Como cuidar de orquídeas


Orquídea Sophronitis Arizona
Sophronitis Arizona

25 dicas expressas para melhorar o 

cultivo de orquídeas em apartamento



1. O vento constante é inimigo das orquídeas. Desidrata a planta, retira a umidade do ambiente e atrapalha o crescimento das raízes e a fixação da planta no vaso.

2. Caso as orquídeas estejam em uma varanda aberta, em um andar alto, evite pendurar os vasos. Com o vento forte, eles poderão balançar, girar, chocar-se uns com os outros e, eventualmente, espatifar-se no chão.

3. Dê preferência a posicionar as orquídeas no chão ou próximo a ele. Quanto mais alto o local de cultivo na sacada, maior o estrago causado pelo vento.

4. Posicione plantas mais resistentes na frente das orquídeas, de modo a formar um anteparo contra o vento e o sol direto.

5. Banheiros e áreas de serviço, desde que bem iluminados, são bons locais para se cultivar orquídeas, devido à umidade que propiciam às plantas.

6. Dentro de casa ou apartamento, posicione as orquídeas o mais próximo possível da janela, em um nível mais elevado, junto ao parapeito. 

7. Algumas orquídeas vivem sob sol pleno, mas a maioria precisa de luminosidade indireta para se desenvolver adequadamente. A intensidade depende do gênero cultivado.

8. Procure girar a orquídea periodicamente, para que todos os lados recebam luz e cresçam de maneira uniforme. Este procedimento também evita que a planta se desenvolva horizontalmente.

9. Durante a formação da haste floral, mantenha a orquídea na mesma posição em relação à fonte de luminosidade, para evitar florações tortas e desalinhadas.

10. Quando for regar, evite molhar flores e botões florais. O excesso de umidade causa o aparecimento de pintinhas amarronzadas, causadas pelo fungo Botrytis cinerea.

11. Caso seja possível, mantenha molhado o chão do local de cultivo, principalmente em dias muito quentes.

12. Mantenha bandejas umidificadoras, com uma camada de pedrisco e uma lâmina de água no fundo, embaixo dos vasos de orquídeas, evitando que a água toque as raízes.

13. Regue somente quando o substrato estiver seco. Basta colocar o dedo e sentir a umidade. Alternativamente, com o tempo, adquire-se a prática de sentir o peso do vaso. Quando estiver leve, é hora de regar.

14. Periodicamente, leve todas as orquídeas para um banho debaixo da torneira, na pia, no tanque ou no box do banheiro. Caso possa fazê-lo com mangueira, no local de cultivo, melhor ainda.

15. A adubação química, dentro de casas e apartamentos, é mais recomendada por não exalar odores nem atrair insetos, problemas que costumam ocorrer com o uso de adubos orgânicos.

16. Procure adubar com metade da dose recomendada pelo fabricante, para evitar acúmulo de sais no substrato.

17. A planta precisa estar bem firme no vaso, com o auxílio de arames e tutores. As raízes de orquídeas bambas não se desenvolvem, param de crescer com o atrito intermitente.

18. Vento constante, baixos níveis de umidade relativa do ar, sol direto, mudanças bruscas de temperatura, estes são alguns dos fatores que podem fazer com que os botões florais amarelem e caiam, antes de desabrocharem.

19. Folhas amarelas nem sempre são sinal de doença. Muitas orquídeas as perdem naturalmente em um período do ciclo de vida.

20. Inspecione periodicamente as orquídeas com mais cuidado, manuseando o vaso, já que as pragas concentram-se em pontos que não costumamos visualizar.

21. Amontoar muitas orquídeas em um espaço pequeno pode favorecer o surgimento e a disseminação de doenças e insetos parasitas.

22. Ambientes fechados, com pouca ventilação, são propícios ao desenvolvimento de doenças fúngicas e bacterianas.

23. Procure dificultar o acesso dos animais de estimação ao local de cultivo, já que eles costumam mordiscar folhas e flores. Orquídeas, no entanto, não fazem mal aos bichos.

24. Orquídeas não são parasitas, carnívoras, nem venenosas!

25. Os principais artigos com dicas de cultivo já publicados no blog encontram-se a seguir: Como cuidar de orquídeas.





Informações sobre orquídeas: Quanto valem?


Orquídea Cattleya bowringiana
Cattleya bowringiana

Há alguns anos, estava eu na academia, pensando na vida, sentado em frente a um aparelho que encontrava-se em manutenção. Quando um rapaz aproximou-se para usá-lo, eu gentilmente o avisei sobre a situação do equipamento, que estava inoperante. Ele virou-se para mim e perguntou: Quem disse? Fiquei embasbacado com a finesse do moço...

Hoje, acho graça da situação e percebo que a pergunta faz sentido. Principalmente em relação às dicas sobre o cultivo de orquídeas. É crescente o número de grupos de discussão nas redes sociais, sites, blogs, youtubers e gurus que se propõem a ensinar como cuidar de orquídeas. Esta troca de informações e experiências é extremamente saudável e valiosa. Mas quem está certo?

O problema desta democratização da propagação do conhecimento é que, nem sempre, as dicas e os ensinamentos têm embasamento científico. São muitas informações, quase sempre totalmente desencontradas e conflitantes. Quando o assunto são orquídeas, cada um tem seu método de cultivo, seus segredos, sua experiência. O que é bom para um pode não o ser para outro. Tudo depende muito do clima da cidade em que a pessoa está, do local de cultivo, se o cultivador mantém as plantas em orquidário, quintal, casa ou apartamento.

Para piorar a situação, é cada vez maior o número de sites anunciando a venda de guias milagrosos de cultivo de orquídeas. São páginas, na minha opinião, sensacionalistas, que começam fornecendo algumas informações vagas sobre como cuidar de orquídeas e terminam vendendo um manual infalível sobre o assunto. Geralmente, você não sabe o nome do autor deste material, não vê sua foto, não tem perfil em rede social, nem há qualquer conexão com a vida real. Até o manual de cultivo é virtual, você não recebe um livro físico.

Muitos me peguntam o motivo de eu não escrever um livro sobre como cuidar de orquídeas em apartamento. Já pensei bastante sobre o assunto, é uma ideia que me atrai. No entanto, para começo de conversa, não há editoras interessadas em publicar este livro. Além disso, ponho-me a pensar... Por que eu venderia um livro com as dicas de cultivo que eu já disponibilizo de graça aqui neste blog? Por que eu imprimiria e cobraria por fotos de orquídeas que já se encontram livres para visualização de todos, aqui, no Facebook e no Instagram? Seria um material redundante, só que pago.

No meu caso, acho que não faz sentido. Não me sentiria bem. É verdade que existem livros magníficos sobre orquídeas, disponíveis no mercado, e que valem cada centavo. São obras bem elaboradas, cientificamente embasadas, de autores conceituados e experientes. Frutos de anos de trabalho e que merecem ser recompensados financeiramente. Bem diferentes destes guias miraculosos de internet, que custam caro e são apenas material virtual, produzidos de maneira amadora e barata.

Por isso, acho importante a pergunta do menino malcriado da academia: Quem disse? Antes de desembolsar dinheiro por informações sobre como cuidar de orquídeas, é importante saber quem está escrevendo o material. Quem é o autor? O que ele sabe sobre o assunto, como são as plantas dele, onde suas orquídeas são cultivadas? Há manuais de orquídeas, vendidos no Brasil, escritos por franceses e americanos. Não é a mesma coisa, são condições climáticas e culturais completamente diferentes. É importante estarmos atentos à fonte da informação, acima de tudo. Quer ela esteja publicada em um livro, em um site, blog, grupo de discussão ou guia virtual.




Orquídeas Amarelas


Orquídea Sophrolaeliocattleya Golden Acclaim 'Richella'
Sophrolaeliocattleya Golden Acclaim 'Richella'

Tudo bem, Pessoal? Assim como fiz com as orquídeas vermelhas, hoje trago uma seleção das orquídeas amarelas que já passaram pela sacada do apartamento. Curiosamente, a grande maioria é composta por orquídeas híbridas, pelas quais confesso ter uma queda. Ainda assim, sinto falta de espécies na minha coleção.

Começo pela Sophrolaeliocattleya Golden Acclaim 'Richella', uma orquídea amarela de porte compacto e flores relativamente grandes. Desde que chegou ao apartamento, vem florescendo ininterruptamente, várias vezes por ano. Além disso, costuma apresentar fartas florações, tendo emitido até 5 flores em um mesmo pseudobulbo.

Nesta coloração amarela, também temos as famosas orquídeas chuva de ouro, que costumam fazer bastante sucesso junto ao público consumidor. Dentre elas, estão o Oncidium Aloha 'Iwanaga', Oncidium Twinkle 'Yellow Fantasy' e Oncidium pumilum, atual Lophiaris pumila.


Orquídea Oncidium Twinkle 'Yellow Fantasy'
Oncidium Twinkle 'Yellow Fantasy'

Outra orquídea amarela digna de nota é a Potinara Burana Beauty 'Burana', bastante florífera e vistosa. Este é outro híbrido que costuma florescer mais de uma vez ao ano. Aqui no apartamento, adaptou-se muito bem, apresentando um crescimento vigoroso. O único problema é que costuma ser alvo frequente de pragas, principalmente cochonilhas.

Tenho controlado infestações deste tipo com a retirada manual das espécies de carapaça e através da pulverização com soluções de água com óleo de cozinha e detergente líquido neutro.


Potinara Burana Beauty 'Burana' Orchid
Potinara Burana Beauty 'Burana'

A orquídea híbrida do gênero Cymbidium da foto abaixo apresenta flores em uma coloração amarela bem suave, quase creme, dependendo da  luminosidade ambiente. O labelo vinho contrastante é um charme à parte.


Orquídea Cymbidium híbrida
Cymbidium híbrido

Claro que, em se tratando das Orquídeas no Apê, não poderíamos deixar de apresentar uma micro-orquídea amarela. A Masdevallia Angel Frost é um híbrido em miniatura, bastante delicado, de exóticas e elegantes florações. É uma planta que aprecia locais de clima ameno, sombreados, com bastante umidade. Por esta razão, sua sobrevivência na varanda do apartamento não é tão tranquila.


Orquídea Masdevallia Angel Frost
Masdevallia Angel Frost

Por fim, uma orquídea amarela que não é muito assídua aqui no orquidário, mas que merece ser mencionada. Trata-se do Dendrobium Stardust 'Chiyomi', híbrido que também existe em outras colorações. Devido à minha dificuldade em realizar o stress hídrico, procedimento que consiste em reduzir as regas durante o inverno, costumo passar alguns anos sem ver a floração desta orquídea. 

No ano de 2016, por sorte, esta orquídea amarela deu o ar da graça e acabou aparecendo no jornal O Estado de São Paulo, no caderno Casa Estadão.


Orquídea Dendrobium Stardust 'Chiyomi'
Dendrobium Stardust 'Chiyomi'

Claro que esta não é uma lista completa das orquídeas amarelas, até porque minha coleção é bem pequena. Mas trata-se de uma cor que admiro bastante e sei que é a favorita da Ananda Apple. Com o tempo, pretendo adquirir outros exemplares e, se tudo der certo, volto para incrementar esta compilação.

Uma versão em inglês deste artigo encontra-se no link a seguir: Yellow Orchids.