A orquídea das pedras


Mini-orquídea Laelia longipes
Laelia longipes

Quando pensamos em orquídeas, logo imaginamos uma densa e úmida floresta tropical, com árvores cobertas pelos mais belos representantes desta bela família de plantas. No entanto, algumas espécies aventuraram-se a descer do salto tronco e passaram a viver no chão. São as orquídeas terrestres. Outras foram ainda além e ousaram vegetar sobre as rochas ensolaradas dos cumes das montanhas. A estas heroínas, damos o nome de orquídeas rupícolas.

É o caso desta exótica Laelia longipes da foto acima, também conhecida como Hoffmannseggella longipes. Apesar do habitat árido, as Laelias rupícolas são conhecidas pela beleza e delicadeza de suas flores. Quem observa estas orquídeas vegetando sob sol pleno, com as raízes fincadas entre as rochas, recebendo muito pouca água, deve imaginar que são bastante resistentes e de fácil cultivo.

Paradoxalmente, as orquídeas desta categoria sui generis são consideradas difíceis de se cultivar. Caso tentemos reproduzir suas condições naturais, com sol à vontade e pedra como substrato, o mais provável é que percamos a planta. Neste sentido, muitos recomendam um cultivo doméstico mais convencional, com o típico substrato para orquídeas, composto por casca de pinus e carvão vegetal. Alguns têm sucesso com brita ou pedra canga. A luminosidade, neste caso, precisa ser bastante intensa, porém indireta.

Já havia apresentado outras fotos desta floração, mas resolvi trazer uma nova tomada, apenas para que vocês apreciem um pouco mais a beleza da forma e a surpreendente combinação das cores desta flor incomum.

18 comentários:

  1. Esse labelo encanta...fascina!....Belo cultivo,Sergio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suely! É verdade, também gosto bastante desta estrutura! Que bom ler o seu comentário, muito obrigado pelo carinho da visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Que belo artigo, Sergio! E que maravilha esta orquídea... a cor é espetacular! Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alexia! Que bom saber que gostou desta orquídea! De fato, acho o contraste das cores algo fascinante. Muito obrigado pela visita e apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Ótimo artigo sobre esse bela orquídea... acho a floração dessa "Laelia longipes" tão exótica ela tem uma coloração tão vivaz e ao mesmo tempo singela. Bela planta Sergio. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Ricardo? Que ótimo receber sua visita, fico contente que tenha gostado do artigo! Muito obrigado pelo comentário e pelas palavras de apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Olá Sérgio..é mesmo um paradoxo...mas por exemplo, plantas como estas recebem - na natureza - um sereno mt bom e q nós não conseguimos, obviamente, reproduzir, dentre outros presentes da natureza!
    Abraço, agradecemos a postagem e informações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jalo! É verdade, tem razão! O máximo que podemos fazer é tentar dar condições para que elas sobrevivam em ambientes não naturais. Mas imagine, eu que agradeço pela visita e apoio, sempre!

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. Oi Sergio, muito boa noite!
    Estou tão surpresa com este lilás! Sim, já o vi, mas agora parece que tem um plus a mais!

    Aliás, todo o seu texto está maravilhoso! Adoro quando diz que as orquídeas desceram do "salto"- tronco..rsrs e passaram a ser divinamente terrestres.... legal mesmo! Espero que pelo fato delas descerem do salto não se tornem orquídeas "barraqueiras" que vivem se metendo em confusão com as demais plantas da floresta não é amigo? rsrs

    Uma piadinha para descontrair as orquídeas tá amigo? Espero que elas não fiquem bravas comigo e nem você!!!
    Beijão e uma semana maravilhosa!!! :)))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana, tudo bem? Há quanto tempo! Estava mesmo sentindo falta do bom humor dos seus comentários! De fato, embora tenham descido do salto, permanecem todas muito bem comportadas!

      Que bom saber que gostou do texto, agradeço de coração pelo apoio e incentivo, a cada visita!

      Beijo grande e tudo de bom para você!

      Excluir
  6. Olá Sérgio,
    Nunca é demais apreciar esta maravilha da natureza. Parabéns pela magnífica planta e pelo texto elucidativo e didático, acerca destas espécies. Há um ano que estou tentando cultivar duas L rupícolas "Brasileiras" , cujas plantas se estão dando lindamente em´apenas brita miúda, esperando um dia ver uma floração destas.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Américo! Que bom que gostou do texto, muito obrigado pelo apoio! Fico muito contente por saber que está cultivando as rupícolas na brita, o que faz bastante sentido! Aguardarei ansioso pela floração! E agradeço pela valiosa contribuição ao assunto!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Ah, Sérgio...Ela é belíssima!!! Fiquei encantada!!! Sem dúvida já li sobre elas, e sempre as admiro muito pela resistência natural à aridez do substrato e exposição à radiação solar. Mas entendo como deve ser difícil a gente reproduzir em casa as mesmas condições dessas plantas endêmicas e tão exóticas... E que bom também saber que elas podem ser criadas através do modo convencional! Nunca tive a experiência de tentar criá-las, mas ter essas maravilhosas flores como presente, vale o esforço e a coragem!
    Abraço carinhoso das flores daqui!!!
    Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Teresa, que bom que gostou! De fato, na natureza existem condições que jamais poderemos reproduzir. Mas já é um alento que possamos cultivar estas pequenas joias e apreciar sua beleza em nossas casas. Com certeza, vale a pena tentar!

      Que ótimo ler suas mensagens, muito obrigado pelo carinho e consideração!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. Fique apaixonada pelas belezas das orquidias amo orquidias mais não sei com cultivalas Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivani, tudo bem? Que bom que gosta de orquídeas, tenho certeza de que terá belíssimas plantas. Basta um pouco de paciência e prática. Muito obrigado pela visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. Sérgio ,muito lindo seu trabalho.Estou pesquisando um modo de plantio de orquídeas em pedras.Tem algum conhecimento ?Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sandra, tudo bem? Que bom que está gostando, muito obrigado pelo apoio! Sim, há orquidófilos que cultivam em diferentes tipos de pedra. As Laelias rupícolas, por exemplo, costumam ser cultivadas em pedra canga. Também existe um grupo de cultivadores que utiliza apenas brita como substrato. O Sérgio Leite, da Sociedade Orquidófila Cantareira, em São Paulo, é especialista neste tipo de cultivo.

      Um grande abraço!

      Excluir