Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Orquídea Cattleya intermedia


Orquídea Cattleya intermedia
Cattleya intermedia

Houve uma época, nos primórdios da orquidofilia, que apenas algumas espécies do gênero Cattleya eram conhecidas. Umas apresentavam flores pequenas, enquanto outras eram apreciadas por suas florações mais avantajadas. Foi neste contexto, em meados do século XIX, que a Cattleya intermedia foi descoberta e classificada. Seu nome faz referência ao fato de esta orquídea apresentar flores com um porte mais compacto, intermediário, quando comparado aos de flores pertencentes a outras espécies de orquídeas conhecidas, até aquela ocasião.



A Cattleya intermedia é uma orquídea tipicamente brasileira, sendo bastante apreciada pelos colecionadores. Um dos motivos de sua popularidade reside na quase infinita variedade de cores e formas que suas flores podem apresentar. Cada padrão de colorido acaba ganhando uma denominação, tais como as formas alba, totalmente branca, semi alba, branca com o labelo púrpura, caerulea, levemente azulada, da cor do céu, rubra, mais avermelhada, entre muitas outras.

A região de dispersão da orquídea Cattleya intermedia concentra-se nos estados do sul e sudeste do Brasil. Curiosamente, ela somente não é encontrada, nativamente, no estado do Paraná. O mesmo ocorre com a Laelia purpurata. Também há registros da ocorrência da Cattleya intermedia no Paraguai e Uruguai. Sendo assim, esta é uma espécie que aprecia ambientes com as temperaturas mais amenas. Além disso, esta orquídea precisa vivenciar uma queda mais acentuada de temperatura, durante o inverno, para que suas flores possam surgir, no início da primavera. 

A Cattleya intermedia faz parte de um seleto grupo de orquídeas bifoliadas, que apresentam duas folhas nos ápices de seus pseudobulbos. Também encontram-se nesta categoria a Cattleya bicolor, Cattleya forbesii e Cattleya loddigesii, entre muitas outras. De modo geral, os pseudobulbos destas orquídeas são mais delgados, quando comparados aos apresentados pelas orquídeas unifoliadas, como a Cattleya labiata e Cattleya walkeriana, conhecidas por apresentarem estas estruturas mais robustas e roliças.


Ao contrário de muitas orquídeas bifoliadas, cujos pseudobulbos costumam atingir grandes proporções, o porte da Cattleya intermedia é mais compacto. Sendo assim, esta é uma orquídea perfeita para ser cultivada em apartamentos, já que não ocupa muito espaço. No entanto, neste tipo de ambiente, a planta deve ser posicionada em um local que receba bastante luminosidade, inclusive com algumas horas de sol direto, no início da manhã ou no final da tarde. Na natureza, é comum encontrarmos exemplares vegetando sob sol pleno.

Ainda assim, no cultivo doméstico, é sempre bom proteger a Cattleya intermedia do sol incidente nas horas mais quentes do dia, principalmente à tarde. Em varandas voltadas a oeste, por exemplo, convém protegê-las com uma tela de sombreamento, preferencialmente aquela capaz de filtrar 50% dos raios solares. Uma outra alternativa interessante consiste em posicionar esta orquídea atrás de outras plantas mais resistentes ao sol pleno.

No extremo oposto, quando a Cattleya intermedia é cultivada em ambientes internos, pode encontrar alguma dificuldade para florescer, em função da falta de luminosidade. Nesta situação, é importante que o vaso fique posicionado bem próximo ao parapeito de uma janela ensolarada, preferencialmente face norte.


Outro fator determinante para que a Cattleya intermedia floresça, em sua estação característica, é a  queda de temperatura, no início do inverno. Mais precisamente, ela precisa sentir uma maior diferença de temperatura, entre o dia e a noite, com a chegada da estação mais fria do ano. Como o interior de casas e apartamentos costuma apresentar temperaturas constantes, uniformemente ao longo de todo o ano, a orquídea pode deixar de florescer, por falta de um sinal climático importante.

Neste sentido, orquídeas cultivadas em áreas externas, ainda que seja uma sacada de apartamento, costumam florescer com mais facilidade. Esta queda de temperatura também é importante para as florações de orquídeas mais comuns, tais como Cymbidium, Dendrobium e, até mesmo, Phalaenopsis.

Um outro elemento decisivo para que a Cattleya intermedia produza flores em abundância é a adubação. Nos três meses que antecedem o início da primavera, que é a época mais característica em que esta orquídea floresce, é aconselhável fornecer um fertilizante mais rico em fósforo, próprio para estimular a floração de orquídeas em geral. Nas demais estações do ano, um adubo de manutenção, do tipo NPK, com macro e micronutrientes em níveis equilibrados, é suficiente para garantir o bom desenvolvimento da Cattleya intermedia.


Sendo uma orquídea que apresenta um hábito predominantemente epífito de vida, a Cattleya intermedia desenvolve-se melhor quando amarrada aos troncos das árvores. Alternativamente, pode-se fazer uso de pedaços de madeira, leques e cachepots vazados, feitos do mesmo material, pedaços de troncos ou cascas de árvores, além de uma série de outros elementos que sirvam de suporte para a fixação e desenvolvimento das raízes desta orquídea. Sob estas condições de cultivo, no entanto, os níveis de umidade relativa do ar, no ambiente de cultivo, precisam ser elevados, já que as raízes permanecem aéreas, sem a presença de um substrato.

Neste contexto, os vasos e substratos surgem como facilitadores do cultivo de orquídeas epífitas, de um modo geral. Existem aqueles cultivadores que preferem os vasos de barro, outros gostam mais dos de plástico. O importante é escolher o material que melhor se adeque ao ambiente no qual a Cattleya intermedia é cultivada. O vaso de plástico apresenta a vantagem de ser mais leve, barato e reter a umidade por um período mais prolongado. Por outro lado, o vaso de cerâmica, por ser mais poroso, tende a secar mais rapidamente. Além disso, este material tende a acumular os sais minerais provenientes da adubação, de modo que lavagens periódicas se fazem necessárias.

As regas da Cattleya intermedia devem ser espaçadas, de forma que o substrato possa secar, entre uma irrigação e outra. Como toda orquídea epífita, esta espécie não tolera o excesso de umidade em suas raízes, por um período muito prolongado. Por este motivo, é sempre aconselhável regá-la no início da manhã, para que o substrato tenha tempo de secar, ao longo do dia.

Em resumo, a orquídea Cattleya intermedia costuma ser considerada de fácil cultivo, bastante resistente e que requer uma manutenção básica, semelhante àquela dispensada à maioria das orquídeas epífitas. Em função do seu porte compacto e de seus pseudobulbos comportados, constitui-se em uma ótima opção para quem dispõe de espaços pequenos para o cultivo de suas orquídeas.