Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê

Jiboia Prateada - Scindapsus pictus 'Argyraeus'


Scindapsus pictus 'Argyraeus'
Scindapsus pictus 'Argyraeus'

Sim, existe uma planta jiboia prateada. Trata-se de uma parente da versão amarela que estamos acostumados a ver, mais comum e frequentemente presente no interior de casas e apartamentos. Seu nome científico é Scindapsus pictus 'Argyraeus'. Esta é uma houseplant bastante apreciada no exterior, também comumente utilizada no paisagismo de ambientes internos. A versão prateada apresenta a mesma rusticidade e facilidade de cultivo da jiboia tradicional, com o plus de exibir um padrão diferenciado de estampas em suas folhas acetinadas, extremamente ornamentais.

A planta jiboia que encontramos com mais frequência em todos os lugares, Epipremnum aureum, é conhecida em países de língua inglesa como golden pothos, graças à variegação que suas folhas apresentam, mesclando as cores verde, creme e amarela. Por este motivo, a jiboia prateada recebe o apelido de silver pothos. Também é comum encontrá-la sob o nome popular satin pothos, em referência ao cetim.


Apesar de pertencerem a gêneros diferentes, ambas as plantas são aparentadas porque fazem parte da família Araceae, a mesma do antúrio, Anthurium andraeanum, e lírio da paz, Spathiphyllum wallisii, entre muitas outras plantas de interior, comumente cultivadas com fins ornamentais. Ao contrário de sua prima, que pode atingir grandes proporções, a jiboia prateada apresenta um porte mais compacto, sendo que suas folhas não aumentam de tamanho, à medida que a planta amadurece. Este é um ponto favorável para quem cultiva plantas em apartamentos com pouco espaço. Também por esta razão, a versão em prata desta jiboia é mais apropriada para a composição de terrários.

A espécie Scindapsus pictus 'Argyraeus' é nativa do sudeste asiático, estando presente em diversos países de clima tropical, tais como Indonésia, Filipinas e Ilhas Salomão. Em seu habitat de origem, a jiboia prateada está acostumada à vida sob a luz filtrada proporcionada pela sombra que as copas das árvores fazem, em meio às florestas úmidas e quentes. Por este motivo, esta é uma planta que não se desenvolve muito bem sob baixas temperaturas, ou em ambientes muito secos, que sofram a influência de aparelhos de ar condicionado.

Neste contexto, a jiboia prateada aprecia sombra e água fresca. As temperaturas amenas e constantes ao longo de todo o ano, condições presentes no interior de casas e apartamentos, são ideais para o cultivo do Scindapsus pictus 'Argyraeus'. Embora esta seja uma planta comumente cultivada em vasos suspensos, formando belíssimas cascatas pendentes de folhas prateadas, ela continua a fazer jus ao seu apelido, apresentando um comportamento de trepadeira, subindo e enrolando-se nos troncos das árvores, bem como em qualquer suporte que lhe seja oferecido.


É muito simples cuidar da jiboia prateada. Basta oferecer as mesmas condições exigidas pela jiboia tradicional, dourada. Esta é uma planta que não deve ser exposta ao sol pleno, principalmente durante as horas mais quentes do dia. A espécie Scindapsus pictus 'Argyraeus' aprecia uma luminosidade filtrada, indireta, que pode ser facilmente proporcionada por uma janela protegida por uma cortina fina. Espaços abertos, como varandas ou jardineiras externas, que recebam muito sol direto, podem causar queimaduras às folhas desta planta.

Por outro lado, caso seja cultivada em locais muito sombreados, a jiboia prateada pode perder sua característica principal, tornando-se completamente verde. O mesmo acontece com a peperômia filodendro, Peperomia scandens, por exemplo, que perde sua variegação quando mantida em ambientes com pouca luminosidade. O ideal é que o ambiente seja bem iluminado, mas de forma filtrada ou indireta.

Além disso, é importante que o ambiente de cultivo da jiboia prateada tenha bons níveis de umidade relativa do ar, idealmente acima de 60%. Quando o clima está muito seco, a planta tende a se desidratar, apresentando um ressecamento nas pontas das folhas. Outro motivo para que este fenômeno ocorra é o excesso de adubo inorgânico no solo. Embora aprecie a umidade, a jiboia não tolera as raízes encharcadas por muito tempo. A frequência das regas deve ser espaçada, de modo a permitir que o substrato seque bem, entre uma irrigação e outra. Percebe-se que o material está seco através da diminuição do peso apresentado pelo vaso. Outro método bastante útil é pressionar a terra com o dedo e afundar levemente. Se estiver úmido, o solo não precisa ser regado.


O solo para o cultivo da jiboia prateada deve ser bem aerado e rico em matéria orgânica, como aquele presente nas florestas tropicais. Pode-se utilizar um substrato próprio para a jardinagem amadora, vendido pronto em lojas especializadas e garden centers. Este material pode ser enriquecido com a adição de uma parte de composto orgânico, que pode ser húmus de minhoca ou esterco curtido.

Como a floração da jiboia prateada tem pouco valor ornamental, esta planta não requer um esquema muito elaborado de adubação. Além da matéria orgânica já presente no solo, pode-se fornecer um fertilizante de manutenção, do tipo NPK, contendo níveis equilibrados destes macronutrientes. Não há necessidade de se adubar a planta durante o outono e inverno, quando seu metabolismo está mais lento. Apenas relembrando que o excesso desta adubação inorgânica pode causar o acúmulo de sais minerais no solo, situação que provoca danos às raízes da planta. Quando isso acontece, é comum observarmos que a jiboia apresenta as pontas das folhas queimadas.

A multiplicação da jiboia prateada é bastante rápida e tranquila. Basta cortar segmentos do caule, que contenham gemas ou nós, e colocá-los em um recipiente com água, para que enraízem. Há quem os plante diretamente na terra. O uso do musgo sphagnum, para esta etapa de enraizamento, também é bastante efetivo, diminuindo as chances de contaminação. É importante salientar que, ao contrário das peperômias, que se propagam a partir de folhas destacadas da planta mãe, as jiboias precisam de uma porção do caule, para que este procedimento seja bem-sucedido. Uma vez que o Scindapsus pictus 'Argyraeus' costuma demandar uma poda de manutenção, de tempos em tempos, para controlar o comprimento de seus ramos, esta ocasião pode ser aproveitada para propagar a planta.


Como toda arácea que se preze, a jiboia prateada apresenta o inconveniente de possuir substâncias tóxicas em todas as partes da planta, folhas, flores, caules e raízes. Sendo assim, é imprescindível que ela seja cultivada em um local fora do alcance de crianças e animais de estimação. Vasos pendurados são excelentes opções para o cultivo das jiboias, de maneira geral.

Resistente, de fácil cultivo e extremamente ornamental, a jiboia prateada é uma excelente opção para diversificar a coleção, trazendo um ar de selva tropical para o interior de nossos lares. Seu único defeito é ainda não ser tão amplamente disponível no mercado, como acontece com sua prima mais popular.