Orquídea Rodriguezia venusta


Rodriguezia venusta
Rodriguezia venusta

A Rodriguezia venusta é uma orquídea de pequeno porte, conhecida por produzir uma delicada haste floral repleta de diminutas flores brancas. Não existe uma norma rígida para a classificação das micro-orquídeas, mas geralmente são colocadas neste grupo aquelas cujas flores não ultrapassam 1 cm. No caso da Rodriguezia venusta, cujas flores medem em torno de 3 cm, poderíamos chamá-la de mini-orquídea. É uma denominação informal.

Popularmente, esta orquídea é conhecida como véu de noiva. Na foto acima, em close up de uma flor individual, é possível ver que as pétalas e sépalas envolvem toda a coluna e labelo, de cima a baixo, como um véu. Na inflorescência em forma de uma densa cascata branca, nem sempre é possível atentar a estes detalhes que se revelam na macrofotografia.

A Rodriguezia venusta é conhecida no exterior como the lovely Rodriguezia, a Rodriguezia adorável. Isso porque venusta vem do latim venustus, que significa belo, elegante, encantador.

Existe uma controvérsia quanto ao nome desta orquídea, para variar. Alguns orquidófilos referem-se a ela como Rodriguezia fragrans. De fato, as flores exalam um perfume acentuado. Outros afirmam que a venusta não possui perfume e a fragrans, sim. Até faz sentido, mas o fato é que ambas as denominações, Rodriguezia venusta e Rodriguezia fragrans são consideradas sinonímias para a mesma orquídea.

A Rodriguezia venusta faz parte da subtribo Oncidiinae, onde também se encontram Oncidium, Gomesa e Capanemia. São orquídeas que geralmente apresentam este padrão de abundantes cachos de pequenas flores perfumadas.

Tanto a Rodriguezia venusta como as demais orquídeas deste gênero costumam ocorrer por todo o continente sul-americano. Pode ser encontrada no Brasil, Colômbia, Equador e Peru.


Orquídea Rodriguezia venusta
Rodriguezia venusta

Trata-se de uma orquídea cujo cultivo é considerado difícil, principalmente devido às suas delicadas raízes aéreas. A Rodriguezia venusta é uma planta de hábito epífito e, como as orquídeas do gênero Oncidium, não tolera raízes úmidas por muito tempo. Também não costuma se adaptar ao cultivo em vasos com substrato. De modo geral, aconselha-se cultivá-la em troncos ou pedaços de madeira, bem como em cachepots feitos com o mesmo material.

Aqui no apartamento, devido ao clima seco e aos ventos constantes, cultivo meu exemplar em uma mistura de casca de pinus, carvão vegetal e musgo sphagnum, em vaso plástico, condição que não é a mais recomendável para a espécie, mas que minha situação climática impõe. Neste caso, é importante não regar em excesso.

O ideal é que a Rodriguezia venusta seja cultivada como uma mini Vanda, com as raízes aéreas e altos níveis de umidade relativa do ar. Vale usar uma fonte de água próxima ou uma bandeja umidificadora

Após alguns anos de cultivo, é a primeira vez que esta orquídea floresce sob meus cuidados. Eu a ganhei de presente do casal Hiroko e Takashi Matsumoto, já adulta e em excelente estado. Sofreu um bocado para se adaptar à varanda, mas agora parece estabilizada, emitindo novos brotos e, inclusive, florescendo! 

O pico da floração da Rodriguezia venusta ocorre no início do verão. Quando bem cuidadas, as flores chegam a durar duas semanas. Trata-se de uma orquídea que, apesar de seu temperamento mais difícil, vale a pena ser incluída na coleção de todo orquidófilo apaixonado pelas miniaturas.


Patrocinado: