Guia completo para cultivar plantas dentro de casas e apartamentos

By Sergio Oyama Junior

Cacto Dedal - Mammillaria gracilis


Cacto Mammillaria gracilis
Mammillaria gracilis

Confesso que, em um primeiro momento, tive dificuldade de enxergar um dedal neste cacto. À primeira vista, o que se sobressai na espécie botânica Mammillaria gracilis são estas pequenas e graciosas esferas recobertas por uma delicada renda branca. Parece que alguém crochetou capinhas para cada segmento do cacto dedal, conhecido no exterior como thimble cactus. Esta teia branca que recobre a planta é, na verdade, composta pelos espinhos do cacto, que não são muito agressivos. De todas as cactáceas que conheço, esta é a de aspecto mais delicado, quase inofensivo, sendo uma das minhas preferidas.

O fato é que, olhando mais atentamente, percebemos que estas bolinhas são novos brotos crescendo na superfície da estrutura mais antiga da Mammillaria gracilis. A planta mãe, formada pela base madura, tem de fato um formato que lembra um dedal, com o topo arredondado e a coluna cilíndrica, que vai se elongando à medida que o cacto cresce. A disposição incomum e geométrica dos espinhos entrelaçados dá esta aparência de uma rede protetora cobrindo os dedinhos. Daí o apelido, cacto dedal.

É importante manusear a Mammillaria gracilis com bastante cuidado, já que os novos brotos se destacam com bastante facilidade da planta mãe. Ao menor solavanco, o cacto dedal se desmonta todo. Ao adquiri-lo, já perdi uma bolinha, que caiu no meio da rua, a caminho de casa. O lado positivo é que cada esfera destacada pode ser plantada separadamente. Dentro de pouco tempo, ela se enraíza e começa a crescer, gerando uma nova planta. No entanto, seu crescimento é bastante lento.


A Mammillaria gracilis é uma espécie da família Cactaceae, a mesma da qual fazem parte representantes famosos, como o cacto orelha de Mickey (Opuntia microdasys), cacto castelo de fada (Acanthocereus tetragonus), Opuntia monacantha e Opuntia subulata. Devido à sua capacidade de armazenar água em seus tecidos vegetais, o cacto dedal também é um exemplo de planta considerada suculenta. Seu corpo cilíndrico e sem folhas, recoberto por espinhos, está adaptado à vida em ambientes inóspitos.

O cacto dedal é originário da região central do México. Sendo assim, é uma planta que habita ambientes áridos, com bastante sol e pouca água. Neste tipo de habitat, a Mammillaria gracilis está acostumada a solos arenosos e pobres em matéria orgânica. Apesar de viver em ambientes bastante ensolarados, o cacto dedal pode adaptar-se ao cultivo dentro de casas e apartamentos, com luz indireta. O importante é que ele seja cultivado próximo a janelas que recebem boa luminosidade. Evidentemente, ele também vai muito bem em jardins de inspiração desértica, sob sol pleno. O importante é fazer esta transição gradualmente.

Quando o cacto dedal é cultivado em ambientes muito sombreados, ele tende a se tornar cada vez mais alto e elongado, denunciando um processo de estiolamento, em que a planta cresce exageradamente em busca de luz. Sob condições adequadas de luminosidade, a Mammillaria gracilis adquire seu aspecto arredondado característico.


Como sempre é recomendado no cultivo de suculentas, a rega deve ser feita com bastante moderação, bem espaçadamente. É preciso que o substrato seque completamente, antes de uma nova irrigação ser efetuada. O intervalo entre uma rega e outra varia bastante conforme o tipo de vaso, se de barro ou de plástico, a natureza do substrato e o clima do local de cultivo. Vasos de barro são mais porosos, permitindo que o substrato seque mais rapidamente. Já aqueles em plástico tendem a reter a umidade por mais tempo. Neste caso, a frequência das regas deve ser ajustada de acordo.

Qualquer que seja o material do vaso, é importante que ele tenha uma boa drenagem. Além dos furos no fundo, é importante colocar uma camada de pedrisco, brita ou argila expandida, para que a água escoe bem. Por cima, uma manta geotêxtil, para evitar que a terra escape durante as regas. Ainda que o cacto dedal fique uma gracinha plantado em xícaras e pequenos recipientes de porcelana, convém evitar este procedimento. Sem furos no fundo, fica difícil estimar a quantidade de água acumulada, o que facilita a ocorrência de acidentes. Da mesma forma, é bom evitar o uso de pratinhos sob o vaso.

O excesso de umidade faz com que o cacto dedal seja contaminado por fungos e bactérias, que causam seu apodrecimento em um ritmo bem acelerado. Esta é a forma mais rápida e eficiente de se matar um cacto dedal.

É fácil perceber quando a Mammillaria gracilis está em apuros, devido ao excesso de água. O tecido vegetal, outrora verde, sob os espinhos brancos, começa a se tornar amarelado. Muito rapidamente, ele se torna amolecido e começa a exalar um mau odor. Este é um sinal clássico de contaminação por bactérias. O quadro evolui muito rapidamente. Nestes casos, deve-se agir rapidamente. O recomendável é que as regas sejam suspensas e as partes afetadas sejam retiradas. Pode-se salpicar canela em pó nas áreas lesionadas, o que evita a contaminação das partes sadias.

O substrato deve ser arenoso, com uma boa drenagem. Há misturas prontas, à venda no mercado, próprias para o cultivo de cactos e suculentas. Alternativamente, pode-se preparar um composto de terra vegetal e areia grossa, em partes iguais. Não há necessidade de muita preocupação com adubação orgânica, já que o cacto dedal está acostumado a vegetar sobre solos pobres em nutrientes.

Em resumo, o principal cuidado no cultivo da Mammillaria gracilis é fornecer bastante luminosidade, preferencialmente com várias horas de sol direto ao dia, e não matar o cacto dedal afogado.


O aspecto mais curioso da Mammillaria gracilis é que, ao contrário de certos cactos, ela não cresce muito em altura. Seu desenvolvimento dá-se primordialmente na horizontal, espalhando novos brotos e formando densas colônias de delicadas estruturas rendadas. Eu admito que tenho certa dificuldade de encontrar cactos interessantes nas floras e garden centers que visito. Geralmente, eles são vendidos em vasinhos minúsculos, portando exemplares únicos e mirrados. Por este motivo, foi uma grata surpresa encontrar esta colônia bem formada, repleta de novos brotos e muito bem cultivada.

O cacto dedal floresce, mas é importante não confundir as flores naturais com aquelas espetadas pelos vendedores. A floração da Mammillaria gracilis dificilmente vai ocorrer dentro de casas e apartamentos. Sob sol pleno, e com ajuda de uma adubação rica em fósforo, as pequenas flores  brancas ou amareladas poderão surgir, geralmente no verão.

Para quem deseja ter um companheiro de porte compacto, sem espinhos agressivos, que requer pouquíssimos cuidados e é bastante ornamental, o cacto dedal ou Mammillaria gracilis é uma excelente opção. Além de ser uma planta de fácil cultivo, apresenta um porte compacto, sendo ideal para quem dispõe de pouco espaço.