Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Plantas para Jardim Vertical


Plantas para Jardim Vertical
| Plantas para Jardim Vertical |

Tendência absoluta em todos os projetos paisagísticos, tanto em ambientes internos como externos, os jardins verticais são capazes de conferir uma atmosfera tropical e refrescante a qualquer área de convivência, de maneira instantânea. Ao longo deste artigo, vamos passear através de uma seleção de plantas ideais para compor este belíssimo elemento decorativo, principalmente dentro de casas e apartamentos.

Infelizmente, com a crescente popularização das folhagens preservadas, tem sido cada vez mais difícil encontrar um jardim vertical formado por plantas naturais e vivas. Por requererem uma dedicação maior, em relação à sua manutenção, estes projetos paisagísticos vêm sendo substituídos por alternativas mais práticas.


No entanto, vale ressaltar que os jardins verticais oferecem diversos outros benefícios aos ambientes nos quais são instalados, que vão muito além do aspecto puramente ornamental. As plantas ajudam a diminuir a temperatura local, ao mesmo tempo em que elevam os níveis de umidade relativa do ar, nos cômodos onde se encontram presentes, principalmente em interiores.

Já se foi o tempo em que as pessoas acreditavam no mito de que ter plantas no quarto era prejudicial à saúde. Na verdade, estes organismos possuem a capacidade de filtrar elementos tóxicos presentes na atmosfera, principalmente em centros urbanos. Neste sentido, um jardim vertical pode atuar como um verdadeiro purificador de ar, desde que seja composto por vegetais vivos.

A seguir, apresentamos uma seleção de espécies ornamentais que podem ser utilizadas na composição de jardins verticais. Sendo esta uma tendência em sintonia com o movimento urban jungle, de transformar nossos ambientes internos em florestas urbanas, daremos prioridade às plantas de sombra, capazes de se desenvolver em ausência de sol pleno. Sempre lembrando que se tratam de seres vivos, que requerem ambientes com bastante luminosidade, ainda que difusa, indireta.


Começando pelas escolhas mais óbvias, um jardim vertical não estaria completo sem uma icônica samambaia. No entanto, é preciso tomar certos cuidados, em relação à localização desta planta. Em varandas de apartamentos, principalmente aquelas localizadas em andares mais altos, o vento incidente é bastante intenso. Neste ambiente, as samambaias, em geral, acabam se desidratando facilmente. Além disso, o constante atrito das pontas de suas folhas contra superfícies ásperas pode fazer com que seu desenvolvimento seja prejudicado.

Também é preciso considerar o fato de que algumas samambaias atingem grandes dimensões. Em um jardim vertical, estas plantas podem fazer sombra em demasia, para outras espécies. Neste sentido, uma excelente escolha é a mini samambaia havaiana, que mantém um porte compacto ao longo de toda a vida, além de exibir uma interessante textura felpuda, bastante decorativa.

Em um jardim vertical, estas plantas pteridófitas fazem uma belíssima composição com outras espécies aparentadas, como a renda portuguesa, Davallia fejeensis, e o asplênio, Asplenium nidus. É sempre importante agrupar plantas que apresentam requerimentos semelhantes, em termos de luminosidade e umidade relativa do ar.


Neste contexto, uma família botânica que faz bastante sucesso na composição de jardins verticais é a Araceae. Seus representantes são figurinhas carimbadas na decoração de interiores, uma vez que se desenvolvem bem em ambientes mais sombreados. É o caso da jiboia, Epipremnum aureum, costela de Adão, Monstera deliciosa, filodendro, Philodendron xanadu, entre muitos outros exemplos.

Para aqueles que desejam dar um toque diferenciado aos seus jardins verticais, existem aráceas menos conhecidas, de visual mais exótico, como é o caso do Scindapsus pictus 'Argyraeus', popularmente chamado de jiboia prateada, as exóticas espécies pertencentes ao gênero Alocasia, além da planta que tem as folhas fenestradas, como um queijo suíço, Monstera adansonii. O Anthurium clarinervium também funciona como um belíssimo ponto focal, neste sentido.

