Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Bacia de Suculentas | Dicas e Cuidados


Bacia de Suculentas
| Bacia de Suculentas |

Não há forma melhor de afastar o tédio e a negatividade do que iniciar um novo e inspirador projeto. Colocar a mão na massa e produzir algo autoral é a forma perfeita de se decorar a casa com um toque pessoal. No artigo de hoje, vamos dar algumas dicas para a confecção de uma bacia de plantas suculentas, salientando os principais pontos de atenção, para que o trabalho fique perfeito.

Os colecionadores mais aficionados costumam expressar uma certa ojeriza em relação ao conceito de uma bacia de suculentas. Geralmente, o termo é utilizado de forma pejorativa, uma vez que, na visão deles, trata-se de uma miscelânea de plantas, dos mais variados gêneros e espécies, amontoadas em um único recipiente.


De fato, do ponto de vista técnico, priorizando as questões de cultivo e manutenção, faz mais sentido manter cada espécie em seu respectivo vaso. Desta forma, cada suculenta é tratada de modo personalizado. Além disso, fica mais fácil fazer o controle de pragas, através de um maior distanciamento entre as plantas. Em uma bacia de suculentas, a probabilidade de um parasita se alastrar por todos os exemplares é grande.

Apesar disso, quem resiste à tentação de montar um arranjo único e personalizado de plantas suculentas? Realizado da forma correta, este projeto pode resultar em um belíssimo elemento decorativo, ainda que venha a exigir maiores cuidados, ao longo do tempo.

A primeira questão a ser pensada, antes da montagem de uma bacia de suculentas, propriamente dita, é quanto ao tema do arranjo. Como bem sabemos, as diferentes espécies de suculentas são originárias das mais variadas regiões do planeta, apresentando requisitos de cultivo bastante distintos, umas das outras. Por exemplo, existem suculentas de sombra, que são ideais para o cultivo dentro de casas e apartamentos. Por outro lado, muitas espécies necessitam de sol pleno para um bom desenvolvimento, sendo mais indicadas para áreas externas.


Também é importante prestar atenção ao porte de cada planta que vai fazer parte da bacia de suculentas. Enquanto algumas espécies apresentam um aspecto mais alto e arbustivo, outras são conhecidas por seu desenvolvimento pendente. Além disso, existem diversas plantas suculentas apreciadas por seu crescimento rasteiro, rente ao solo. Estas são ótimas opções de forração para o arranjo.

Neste contexto, é fundamental montar bacias de suculentas temáticas, que reúnam gêneros e espécies com as mesmas necessidades de cultivo, em termos de luminosidade e irrigação. Plantas que apreciam um ambiente mais sombreado, por exemplo, não podem ser misturadas com espécies de cactos que necessitam de sol direto, durante várias horas por dia.

Tipicamente, uma bacia de suculentas de sombra pode conter espécies dos gêneros Gasteria, Haworthia ou Sansevieria, por exemplo. Estas podem ser misturadas a algumas variedades de cactos de sombra, geralmente de porte pendente.


Já as suculentas dos gêneros Echeveria, Kalanchoe e Graptopetalum, entre outros, podem ser agrupadas em uma bacia de suculentas que fique exposta ao sol pleno, durante boa parte do dia. Este seria um arranjo de inspiração desértica, que também poderia conter diversos cactos globulares e colunares, que apreciem várias horas de sol direto por dia.

Por fim, as suculentas Sedum makinoi, Sedum japonicum, conhecido como Sedum Oro, e Sedum dasyphyllum, por exemplo, são excelentes opções de forração, mais indicadas para bacias de suculentas que fiquem em locais com bons níveis de exposição à luz solar.

Outro aspecto lúdico da montagem de uma bacia de suculentas reside na possibilidade de se brincar com a incrível diversidade de tonalidades que cada espécie pode apresentar. As suculentas coloridas são sempre surpreendentes, porque podem adquirir diferentes matizes, de acordo com a luminosidade, temperatura e frequência de regas.

Os recipientes utilizados na montagem de uma bacia de suculentas podem ser feitos com os mais diversos materiais, como cerâmica, barro, concreto ou plástico. Cada vaso terá uma porosidade diferente, que vai interferir no tempo que o solo em seu interior leva para secar completamente. As bacias de plástico ou resina, por exemplo, tendem a reter a umidade por mais tempo, de modo que a frequência das regas deve ser mais espaçada, nestes casos.


Independentemente do material, todas as bacias de suculentas devem ter um sistema de drenagem, composto por orifícios no fundo do vaso e uma camada de material particulado, que pode ser argila expandida, pedrisco ou cacos de telha. Por cima, uma manta geotêxtil é posicionada, de modo a evitar que o substrato escape pelos furos ou que os mesmos sejam entupidos pelas raízes das suculentas.

O substrato ideal para preencher uma bacia de suculentas é composto por um solo arenoso, bem aerado e facilmente drenável. De modo geral, uma mistura de terra vegetal e areia grossa de construção, em partes iguais, atende a estes requisitos. É importante não utilizar a areia da praia, que contém elevados níveis de salinidade, prejudiciais ao desenvolvimento das raízes. Alternativamente, existem substratos próprios para o cultivo de cactos e suculentas, à venda em lojas especializadas e garden centers.

As bacias de suculentas devem ser regadas de forma bastante espaçada, apenas quando o substrato estiver completamente seco. A melhor forma de se verificar esta situação é colocando a ponta do dedo sobre o solo, afundando levemente. Se ainda estiver úmido, a rega pode ser postergada. Neste sentido, é bom evitar a colocação daquela camada de pedrisco branco sobre o substrato, que tem função apenas decorativa. Além de reter a umidade do solo por mais tempo, este material dificulta a aferição diária com a ponta do dedo.

De modo geral, as diferentes espécies de suculentas estão adaptadas à vida em solos pobres em matéria orgânica, de modo que uma adubação muito intensa é dispensável. Existem fórmulas inorgânicas, do tipo NPK, especialmente desenvolvidas para a nutrição de cactos e suculentas. Uma adubação de manutenção, feita quinzenalmente, é suficiente para garantir um bom desenvolvimento das plantas. É preciso estar atento ao fato de que o excesso de fertilizantes é prejudicial, uma vez que causa o acúmulo de sais minerais no substrato.


Ainda que seja muito bem planejada e montada, uma bacia de suculentas tende a ficar feia, com o passar do tempo. Algumas espécies crescem mais do que as outras. Eventualmente, por falta de luz, algumas suculentas podem apresentar um estiolamento, requerendo uma poda drástica. O fato é que este arranjo requer uma manutenção constante, até o ponto em que, eventualmente, toda a bacia precisa ser refeita, do zero.

Embora possa parecer uma desvantagem, esta é uma excelente oportunidade para exercer o processo criativo, de tempos em tempos, renovando o visual da bacia de suculentas, tantas vezes quanto forem necessárias. Mais do que decorativa, trata-se de uma atividade lúdica, que proporciona momentos de paz e tranquilidade, em meio ao caos em que vivemos.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil