Guia completo para cultivar plantas dentro de casas e apartamentos

By Sergio Oyama Junior

Orquídea Dendrobium


Orquídeas Dendrobium
Orquídeas Dendrobium

Dentre os mais de 35 mil representantes da família Orchidaceae, destacam-se os integrantes do populoso gênero Dendrobium, que pode conter mais de mil espécies de orquídeas, dependendo de quem as classifica. Bastante populares entre o público consumidor, principalmente em suas variedades híbridas, as orquídeas Dendrobium chamam a atenção pela sua imensa variedade de cores e formas. Junto com tanta beleza e diversidade, vêm algumas exigências de cultivo. São plantas mais temperamentais, principalmente quando o assunto é floração. Ao longo deste artigo, darei dicas de cultivo, juntamente com a apresentação das espécies de Dendrobium que já floresceram aqui no apartamento.

O gênero Dendrobium é característico de regiões localizadas na porção oriental do planeta. A maioria das espécies encontra-se distribuída pelo sudeste asiático, em países como Filipinas, Indonésia e Vietnã. Também há importantes representantes do gênero na China e Japão. Além disso, algumas espécies são típicas do continente australiano.


As orquídeas Dendrobium são tipicamente plantas de hábito epífito, vivendo aderidas aos troncos das árvores. Este comportamento deu origem ao nome do gênero, que é uma latinização derivada das palavras do grego clássico dendron, que significa árvore, e bios, que corresponde à palavra vida.

Trata-se de uma classificação bastante antiga. O gênero Dendrobium foi formalmente proposto em 1799, por Olof Swartz. Desde então, uma interminável ida e vinda de reclassificações altera constantemente as espécies de lugar, criando e extinguindo gêneros, sem que os taxonomistas responsáveis cheguem a um acordo. No meio desta confusão, foram criados novos gêneros de nomes estranhos, tais como Thelychiton e Pedilonum. Ainda assim, todos continuam a ser sinônimos de Dendrobium, que é o termo original, mais amplamente conhecido e utilizado.

Dentre as diversas espécies de orquídeas contidas neste gênero, destacam-se os híbridos descendentes do Dendrobium nobile. Estas são as famosas plantas popularmente conhecidas como orquídeas olhos de boneca. É o Dendrobium mais frequentemente encontrado no mercado. Ele está presente em elegantes floriculturas, mas também pode ser visto em feiras, exposições, garden centers e até mesmo supermercados. Sua principal característica é a mácula central presente nas flores, no centro de um círculo branco, que lembra o formado dos olhos.


O restante da flor, pétalas e sépalas, pode apresentar uma ampla gama de colorações, indo desde o branco puro até o púrpura intenso, passando por diferentes nuances em tons pastel das cores amarela, laranja e pink. A floração totalmente branca, com uma mácula central, é a minha variedade preferida.

Orquídea Dendrobium híbrida
Dendrobium híbrido

Também bastante popular é o Dendrobium Stardust, cujas variedades mais famosas são a 'Chiyomi', com flores amarelas, e a 'Firebird', cujas florações são alaranjadas. Trata-se de uma orquídea Dendrobium bastante generosa nas florações, que chegam a esconder os pseudobulbos, de tão fartas. Trata-se de um híbrido complexo, resultante do cruzamento entre diferentes espécies. Sua principal característica é o porte compacto da parte vegetativa, sendo um Dendrobium ideal para quem cultiva orquídeas em apartamentos.

Orquídea Dendrobium Stardust 'Chiyomi'
Dendrobium Stardust 'Chiyomi'

Existe ainda um outro híbrido famoso, Dendrobium 'Rainbow Dance', com flores rosadas, que muitos confundem com as variedades de Dendrobium Stardust. São plantas originárias de cruzamentos distintos, embora semelhantes na aparência.


Outra representante do gênero Dendrobium, bastante popular, é a orquídea Denphal. Seu apelido leva muitos a acreditarem que se trata de um híbrido resultante do cruzamento entre Dendrobium e Phalaenopsis. No entanto, isso não é verdade, até porque são dois gêneros muito diferentes, geneticamente falando. A orquídea que conhecemos como Denphal é simplesmente um Dendrobium híbrido, cujas florações ocorrem ao longo de hastes, ao contrário do que observamos nos dois exemplos anteriormente citados, nos quais as flores surgem diretamente a partir dos pseudobulbos em forma de cana. Quando estão sem flores, no entanto, todas estas orquídeas Dendrobium apresentam aspectos vegetativos muito parecidos.

Orquídea Denphal
Orquídea Denphal

Até então, falamos sobre alguns dos híbridos mais populares de Dendrobium. A seguir, apresentarei algumas espécies que já cultivei aqui no apartamento.