O filodendro Brasil, Philodendron hederaceum, bastante em voga no exterior, é outra excelente opção de arácea para compor um jardim vertical, visto que sua folhagem é naturalmente pendente, apresentando um colorido variegado bastante interessante, em verde e amarelo.


Seguindo com o conceito de famílias botânicas, para que possamos agrupar plantas que requeiram cuidados semelhantes, apresentamos as marantáceas, típicas plantas de sombra, ideais para a composição de jardins verticais internos. Neste grupo, talvez a representante mais comumente encontrada seja a maranta zebrina, cujo nome científico é Calathea zebrina. Já para quem deseja diversificar a paleta de cores, fugindo do onipresente verde, temos a maranta tricolor, Stromanthe thalia 'Triostar', cuja folhagem mescla tons rosados e avermelhados, contrapondo-se ao creme e verde. Outra marantácea que não é predominantemente verde é a Calathea ornata, conhecida como maranta riscada.

Já quando o assunto versa sobre estampas e padrões diferenciados, brilham as espécies Ctenanthe burle-marxii, conhecida como maranta Burle Marx, Calathea makoyana, cujo apelido mais famoso é maranta pavão, e Maranta leuconeura, também chamada de maranta pena de pavão.

Passando agora para outro grupo botânico, o gênero Tradescantia também se faz bastante presente nos projetos de jardins verticais, com plantas vivas. Neste contexto, destaca-se o lambari roxo, cujo nome científico é Tradescantia zebrina. Sua folhagem apresenta um colorido diferenciado, que mescla tons de púrpura, verde e pink. O porte pendente desta planta de sombra a torna uma escolha ideal para painéis verticais. Com uma paleta de cores semelhante, também temos o popular abacaxi roso, Tradescantia spathacea.


Também são ótimas candidatas para jardins verticais as chamadas columeias, que pertencem a diferentes gêneros e espécies. Os exemplos mais típicos são a columeia peixinho, Nematanthus wettsteinii, e a columeia batom, Aeschynanthus radicans. Além de possuírem folhagens pendentes bastante ornamentais, estas plantas produzem belíssimas florações, cujos formatos curiosos justificam seus nomes populares.

Este também é o caso da planta tapete, Episcia cupreata, conhecida por sua folhagem ricamente estampada, em tons de cinza e cobre, que contrasta com as flores avermelhadas, em forma de trombeta. Esta é uma parenta da tradicional violeta africana.

Um pouco mais comum, o clorofito, Chlorophytum comosum, também chamado de planta aranha, é uma opção extremamente resistente, de fácil cultivo, e que produz volumosas touceiras, rapidamente. Trata-se de um coringa perfeito para fazer o preenchimento instantâneo dos espaços vazios, durante a composição do jardim vertical. Além da versão tipo, totalmente verde, existem duas formas com variegações diferentes, para dar uma diversificada no visual.


Fazendo um contraponto ao argumento de que a manutenção de um jardim vertical é muito complicada, atualmente existem diversas soluções engenhosas, que se encarregam da irrigação e adubação automatizadas, com temporizadores e medidores de umidade do solo. Basta colocar o painel em um ambiente com bastante luminosidade indireta, protegido do excesso de sol direto e correntes de vento, e manter os reservatórios de água abastecidos.

Para aqueles que não estão dispostos a investir em um sistema automático, existem diversas soluções que demandam menos tecnologia, como é o caso dos vasos auto irrigáveis e de outros aparatos que facilitam o esquema de regas manuais.

O importante, acima de tudo, é não se privar da companhia das plantas, em nossos lares. Os benefícios que estes seres vivos são capazes de fornecer vão muito além da simples questão estética. Estar rodeado de plantas, simples ou raras, é um passo fundamental em direção a uma vida mais feliz e saudável.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil