Guia completo para cultivar plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Cacto Opuntia subulata monstruosa


Cacto Opuntia subulata monstruosa
Opuntia subulata monstruosa

Os cactos e suculentas costumam apresentar algumas formas anômalas de crescimento, que resultam em interessantes esculturas vivas. As mais conhecidas e cobiçadas pelos colecionadores são as formas cristatas, que originam indivíduos completamente diferentes da espécie tipo. Já a forma monstruosa é menos conhecida e caracteriza-se por um crescimento desordenado do cacto, que emite novas brotações por todos os lados. Uma belíssima exemplificação deste fenômeno biológico é o astro do artigo de hoje, popularmente conhecido como cacto agulha de Eva. Trata-se da forma monstruosa da espécie botânica Opuntia subulata.

Esta espécie é parente da Opuntia monacantha, que já foi tema de uma matéria aqui no blog, igualmente apresentada em sua forma monstruosa. Também é do mesmo gênero da Opuntia microdasys, o famoso cacto orelha de Mickey ou orelha de coelho.

As opúncias são cactáceas que ocorrem exclusivamente no continente americano, de norte a sul. Através da ação humana, foram disseminados por todo o globo, tendo virado praga em algumas regiões. O gênero Opuntia foi assim nomeado em alusão à antiga cidade grega chamada Opus. As espécies deste gênero consistem nos típicos cactos dos desenhos animados, comumente encontrados em regiões áridas do México e Estados Unidos. Aqui no Brasil, são muito comuns na região nordeste.


A Opuntia subulata, que também é conhecida como Austrocylindropuntia subulata, é encontrada por todo o continente sul americano, sendo particularmente comum na Argentina e Bolívia. Acredita-se que a espécie seja originária dos Andes peruanos, distribuindo-se a partir dali para outras regiões. 

Este é um cacto que pode atingir grandes proporções, sendo comumente utilizado como cercas vivas. A espécie Opuntia subulata distingue-se das demais por apresentar, além dos espinhos, folhas suculentas rudimentares. A forma monstruosa é conhecida por ser mais compacta e apresentar as pontas das folhas avermelhadas, quando expostas à luz solar direta. O formato destes rudimentos de folhas confere à planta o nome popular de Eve's needle cactus ou cacto agulha de Eva.

O cacto Austrocylindropuntia subulata ou Opuntia subulata monstruosa, por incrível que pareça, é até mais comum nas coleções do que a forma tipo, encontrada originalmente na natureza. Por ser compacta, resistente e de fácil cultivo, é bastante procurada pelos colecionadores. Aqui no apartamento, a impressão que tenho é que este cacto agulha de Eva cresce bem lentamente. No entanto, pode ser uma percepção equivocada, já que os cactos parecem não estar fazendo nada, por séculos, até que, repentinamente, estão enormes.


O cultivo desta cactácea é bem simples. O importante é fornecer bastante luminosidade e pouca água. Embora prefira ser mantida sob sol pleno, a Opuntia subulata pode ser cultivada dentro de casas e apartamentos, principalmente a forma monstruosa, plantada em vasos, desde que em substrato bem drenável e arenoso. Neste caso, a planta deve estar localizada próxima a uma janela bem iluminada.

A espécie Austrocylindropuntia subulata monstruosa, por ser mais compacta, pode ser cultivada em vasos de plástico, como costumam vir do produtor, ou de barro, que apresenta a vantagem de permitir uma secagem mais rápida do substrato. Qualquer que seja a escolha, é importante que ele tenha furos no fundo e uma boa camada de drenagem, que pode ser composta por cacos de telha, argila expandida, brita ou qualquer outro material particulado, como pedrisco. Por cima desta camada, convém posicionar uma manta geotêxtil, para evitar que o substrato escape pelo fundo do vaso, durante as regas.

O cacto agulha de Eva aprecia um solo mais arenoso, pobre em matéria orgânica, que é uma característica do seu habitat de origem. Sendo assim, a Opuntia subulata monstruosa pode ser plantada em qualquer substrato próprio para o cultivo de cactos e suculentas, à venda em lojas especializadas e garden centers. Caso prefira, o cultivador pode preparar uma versão caseira, constituída por uma simples mistura de terra vegetal e areia grossa, em partes iguais. Não é necessário acrescentar muito material orgânico, como húmus de minhoca ou esterco curtido, principalmente se o vaso for mantido dentro de casas e apartamentos.


Um cuidado a ser tomado, para se cuidar bem do cacto Opuntia subulata monstruosa, é não plantá-lo em vasos grandes demais. Quanto maior for o vaso, maior será a quantidade de terra em seu interior. Sendo assim, o material irá demorar mais para secar completamente. Como cactos e suculentas, de maneira geral, possuem um sistema radicular relativamente pequeno, com raízes finas e não muito longas, um vaso pequeno é suficiente para acomodá-las a contento. Como o cacto agulha de Eva não suporta umidade em excesso nas raízes, o ideal é evitar colocar o pratinho sob o vaso, de modo a não acumular a água das regas.

Além disso, eu costumo evitar colocar aquela camada de pedrisco branco sobre o substrato. Esta finalização tem uma função meramente decorativa. Particularmente, o material me atrapalha na aferição do nível de umidade do substrato. Frequentemente, sei que é hora de regar o cacto agulha de Eva apenas observando a aparência do solo, que adquire uma coloração mais clara e ressecada. Além disso, o peso do vaso é um excelente parâmetro para sabermos se já é hora de regar. Quanto mais leve, mais seco estará o substrato em seu interior. Independentemente da periodicidade, as regas somente devem acontecer quando o substrato estiver completamente seco.

Quanto mais luminosidade puder ser fornecida ao cacto Opuntia subulata, melhor será seu desenvolvimento. Dentro de casas e apartamentos, é importante que o vaso esteja localizado em uma varanda ensolarada. Caso não seja possível, o parapeito de uma janela face oeste também é um bom local. As janelas face sul, infelizmente, são mais sombreadas e podem não ser adequadas para o cultivo de cactos em geral.

Embora a Opuntia subulata floresça, dê frutos e sementes, isso dificilmente ocorrerá no ambiente doméstico, em interiores. Neste caso, a melhor forma de propagação dá-se pela divisão do cacto, destacando-se um segmento e o plantando-o separadamente. É importante deixar o fragmento descansando, por um dia, até que o corte cicatrize. Também pode-se polvilhar canela em pó, para que fungos e bactérias não se desenvolvam no local. O enraizamento ocorre com facilidade, mas o crescimento da nova muda é bastante lento.

Confesso que, até há muito pouco tempo, eu não prestava muita atenção aos cactos. Não me entrava na cabeça a ideia de cultivar uma planta que poderia me machucar. Hoje, não me importo com algumas espetadas ocasionais. Acabei me fascinando com a variedade de formas desta grande e resistente família botânica, que oferece tanta beleza e diversidade em troca de um cultivo tão simples, como é o caso desta Austrocylindropuntia subulata ou simplesmente agulha de Eva.