Começando pelo Dendrobium aggregatum, que também é conhecido como Dendrobium lindleyi, com suas belíssimas florações em amarelo gema, que surgem aos cachos. Quando bem cultivada, esta orquídea Dendrobium forma densas touceiras de pseudobulbos imbricados, que dão um show quando florescem simultaneamente. Situação esta que nunca presenciei, como podemos ver na modesta imagem abaixo.

Orquídea Dendrobium aggregatum
Dendrobium aggregatum

Ainda assim, trata-se de uma orquídea que admiro bastante, muito embora encontre alguma dificuldade para fazê-la florescer aqui no apartamento, sob minhas condições de cultivo.


Outra espécie de Dendrobium cujas florações surgem no topo de delicadas hastes é o Dendrobium kingianum. Trata-se de uma orquídea em miniatura, ideal para quem cultiva plantas em apartamento. Ela é originária do continente australiano, sendo que em seu habitat natural apresenta um comportamento de orquídea rupícola, ou seja, vegeta sobre rochas. Em nossas condições domésticas de cultivo, no entanto, podemos plantá-la da mesma forma que as tradicionais orquídeas epífitas.

Orquídea Dendrobium kingianum
Dendrobium kingianum

A seguir, uma orquídea Dendrobium bastante presente nas coleções, facilmente encontrada em orquidários a preços bastante acessíveis, dada a sua rapidez de multiplicação, o Dendrobium loddigesii. Esta é uma orquídea típica de países como Laos, China e Vietnã, conhecida por seus pseudobulbos finos, compridos e densamente emaranhados. A touceira vai ficando pendente, à medida que a orquídea se torna mais idosa. Seu principal charme são as flores em cores contrastantes, em pink e amarelo gema. 

Orquídea Dendrobium loddigesii
Dendrobium loddigesii

É outro Dendrobium extremamente genioso para florescer, ao menos aqui no apartamento, sob os meus cuidados. A parte vegetativa, por outro lado, desenvolve-se alucinadamente, com uma rapidez incrível.


Seguindo com nossa seleção de orquídeas do gênero Dendrobium, apresento o mais exótico dentre os que já cultivei. Trata-se do Dendrobium purpureum, em sua forma albina, cuja principal característica são as inflorescências em forma de delicados pompons brancos. Elas surgem ao longo dos pseudobulbos eretos em forma de cana, produzindo um efeito ornamental inigualável. Trata-se de uma orquídea asiática típica das ilhas do Pacífico, ocorrendo naturalmente nas Ilhas Fiji, Moluccas, Sulawesi e Nova Guiné. Não fosse o porte avantajado de seus pseudobulbos, este Dendrobium poderia ser considerado uma micro orquídea, já que cada flor individualmente é minúscula.

Orquídea Dendrobium purpureum
Dendrobium purpureum album

Por fim, trago uma espécie de Dendrobium com uma rara coloração azulada, tendendo para o lilás ou roxo, dependendo da luminosidade ambiente. Trata-se de uma orquídea de sangue azul, o Dendrobium victoria-reginae, assim nomeado em homenagem à rainha Vitória da Inglaterra. À medida que se desenvolvem, seus pseudobulbos vão se tornando pendentes. As florações azuladas surgem nos ápices destas estruturas, geralmente desprovidas de folhas, causando um efeito belíssimo e dramático, na minha opinião. Trata-se, sem dúvida, de uma das minhas orquídeas preferidas, dentro do gênero Dendrobium.

Orquídea Dendrobium victoria-reginae
Dendrobium victoria-reginae

Claro que as orquídeas Dendrobium apresentadas ao longo deste artigo são uma ínfima amostra da gigantesca variedade de espécies e híbridos contidos neste gênero botânico, que possui representantes capazes de sobrevier tanto em regiões de clima tropical, no sudeste asiático, como em áreas desérticas do continente australiano, passando ainda pelas elevadas altitudes dos Himalaias.


Como não acho ético roubar fotos de outros cultivadores para escrever os artigos deste blog, apresento apenas exemplos de orquídeas que realmente cultivei e fotografei aqui no apartamento. Ainda assim, acredito que os híbridos e espécies apresentados nesta matéria dão uma boa noção do quão diverso e belo este gênero Dendrobium é.

Cuidar da orquídea Dendrobium não é uma tarefa das mais simples. Isto porque cada espécie possui uma exigência de cultivo característica, que está relacionada ao seu habitat de origem. Portanto, é fundamental que tenhamos a correta identificação de nossas orquídeas, para que saibamos a melhor forma de cultivar cada uma delas.

Em comum, as diferentes espécies de Dendrobium apresentam a característica de necessitarem de elevados níveis de luminosidade para um desenvolvimento satisfatório, principalmente no que tange à floração. Embora algumas espécies possam suportar o sol pleno, é conveniente que elas sejam cultivadas sob a proteção de telas de sombreamento, preferencialmente que sejam capazes de filtrar 50% da luz solar incidente. Desta forma, evitaremos incidentes com folhas amareladas e queimadas.


