Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Abacaxi Roxo - Tradescantia spathacea


Tradescantia spathacea
Tradescantia spathacea

Acho incrível a diversidade de cores presentes nas folhagens das diferentes espécies pertencentes ao gênero Tradescantia. Além de quebrar a monotonia dos jardins predominantemente verdes, a estrela do artigo de hoje, Tradescantia spathacea, popularmente conhecida como abacaxi roxo, é uma planta bastante resistente e versátil, podendo também ser cultivada dentro de casas e apartamentos. Trata-se de uma excelente escolha para acrescentar mais vida e colorido à decoração de interiores, sem a exigência de um grande esforço quanto à sua manutenção.



O gênero botânico Tradescantia é relativamente pequeno, abrigando 75 espécies. Aqui no blog, já apresentamos a Tradescantia pallida purpurea, cujo apelido é trapoeraba roxa, e a Tradescantia sillamontana, uma planta suculenta, cujas folhas parecem cobertas por teias de aranha. Outra espécie bastante popular, comumente cultivada em ambientes internos, é a Tradescantia zebrina, popularmente conhecida como lambari roxo. As Tradescantias são plantas pertencentes à família Commelinaceae, originárias do continente americano, tendo sido introduzidas na Europa ainda no século XVII, com propósitos ornamentais.

Tradescantia spathacea
Tradescantia spathacea

A espécie Tradescantia spathacea, particularmente, é típica de diversas regiões do México, podendo também ser encontrada em países da América Central, como Belize e Guatemala. Aqui no Brasil, esta planta é popularmente conhecida como abacaxi roxo. No entanto, por razões que me fogem à compreensão, a Tradescantia spathacea também é chamada de Moisés no berço, tanto aqui como em países de língua inglesa (Moses in the cradle). Lá fora, esta espécie também é conhecida como boat lily ou oyster plant. Estes termos (berço e barco) fazem referência ao aspecto das brácteas em torno das inflorescências brancas, cujo formato lembra uma pequena canoa. No entanto, a floração do abacaxi roxo é bem discreta, sendo considerada de pouca importância ornamental. 

Quando fui ao garden center, especialmente para comprar meu exemplar de abacaxi roxo, encontrei a planta sob diversas plaquinhas, onde se lia Hoya. Fiquei intrigado, porque este é o nome científico da popular flor de cera, Hoya carnosa, que é completamente diferente da Tradescantia spathacea. Comprei a planta, mesmo assim, mas fiquei com isso na cabeça. Somente meses mais tarde, percebi o equívoco cometido pelo comerciante. A planta abacaxi roxo, no passado, era classificada como Rhoeo discolor ou Rhoeo spathacea. Na hora de escrever as placas de identificação, a pessoa se confundiu e colocou Hoya.


Os belíssimos exemplares de abacaxi roxo, apresentados nas fotos que ilustram este artigo, não são os que eu cultivo, aqui no apartamento. Eles fazem parte do paisagismo da residência do casal Hiroko e Takashi Matsumoto, onde estive, recentemente. Como a minha Tradescantia spathacea está muito sofrida e mirrada, preferi fotografar exemplares mais representativos da beleza característica desta espécie botânica. Os abacaxis roxos das fotos acima estão dispostos em um jardim ao redor de um lago com carpas, formando uma bela e colorida forração. Quando cultivado ao ar livre, sob sol pleno, o abacaxi roxo exibe cores mais intensas e contrastantes, em suas folhagens.

Esta variedade, que mescla tons de creme, verde claro e pink, em listras na parte superior das folhas, que apresentam o verso em um tom púrpura mais escuro, é denominada Tradescantia spathacea 'Tricolor'. É a forma que eu acho mais bonita. Além disso, existe uma versão chamada Tradescantia spathacea 'Vittata', cujas folhas mesclam tons de amarelo e verde, também listradas. Estas são versões variegatas do abacaxi roxo, que também pode existir em uma forma totalmente verde, denominada Tradescantia spathacea 'Concolor'.

Ainda que fique lindo em jardins, o abacaxi roxo pode ser cultivado em interiores, desde que o vaso seja posicionado próximo a janelas com bastante luminosidade. Quando mantido em ambientes muito sombreados, o abacaxi roxo tende a ficar mais pálido, com as folhas em uma tonalidade mais desbotada.

À medida que se desenvolve, o abacaxi roxo vai se tornando mais alto, pescoçudo. As folhas mais próximas à base vão secando, revelando um caule fino e tortuoso. Novas ramificações surgem em abundância, a partir deste caule. Para obtermos uma planta mais compacta, podemos realizar podas drásticas, similares à decapitação de suculentas. As ponteiras cortadas podem ser colocadas diretamente na terra, para que enraízem e produzam novas plantas. A porção remanescente continuará a produzir novos brotos, de modo que a touceira do abacaxi roxo fique mais baixa, densa e compacta.


De modo geral, este procedimento de poda da Tradescantia spathacea é mais frequentemente realizado quando a planta é cultivada em interiores, dentro de vasos ou jardineiras. Em áreas externas, plantado diretamente no jardim, o abacaxi roxo cresce e se multiplica rapidamente, requerendo pouca manutenção.

Além de ser versátil quanto à luminosidade, desenvolvendo-se bem em ambientes de sombra, meia sombra ou sol pleno, o abacaxi roxo também tolera diferentes tipos de solo. A Tradescantia spathacea pode ser mantida em substratos mais arenosos, pobres em nutrientes, tipicamente utilizados no cultivo de cactos e suculentas. Por outro lado, existe a possibilidade de bons resultados com solos ricos em matéria orgânica. Aquelas misturas que são vendidas prontas, em lojas especializadas e garden centers, próprias para a jardinagem amadora, são perfeitas para o cultivo da Tradescantia spathacea.

A adubação do abacaxi roxo não precisa ser muito elaborada. Como suas flores têm pouca relevância ornamental, e dificilmente surgem em ambientes internos, não há a necessidade da aplicação daquelas formulações ricas em fósforo, destinadas à indução da floração. Uma fórmula básica de manutenção, com valores equilibrados de NPK, é mais que suficiente para a manutenção do abacaxi roxo, caso ele seja cultivado em vasos, dentro de casas e apartamentos.


Embora extremamente resistente, o abacaxi roxo pode ficar feio, se suas folhas forem mantidas úmidas por muito tempo. O tecido vegetal apresenta uma natureza suculenta, de modo que o excesso de água pode propiciar o desenvolvimento de fungos, que causam manchas amarronzadas na superfície das folhas. Trata-se, no entanto, de um problema mais estético, sem maiores consequências.

As regas do abacaxi roxo, em função de sua natureza mais suculenta, podem ser mais espaçadas, somente ocorrendo quando a terra já estiver suficientemente seca. No mais, trata-se de uma planta de fácil cultivo, bastante resistente e que se multiplica rapidamente.

As diferentes variedades de Tradescantia spathacea formam belíssimas composições com outras espécies do gênero, tais como o púrpura intenso da trapoeraba roxa e as listras multicoloridas do lambari. Alguns exemplares destas plantas são suficientes para transformar um ambiente sombrio e acabrunhado em uma pequena e colorida urban jungle.