Cacto Orelha de Mickey


Cacto Opuntia microdasys
Opuntia microdasys

As plantas que popularmente conhecemos como cactos são todas aquelas pertencentes à diversificada família botânica Cactaceae. São milhares de espécies diferentes, todas de natureza suculenta, adaptadas à vida em ambientes áridos. Suas principais características são a ausência de folhas típicas e a presença de espinhos, modificações que permitiram a sobrevivência em situações de escassez de água. Apresentam os mais exóticos formatos, sendo vistas como verdadeiras esculturas vivas. São plantas consideradas suculentas devido à grande capacidade de armazenar água em suas estruturas vegetais, além de apresentarem um metabolismo diferenciado.

Neste contexto, trago hoje o famigerado cacto orelha de Mickey, também conhecido como cacto orelha de coelho (bunny cactus ou bunny ears cactus, em inglês). Na imagem que ilustra este artigo, tem-se a impressão de que há um Mickey (à esquerda) conversando com um coelho. Devo confessar que, ao procurar os meus exemplares no fornecedor, já selecionei aqueles que mais se pareciam com orelhas de Mickey ou coelho. No entanto, a tendência é que múltiplas orelhas surjam ao longo do tempo, umas sobre as outras.

Na verdade, o nome científico deste simpático espinhento é Opuntia microdasys. Ele é parente das famosas palmas, conhecidas como opúncias, que ocorrem em abundância na região nordeste do país, frequentemente utilizadas como alimento para o gado. Muitas espécies de Opuntia também são utilizadas na culinária. Estes são os exemplos clássicos que nos vêm à mente quando pensamos em cactos. É interessante notar que as cactáceas fazem parte de uma família botânica que ocorre exclusivamente no continente americano.


O cacto orelha de Mickey é do mesmo gênero da Opuntia monacantha monstruosa e da Opuntia subulata monstruosa, que já apareceram aqui no blog.

Mas, ao contrário das palmas, este cacto com aparência de Mickey é uma planta de menor porte, não ultrapassando 60 cm de altura, sendo ideal para o cultivo doméstico. A espécie é originária do México, vegetando em ambientes de clima quente e seco, a pleno sol. O aspecto fofo e felpudo deste cacto é enganoso. Na verdade, apesar de não possuir espinhos típicos, ele apresenta densos tufos (gloquídios) de finíssimas estruturas que lembram pelos, capazes de penetrar na pele. Embora praticamente invisíveis, permanecem espetadas e causam um certo incômodo por algum tempo. Eu acabei me acostumando. O simples manuseio do vaso, ainda que não toquemos nos espinhos, faz com que estes caiam sobre a pele, de modo que alguns acabam ficando espetados.

Variedades do cacto orelha de Mickey


Apesar de perigosos, são exatamente estes gloquídios que conferem um charme extra ao cacto orelha de Mickey. Estes tufos podem ocorrer em diferentes cores, dependendo da variedade do cultivar. A Opuntia microdasys pallida, por exemplo, apresenta pelos em um tom creme ou amarelo claro (na foto abaixo, à esquerda). Quando estas estruturas são brancas, a variedade é denominada albispina (espinho albino, à direita). O interessante é que, neste cultivar branco, os pelos são mais longos, tornando o cacto parecido mesmo com um coelho felpudo.

O padrão de crescimento destes cultivares também apresenta alguma variabilidade. Ao menos aqui no apartamento, a forma albispina costuma emitir novos segmentos com uma frequência maior em relação à variedade pallida. O cacto orelha de Mickey amarelo, por sua vez, tem uma tendência maior a estiolar, emitindo brotos finos e compridos, quando exposto a níveis de luminosidade abaixo do ideal. Por esta razão, eu me sinto mais confiante cultivando o cacto orelha de coelho branco, que tende a crescer mais rapidamente e de forma mais compacta.

Gloquídios da Opuntia microdasys, formas pallida e albispina
Gloquídios da Opuntia microdasys, formas pallida e albispina

Existe ainda uma outra espécie, a Opuntia rufida, na qual os gloquídios são avermelhados. Em inglês, este cacto recebe o apelido de cinnamon bunny ears cactus, porque as orelhas de coelho parecem ter sido salpicadas com canela (cinnamon). Existe alguma controvérsia em relação à nomenclatura desta espécie. É comum encontrarmos referências a este cacto como Opuntia microdasys rufida, tratando-o como uma variedade da espécie microdasys. De qualquer forma, esta orelha de Mickey avermelhada é um pouco mais difícil de ser encontrada, ao menos nos garden centers que costumo frequentar. Este é o perigo de se cultivar cactos e suculentas, nunca ficamos satisfeitos, estamos sempre em busca de todas as formas, variedades e cores para completarmos a coleção.


Como cuidar do cacto orelha de Mickey


O cacto orelha de Mickey desenvolve-se melhor quando cultivado sob sol pleno. No entanto, pode ser mantido dentro de casas e apartamentos, desde que próximo a uma janela bem ensolarada. Em apartamentos, o ideal é que ela seja face norte. Varandas voltadas a leste ou oeste, que recebem o sol da manhã ou da tarde, também são boas opções. Janelas face sul, infelizmente, são expostas a menos luz e podem não ser ideais para o cultivo de cactos.

Quanto mais luminosidade a Opuntia microdasys receber, melhor será seu crescimento e mais harmoniosa será sua aparência. Um sinal de que o cacto orelha de coelho está recebendo pouca luz é o afilamento dos novos segmentos. As orelhinhas que nascem em locais muito sombreados tornam-se finas e compridas, estiolando em busca do sol. Neste caso, mesmo que a quantidade de luz seja corrigida, as estruturas estioladas não voltam ao normal. Os novos segmentos, no entanto, crescerão com a aparência correta.

Cacto Opuntia microdasys pallida
Opuntia microdasys pallida

É importante que o solo seja bem drenável, composto por uma mistura de areia e terra adubada, em partes iguais. Na dúvida, o ideal é comprar um substrato próprio para o cultivo de cactos e suculentas, que já possui a composição correta para evitar o acúmulo de água e fornecer nutrientes à planta. Por estar acostumado a crescer em ambientes áridos e solos pobres em compostos orgânicos, o cacto orelha de Mickey não requer uma adubação muito complexa. Adubos industrializados de manutenção, do tipo NPK 10-10-10, por exemplo, são suficientes para um bom desenvolvimento.

O quesito mais importante a ser observado, no cultivo de todos os cactos, é em relação à quantidade de água fornecida. A rega precisa ser bem espaçada, principalmente no inverno. Independentemente da periodicidade, só devemos regar quando o substrato estiver extremamente seco. É muito fácil matarmos cactos afogados, por excesso na frequência das regas.

Cacto Opuntia microdasys albispina
Opuntia microdasys albispina

A multiplicação deste cacto orelha de coelho é bastante rápida. Basta destacar uma orelhinha e plantá-la separadamente. Quanto maior e mais desenvolvido for o segmento, maiores serão as chances de que ele enraíze e vá para frente. O importante é não plantar a muda recém destacada imediatamente. Recomenda-se esperar alguns dias, para que o corte cicatrize, evitando-se assim o risco de contaminação. Salpicar canela em pó nas partes cortadas também ajuda a evitar infecções.

Também é importante realizar o procedimento nos meses mais quentes do ano, já que a orelha de Mickey entra em dormência no inverno. É uma planta bastante resistente, de baixa manutenção e que se propaga com facilidade. Tomando-se as devidas precauções, trata-se de um excelente cacto de estimação!

Outra orelha famosa, que foi destaque recentemente, aqui no blog, é a suculenta Orelha de Shrek. Na família Cactaceae, vale destacar o popular cacto castelo de fadas, muito presente nas coleções atualmente.