Dentro de casas e apartamentos, nem sempre dispomos de luz suficiente para fazer com que a orquídea Dendrobium floresça. O ideal é que ela seja cultivada em uma varanda ensolarada. Caso isso não seja possível, é importante que o vaso fique próximo a uma janela bem iluminada, que receba o máximo de horas de sol possível. Janelas face norte são as mais indicadas, por serem as mais privilegiadas em matéria de luz solar.

Outro fator importante para que obtenhamos uma boa floração da orquídea Dendrobium é a adubação. Durante o período de crescimento dos pseudobulbos, fórmulas específicas para auxiliar no desenvolvimento e manutenção de orquídeas podem ser aplicadas. Eu costumo dar preferência aos adubos do tipo NPK, com proporções variadas destes nutrientes, conforme o ciclo de vida da orquídea. Existem fórmulas específicas para crescimento, manutenção e floração das orquídeas. Esta última contém uma maior proporção de fósforo, a letra P do NPK e ajuda a estimular o surgimento das flores na época apropriada.

Em adição aos fatores acima mencionados, o quesito primordial para que a floração do Dendrobium ocorra é o correto manejo das regas. Durante a fase de crescimento e maturação dos pseudobulbos, a orquídea pode ser regada normalmente, respeitando-se um intervalo suficiente para que o substrato possa secar completamente. No entanto, no período que antecede a floração, durante os meses de outono e inverno, é necessário reduzir drasticamente as regas. Este processo é denominado stress hídrico e é fundamental para que a maioria das espécies de Dendrobium floresça na época apropriada, que costuma ser o início da primavera.


Durante este período de stress hídrico, as regas devem ser reduzidas ao máximo. O Dendrobium somente deve ser regado para evitar que seus pseudobulbos fiquem muito enrugados. A adubação também deve ser suspensa, sendo retomada somente quando os primeiros botões florais surgirem. Nesta etapa da vida da orquídea Dendrobium, é normal que as folhas amarelem, sequem e caiam. Os pseudobulbos ficam desfolhados e levemente enrugados. Muitos iniciantes acreditam que a orquídea está morrendo ou que alguma praga a atacou. No entanto, trata-se de um fenômeno natural, que antecede a floração.

Caso o stress hídrico não seja corretamente aplicado, e a orquídea seja regada em excesso, é comum observarmos o surgimento de keikis no lugar dos botões florais. Keiki é uma palavra havaiana que significa bebê. Trata-se de um broto de Dendrobium que surge a partir de gemas localizadas ao longo dos pseudobulbos em forma de cana. Se destacados da planta mãe, quando já possuírem um número razoável de raízes, podem ser plantados separadamente, gerando uma nova muda de orquídea.

Algumas espécies produzem kekis de forma mais consistente do que outras. Por exemplo, é muito raro observarmos o surgimento destes brotos no Dendrobium purpureum. Já o Dendrobium loddigesii os produz em abundância, bastante frequentemente. Estas diferenças, evidentemente, acabam se refletindo na precificação destas orquídeas.


O vaso ideal para o plantio da orquídea Dendrobium é aquele de barro, por ser mais poroso e permitir que o substrato seque mais rapidamente. Existem modelos específicos para o cultivo de orquídeas, que são mais baixos e largos, com furos nas laterais. Caso o vaso de plástico seja o escolhido, por ser mais leve e barato, deve-se tomar cuidado com o intervalo entre as regas, já que este material retém a umidade em torno das raízes por um período mais prolongado.

O substrato típico para o cultivo da orquídea Dendrobium é aquele composto por casca de pinus, carvão vegetal e fibra de coco. Existem misturas prontas deste tipo, destinadas ao plantio de orquídeas epífitas, à venda em lojas de materiais para jardinagem. Alternativamente, há quem utilize somente brita, musgo sphagnum ou carvão vegetal, isoladamente. Além disso, a casca de macadâmia vem se tornando popular entre os cultivadores. O ideal é experimentar o material e a composição que melhor se adapta ao clima do local de cultivo de cada um.

Qualquer que seja o material escolhido para o vaso e o substrato, é importante que a composição tenha uma boa camada de drenagem no fundo, que pode ser composta por qualquer material particulado, desde isopor até cacos de telha, brita ou pedrisco. Para evitar que a água das regas se acumule no fundo do vaso, é bom evitar o uso do pratinho sob o mesmo.

Concluindo, embora seja uma orquídea que requeira alguns cuidados especiais, a maioria das espécies pertencentes ao gênero Dendrobium é bastante resistente e muito generosa nas florações. Sua imensa variedade de formas e cores a torna uma adição valiosa à coleção de quem ama orquídeas. É possível montar um orquidário inteiro apenas com este gênero botânico, sem que o conjunto fique monótono ou repetitivo.