Orquídeas vermelhas


Orquídeas vermelhas Slc. Jewel Box e Sl. Jinn
Sophrolaeliocattleya Jewel Box e Sophrolaelia Jinn

Confesso que tenho uma queda por orquídeas vermelhas. Na verdade, por flores vermelhas, de uma maneira geral. Cada pequena variação no tom da cor ou na textura das flores de uma orquídea escarlate já é razão para cobiçar um novo exemplar. Afinal, em se tratando de orquídeas, um vermelho nunca é igual ao outro. Se a flor for pequena, então, aí é que me apaixono de vez.

O principal problema desta fixação reside no fato de que o vermelho é uma cor rara na família Orchidaceae. Poucas espécies de orquídeas rubras ocorrem espontaneamente na natureza. Portanto, ao nos depararmos com representantes nesta coloração, o mais provável é que sejam híbridos. Também é grande a probabilidade de que estes híbridos tenham a Sophronitis coccinea como seu principal ascendente. Há muitos anos, esta espécie vem sendo utilizada como matriz para a produção de belíssimas orquídeas nos mais variados tons de escarlate.




Orquídea vermelha Sophronitis coccinea
Sophronitis coccinea

A Sophronitis Arizona, por exemplo, é um belo representante desta categoria de orquídeas vermelhas. Trata-se de um híbrido primário, resultante do cruzamento entre a Sophronitis coccinea e a Sophronitis brevipedunculata. Outra orquídea famosa por seu tom escarlate único é a Slc. Tutankamen 'Pop'. A grafia parece estar errada, mas ela foi registrada assim.

Na minha coleção, duas orquídeas vermelhas que já floresceram aqui no apartamento, dignas de nota, são estas da foto de abertura do artigo: Slc. Jewel Box 'Dark Waters' e Sl. Jinn. Já as apresentei individualmente em outras ocasiões. Além destas, possuo alguns outros híbridos nesta cor, mas nunca tive a felicidade de vê-los florescer. Só não adquiro mais variedades porque, devo confessar, começo a achar que as disponíveis no mercado estão ficando todas muito parecidas. Ainda assim, cobiço algumas mini Cattleyas, vermelhas ou não, mas que nunca consegui encontrar nos orquidários nacionais.