigo de hoje. Anteriormente, já apresentamos a Mammillaria gracilis, cujo nome popular mais famoso é cacto dedal. Também já passaram aqui pelo blog a Mammillaria elongata, mais conhecida como cacto dedo de dama, e a Mammillaria prolifera, que carece de um apelido típico.


A Mammillaria bocasana é uma cactácea de estrutura globular ou globosa, cuja superfície é coberta por uma profusão de longos tricomas, de coloração branca, que lhe conferem um aspecto peludo, lanoso. No centro destas estruturas, figura um espinho de coloração amarelada, com a extremidade curvada. Esta aparência felpuda é a responsável pelo apelido powder puff cactus, em referência àquele pompom que nossas avós utilizavam para aplicar pó de arroz no rosto. Também existe a variação powder puff pincushion, que inclui o termo relativo à já mencionada almofada de alfinetes.

Originalmente descrita como Cactus bocasanus, em 1853, a atual Mammillaria bocasana é encontrada nativamente na região central do México, mais ao norte do país. Trata-se de uma espécie de cacto típica dos estados de San Luis Potosí, Querétaro e Zacatecas, onde também podem ser encontradas diversas outras suculentas e cactáceas apreciadas por suas características ornamentais.

Neste contexto, e devido à coleta predatória da Mammillaria bocasana em seus habitats de origem, com fins comerciais, este cacto encontra-se na lista vermelha de espécies ameaçadas de extinção, na compilação da International Union for Conservation of Nature, IUCN. Por este motivo, é proibido retirar exemplares desta espécie da natureza, no México.


Felizmente, graças a este amparo legal, e à capacidade de rápida propagação do cacto Mammillaria bocasana, existe atualmente uma considerável população desta espécie, em seu ambiente nativo. Neste sentido, o risco de extinção é baixo. Além disso, esta é uma cactácea bastante presente nas coleções, sendo intensivamente propagada, em estufas comerciais.

Embora a Mammillaria bocasana possa ser multiplicada através de suas sementes, o mais comum é que novas brotações surjam ao redor da planta mãe, o que leva à formação de uma grande colônia de cactos, de aparência bastante ornamental. O mesmo ocorre com outras espécies do gênero.

Esta é uma cactácea que aprecia uma luminosidade intensa, devendo preferencialmente ser exposta a várias horas de sol direto, diariamente. Dentro de casas e apartamentos, a Mammillaria bocasana deve ser posicionada bem próxima a uma janela bastante ensolarada, preferencialmente face norte. Coberturas, varandas e jardineiras externas, nas janelas, são boas opções de locais para o cultivo deste cacto.


Em ambientes muito sombreados, a Mammillaria bocasana tende a ficar estiolada, com uma estrutura tendendo à colunar. Além disso, na falta de níveis apropriados de luz, esta cactácea dificilmente irá florescer. O período do ano mais propício para a floração deste cacto corresponde à primavera e verão, quando as temperaturas estão mais altas. Suas flores, na espécie tipo, apresentam uma coloração creme, tendendo à amarelada, lembrando pequenas margaridas. Existem variedades com flores rosadas, como é o caso da Mammillaria bocasana 'Roseiflora'. Quando polinizadas, estas estruturas produzem pequenos frutos avermelhados e cilíndricos.

Outra variedade muito apreciada pelos colecionadores é a Mammillaria bocasana 'Multilanata', que possui uma aparência bastante felpuda, com longos tricomas brancos, densamente distribuídos sobre a superfície do cacto.

Sendo uma cactácea típica de regiões muito quentes e secas, de clima semidesértico, crescendo sobre solos de rocha vulcânica ou paredes de canyons, a Mammillaria bocasana precisa de um substrato bastante poroso, capaz de drenar rapidamente a água das regas. Uma mistura de terra vegetal e areia grossa de construção, em partes iguais, dá conta do recado. Lembrando que a areia da praia não é propícia para este fim, por conter elevados níveis de salinidade. Alternativamente, existem substratos prontos, formulados especialmente para o cultivo de cactos e suculentas, à venda em lojas de jardinagem e garden centers.


É importante que o vaso para o cultivo do cacto Mammillaria bocasana possua um bom sistema de drenagem, com furos no fundo e uma camada de pedrisco ou argila expandida. Por cima deste material, o posicionamento de uma manta geotêxtil ajuda a reter o solo arenoso, impedindo que as raízes da planta entupam os drenos do recipiente. O melhor material é o barro, terracota ou cerâmica, uma vez que sua porosidade ajuda a secar o substrato mais rapidamente. Caso os vasos de plástico sejam utilizados, os intervalos entre as regas devem ser aumentados.

O cacto Mammillaria bocasana pode apodrecer rapidamente, caso o solo seja mantido úmido por muito tempo. As regas devem ser bem espaçadas, ocorrendo apenas quando o substrato estiver completamente seco ao toque. Neste momento, também é possível perceber que o recipiente está mais leve, o que ajuda a indicar o timing correto para se realizar uma nova irrigação.

Estando acostumada à vida em ambientes áridos e solos pobres em matéria orgânica, esta cactácea não requer uma adubação muito intensa ou elaborada. O fornecimento de uma formulação equilibrada, do tipo NPK, especialmente desenvolvida para a nutrição de cactos e suculentas, é suficiente para garantir um bom desenvolvimento da Mammillaria bocasana. Durante os meses mais frios do ano, quanto o metabolismo da planta se desacelera, não é necessário fertilizar. Lembrando que o excesso de adubação, principalmente aquela rica em nitrogênio, é prejudicial ao desenvolvimento de cactos e suculentas.

Esta é uma cactácea que fica belíssima em jardins ensolarados, de inspiração desértica, entremeada por outras plantas suculentas que apreciem pouca água e muita luminosidade. Ainda que não seja a primeira escolha para ambientes internos, é possível cultivar a Mammillaria bocasana em casas e apartamentos, desde que seja possível posicionar a planta em um local com bastante exposição à luz solar. Trata-se de uma espécie bastante resistente, de fácil cultivo, que cresce e se multiplica rapidamente. Estas características tornam este um cacto ideal para iniciantes.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil