Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Orquídea Epidendrum fulgens


Orquídea Epidendrum fulgens
Epidendrum fulgens

A família das orquídeas é tão grande, de uma diversidade tão fantástica, que abriga espécies completamente fora da curva, como o Epidendrum fulgens, em quase todos os aspectos diferente da maioria dos seus parentes. Ao contrário da clássica Cattleya, que vive sobre as árvores, esta orquídea terrestre pode ser cultivada no jardim, plantada diretamente no chão. Além disso, é extremamente resistente ao sol pleno, correntes de vento e até à maresia. Popularmente conhecido como orquídea da praia ou orquídea da restiga, este Epidendrum é típico da região costeira do sul e sudeste do Brasil.

O Epidendrum fulgens pode ser cultivado em áreas completamente abertas, em jardins, canteiros e praças. Embora não seja tão popular quanto a famosa orquídea bambu, Arundina graminifolia, tem um efeito similar no paisagismo. Seus pseudobulbos são finos e elongados, podendo ultrapassar os dois metros de altura. Formam naturalmente grandes cercas vivas ou touceiras altas e volumosas. A partir dos ápices destes pseudobulbos, surgem as hastes florais, portando inúmeras flores em um tom alaranjado vibrante, com mesclas de amarelo, que lembram pássaros de fogo.


Alternativamente, algumas orquídeas do gênero Epidendrum também são conhecidas como orquídeas crucifixo, devido ao formato inusitado de suas flores, que se apresentam na orientação contrária à adotada pela maioria das orquídeas. No caso do Epidendrum fulgens, as flores parecem estar de cabeça para baixo, com o labelo voltado para cima. Esta configuração remete-nos ao formato de uma cruz e se deve ao fato de os botões florais, ao contrário do que acontece com as demais orquídeas, não realizarem o processo de ressupinação, em que o labelo  é girado para baixo.

O termo pássaro de fogo não é uma mera figura de linguagem. Desde que foi nomeada, esta espécie de Epidendrum já faz alusão ao fulgor de suas flores. O termo fulgens, em latim, vem do verbo fulgere, que significa brilhar, fulgir.

Orquídea Epidendrum fulgens
Epidendrum fulgens

Trata-se de uma espécie bastante rústica e resistente, vegetando em solo arenoso, debaixo de sol pleno, em seu habitat de origem. O Epidendrum fulgens é genuinamente brasileiro e ocorre ao longo do litoral do país, principalmente na costa dos estados das regiões sul e sudeste, em regiões de restinga. Seu porte vegetativo em nada lembra uma orquídea, muito embora suas raízes também estejam adaptadas para o modo de vida epífito e até mesmo rupícola, possuindo a habilidade de se aderirem aos troncos das árvores ou às pedras.


Existe ainda a possibilidade de formação de híbridos do Epidendrum fulgens com outras espécies, em seu habitat natural. Além disso, existe uma imensa variedade de híbridos, descendentes de diferentes espécies de orquídeas do gênero Epidendrum, desenvolvidos com objetivos ornamentais e comerciais. A grande maioria das orquídeas semelhantes ao Epidendrum fulgens, disponíveis no mercado atualmente, é composta por exemplares híbridos, e podem ser encontrados nas mais diversificadas colorações.

Orquídea Epidendrum fulgens
Epidendrum fulgens

Da mesma forma que tem acontecido com as mini Phalaenopsis, que a cada ano ficam menores, as orquídeas descendentes do Epidendrum fulgens também vêm sofrendo um processo de miniaturização, para suprir as necessidades de um público consumidor crescente das grandes cidades, que a cada dia vive em espaços mais reduzidos.

Esta belíssima orquídea é cultivada há muitos anos pelo casal Tomoko e Helio Simizu, que generosamente ofereceu-me uma muda como presente. A imponente touceira da planta mãe bate recordes de altura a cada ano e, repleta de hastes florais, foi inclusive utilizada como ornamentação de um casamento. O interessante é que a muda, por sua vez, também é uma grande touceira, com seis hastes, aparentando ser ainda maior aqui na sacada do apartamento. Apesar disso, adaptou-se perfeitamente e está linda.

Orquídea Epidendrum fulgens
Epidendrum fulgens

O cultivo desta orquídea é bastante facilitado pelo fato de poder ser feito diretamente na terra, sob sol direto, como uma planta de jardim. Apesar de o Epidendrum fulgens ser bastante resistente, esta não é uma planta que eu recomendaria para quem pretende cultivar orquídeas em apartamento. Isso porque esta orquídea apresenta dois inconvenientes para este tipo de ambiente: ela fica enorme, necessitando de bastante espaço, tanto na horizontal como, principalmente, na vertical. Apenas ambientes com o pé direito muito alto podem comportar o Epidendrum fulgens, quando bem desenvolvido. Além disso, esta é uma orquídea que necessita de elevados níveis de luminosidade, preferencialmente sol pleno, para se desenvolver e florescer adequadamente.



Em ambientes mais sombreados, os pseudobulbos tendem a ficar cada vez mais finos e compridos, podendo inclusive necessitar de um tutoramento. Na natureza, sob sol pleno, estas estruturas adquirem um aspecto mais compacto e robusto. Em apartamentos, é mais difícil conseguir esta condição de iluminação. Outro problema é que, com a ausência de um zênite solar, o Epidendrum fulgens precisa sofrer uma rotação constante, a fim de impedir que seus pseudobulbos fiquem tortos, crescendo em direção à lateral por onde o sol incide. Além disso, em ausência dos raios solares incidindo diretamente sobre a orquídea, esta dificilmente conseguirá florescer.

As regas devem ser moderadas, com um bom espaçamento entre uma irrigação e outra, de modo que a terra ou substrato tenha a oportunidade de secar bem. Apesar de ser uma orquídea de hábitos terrestres, suas raízes possuem características de epífita, com velame, não suportando ficar encharcadas por muito tempo.


Os cuidados com a adubação são os básicos. Por ser uma orquídea rústica, proveniente de ambientes com solos arenosos e mais pobres em matéria orgânica, o Epidendrum fulgens não é muito exigente quanto à fertilização. Aqui no apartamento, costumo dar preferência a uma fórmula inorgânica, do tipo NPK, com macro e micronutrientes. Evito a adubação orgânica porque este material demanda um processo de decomposição, para liberar os nutrientes, ocasião em que odores desagradáveis são exalados, além da atração de insetos indesejáveis.


Em resumo, sob condições favoráveis, a orquídea da praia, Epidendrum fulgens, apresenta um crescimento vigoroso e florações abundantes. Quando plantada em áreas externas, sob sol pleno, requer muito poucos cuidados, sendo uma planta resistente a pragas e de baixa manutenção. Aqui no apartamento, apesar da falta de espaço e dos problemas com a iluminação, este exemplar se desenvolveu e floresceu perfeitamente. Há muito tempo, já havia cogitado cultivar uma orquídea indestrutível. O Epidendrum fulgens, até o momento, é o candidato que mais se aproximou deste requerimento.