Mini samambaia havaiana


Mini samambaia havaiana
Mini samambaia havaiana

Se eu tivesse que escolher apenas uma planta de estimação, a eleita seria esta simpática mini samambaia. Além de ser uma planta de pequeno porte, compacta e de fácil cultivo, requer um ambiente muito similar ao que temos em nossas casas e apartamentos. Prefere climas amenos, sem muito calor, sol direto ou ventos fortes. Como toda samambaia, precisa ser protegida daquelas rajadas que fazem o vaso rodopiar, quando suspenso. Se a ponta da folha em desenvolvimento sofrer atrito com a parede, pára de crescer.

As samambaias são plantas pteridófitas que habitam o planeta há milhões de anos. Há registros fósseis que comprovam sua presença já no período Carbonífero, que precedeu a era dos grandes dinossauros. Bem mais recentemente, as samambaias foram as estrelas da decoração de interiores e jardins, sendo as típicas plantas que nossas avós adoravam cultivar.

Após um breve recesso, as samambaias fizeram um triunfal retorno à cena paisagística, agora no início deste novo milênio. Dentre as inúmeras variedades disponíveis no mercado, vem chamando a atenção do público a mini samambaia havaiana. Ao contrário de suas parentes, ela não lançará dezenas de longas folhas em direção ao solo. Esta miniatura fica bem em qualquer lugar dentro de casa, desde que tenha luminosidade suficiente para crescer. É a planta ideal para os lares modernos, com pouco espaço.

Sempre fui apaixonado por esta miniatura de samambaia, popularmente conhecida como samambaia havaiana, de aparência escultural e felpuda, extremamente dócil e companheira, pois pode ir para qualquer lugar. A minha vive bela e feliz perto da janela do quarto. Tudo o que faço é regá-la quando sinto o vaso leve. Outras dicas de cultivo desta bela folhagem podem ser encontradas no Beleza no Apê.


Mini samambaia havaiana
Mini samambaia havaiana

O curioso é que a mini samambaia havaiana é uma das diversas variantes existentes da samambaia americana, ou samambaia de Boston, a Nephrolepis exaltata. Vários cruzamentos, melhoramento genético e mutações originaram esta pequena joia felpuda, bastante diferente da espécie original e que vem se tornando extremamente popular aqui no Brasil.

A mini samambaia havaiana aprecia um solo rico em matéria orgânica. Há muito tempo, era costume se cultivar samambaias em xaxim. Hoje em dia, esta prática não é mais aceitável, já que a planta que produz o xaxim encontra-se sob risco de extinção. Há diferentes substratos e misturas de materiais, incluindo a fibra de coco, nos quais podemos cultivar a mini samambaia havaiana. Geralmente, ela ficará muito bem no vaso em que vem do produtor.

A adubação pode ser química ou orgânica, dependendo da preferência do cultivador. Particularmente, prefiro a adubação química, do tipo NPK, por ser inodora e bastante prática. Como é bastante antiga, a samambaia havaiana não produz flores nem sementes. Sendo assim, não necessita de uma adubação muito sofisticada nem intensa. Qualquer fórmula para jardinagem amadora, aplicada a cada quinze dias, dará conta do recado.

Por estar sempre presente no ambiente doméstico, existe o risco de que a mini samambaia havaiana seja ingerida acidentalmente, seja por animais ou crianças pequenas. Algumas plantas pteridófitas possuem substâncias tóxicas aos mamíferos, mas este não é o caso da samambaia havaiana. Ainda assim, claro que é sempre conveniente tentarmos evitar que estes incidentes de ingestão ocorram.

Tomadas estas devidas precauções, a mini samambaia havaiana viverá por anos a fio, emitindo novas folhas compactas e felpudas, tornando-se uma verdadeira escultura em forma de planta. É natural que as folhas mais antigas, próximas à base, venham a amarelar e secar. Podem ser podadas, para que novos brotos em forma de feto surjam e cresçam. Vale a pena ter esta miniatura de samambaia em casa, a estrela dos pequenos lares modernos!