Guia completo para cultivar plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Cacto Amendoim - Echinopsis chamaecereus


Cacto Echinopsis chamaecereus
Echinopsis chamaecereus

A espécie botânica Echinopsis chamaecereus é geralmente comercializada em vasinhos minúsculos, frequentemente espetada com pequenas flores secas, ali introduzidas de forma artificial. São procedimentos que não fazem jus à beleza e exotismo desta cactácea, popularmente conhecida como cacto amendoim. Quando bem cultivada, esta espécie forma touceiras respeitáveis, que produzem um espetáculo de floração, em um intenso colorido que vai do alaranjado ao avermelhado.



O gênero Echinopsis, ao qual o cacto amendoim pertence, faz parte da grande família botânica Cactaceae, sendo tipicamente encontrado em diferentes localidades do continente sul americano. A espécie Echinopsis chamaecereus, particularmente, é originária da Argentina. O nome do gênero é derivado das palavras echïnus (latim) ou ekhînos (grego), que podem significar ouriço, porco espinho, ou ouriço do mar. O sufixo opsis, em latim, denota similaridade, 'semelhante a'.

No exterior, as espécies de Echinopsis são frequentemente chamadas de hedgehog cactus (cacto porco espinho) ou sea-urchin cactus (cacto ouriço do mar), por este mesmo motivo. No entanto, a espécie Echinopsis chamaecereus, particularmente, recebe o mesmo apelido que usamos no Brasil, peanut cactus, cacto amendoim.

Trata-se de uma espécie conhecida por seu pequeno porte e pela natureza pouco agressiva de seus espinhos, que são macios ao toque. Por esta razão, o cacto amendoim é ideal para quem tem crianças ou animais de estimação em casa.

Na natureza, o Echinopsis chamaecereus está habituado às condições áridas de regiões montanhosas, sobrevivendo às geadas, por estar adaptado ao clima frio das áreas próximas aos Andes argentinos. Neste sentido, o cacto amendoim é pouco exigente quanto à qualidade do solo, que costuma ser pobre em matéria orgânica, em seu habitat original.


Estas informações são importantes para que possamos estabelecer as melhores condições para cuidarmos bem do cacto amendoim. O primeiro passo consiste em montar um vaso com um bom sistema de drenagem. Ele pode ser de barro ou de plástico, mas é essencial que tenha furos no fundo. O uso de cachepots sem furos ou de pratinho sob o vaso deve ser evitado, para que a umidade excessiva não mate o cacto amendoim afogado.

Neste sentido, as regas do Echinopsis chamaecereus devem ser bem espaçadas, realizadas apenas quando o substrato estiver bem seco. É importante lembrar de reduzir ainda mais as irrigações durante o inverno, quando a evaporação diminui, juntamente com o metabolismo do cacto amendoim, de modo que as chances de o substrato permanecer úmido por longos períodos aumentam.

Independentemente do material, o vaso precisa ter uma camada de pedrisco, cacos de telha, brita ou argila expandida, no fundo. Por cima, pode ser posicionada uma manta geotêxtil, de modo a segurar o substrato e impedir que ele escoe com a água das regas. Para quem não quiser comprar este material, uma boa alternativa são os filtros usados de café, que podem ser reaproveitados e reciclados, nesta nova função.

O substrato é aquele tipicamente utilizado no cultivo de suculentas, em geral. O material deve mimetizar o solo arenoso, típico das condições áridas encontradas pelo cacto amendoim em seu habitat de origem. Existem substratos próprios para cactos e suculentas, à venda em lojas especializadas e garden centers. Alternativamente, pode-se comprar uma terra preparada para o uso na jardinagem amadora e misturá-la com areia grossa, em partes iguais. O importante é que o solo fique bem aerado e drenável. Como já mencionamos, não há a necessidade de adicionar material orgânico à mistura, uma vez que o Echinopsis chamaecereus vive em solos pobres em nutrientes, na natureza.


Por este motivo, a adubação deve ser bem básica e espaçada, apenas como manutenção. Caso o objetivo seja fazer o cacto amendoim florescer, no entanto, uma adubação mais rica em fósforo, própria para estimular a floração, pode ser aplicada.

Neste contexto, outro fator bastante importante para que o cacto amendoim floresça é a luminosidade. Dentro de casas e apartamentos, dificilmente obteremos condições favoráveis à floração do Echinopsis chamaecereus. O ideal é que ele seja cultivado em áreas externas, sob sol pleno. Quanto mais luz solar direta o cacto amendoim puder receber, maiores as chances de que sua floração ocorra. Tipicamente, as flores do cacto amendoim surgem nos meses mais quentes do ano, entre a primavera e verão. O destaque fica por conta do tamanho avantajado das flores, em comparação com a parte vegetativa do cacto amendoim. Embora a coloração mais comumente encontrada seja a laranja ou avermelhada, existem belíssimas variedades com flores amarelas.

No entanto, para aqueles que desejam apenas apreciar o belo aspecto vegetativo do cacto amendoim, qualquer local bem iluminado, ainda que dentro de casas e apartamentos, é suficiente para seu cultivo bem-sucedido. Basta que o vaso contendo o Echinopsis chamaecereus seja posicionado bem próximo a uma janela ensolarada. Jardineiras externas e varandas também são excelentes locais para o cultivo do cacto amendoim.


Muito embora o Echinopsis chamaecereus possa ser multiplicado a partir de sementes, o processo mais rápido e tranquilo de propagação é através dos artículos que se destacam muito facilmente do cacto amendoim. Neste sentido, o replante deve ser feito com cuidado, para que a planta não se desmonte toda. Qualquer ramo destacado da planta mãe pode ser plantado separadamente. Seu enraizamento ocorre com rapidez, de modo que novas mudas podem ser obtidas, tranquilamente. É melhor que este procedimento seja realizado durante os meses mais quentes do ano, uma vez que o cacto amendoim passa por um breve período de dormência, durante o inverno.

Devido à natureza intrincada e cheia de novos brotos do cacto amendoim, é comum que cochonilhas e outras pragas fiquem escondidas nos interstícios, causando sérios danos à saúde da planta. Uma forma eficaz de se prevenir este problema é cultivando o Echinopsis chamaecereus em um ambiente bem ventilado, mas sem ventos excessivos. Outro cuidado importante é a inspeção periódica do cacto amendoim. Ao menor sinal de infestação, eu retiro as pragas com a ponta de um palito de madeira. Prefiro evitar o uso de defensivos químicos, que podem causar sérios problemas de saúde em humanos e animais domésticos. Há quem controle estas pragas com uma solução de água e detergente ou com álcool.

Por apresentar um porte compacto, requerer pouca manutenção, além de ser versátil, podendo ser cultivado tanto em áreas internas como externas, o cacto amendoim é uma escolha ideal para quem quer montar uma coleção de cactos e suculentas, mas não quer ter muito trabalho ou não dispõe de muito espaço. Como se não bastasse, ele ainda se propaga facilmente, sendo perfeito para presentear parentes e amigos.