Novidades no Berçário de Suculentas


Berçário de Suculentas
Berçário de Suculentas

Conforme prometido, trago notícias atualizadas sobre o desenvolvimento das folhas de plantas suculentas, no famoso berçário que apresentei no final do ano passado.

Embora uma ou outra raiz já pudesse ser observada após uma semana de cultivo, as mudanças mais significativas só começaram a acontecer um mês após a introdução das folhas no berçário. Durante este período, é importante deixar o substrato sempre umedecido, sem encharcar. Na verdade, eu particularmente apenas pingo algumas gotas de água, concentrando-as na região em que esperamos que surjam os novos brotos e raízes.

A composição deste substrato varia bastante, dependendo do cultivador. Confesso que nunca vi um berçário de suculentas feito com musgo sphagnum em recipiente de vidro. Gosto desta combinação porque consigo ver facilmente quando o material seca, através da mudança de coloração. O vidro sem drenagem impede que exageremos na rega, além de permitir a conservação da umidade por mais tempo.

Nas fotos a seguir, uma coletânea de alguns dos progressos observados durante este período de cultivo. A velocidade da evolução varia bastante, de acordo com o gênero de suculenta a ser propagado. Algumas folhas permanecem completamente estacionadas. Outras apenas emitiram raízes, enquanto as mais apressadinhas já estão com pequenas plântulas formadas.


Folha de Crassula ovata - Enraizando
Folha de Crassula ovata - Enraizando


Folha de Echeveria - Brotando
Folha de Echeveria - Brotando


Folha de Echeveria - Brotando (zoom)
Folha de Echeveria - Brotando (zoom)


Folha de Echeveria - Brotando
Folha de Echeveria - Brotando


Folha de Echeveria - Brotando (zoom)
Folha de Echeveria - Brotando (zoom)


Folha de Graptopetalum paraguayense - Brotando
Folha de Graptopetalum paraguayense - Brotando


Folha de Graptopetalum paraguayense - Brotando (zoom)
Folha de Graptopetalum paraguayense - Brotando (zoom)


Nova suculenta em formação
Nova suculenta em formação


Nova suculenta em formação (zoom)
Nova suculenta em formação (zoom)

É uma diversão infinita. Passo horas observando cada alteração, meus pais acham que enlouqueci. Nada de ficar dois anos esperando pela flor de uma orquídea. As suculentas, enquanto crescem e se multiplicam, fornecem um farto material diário para entreter e surpreender qualquer pessoa que aprecie plantas. 


Ano Novo com Suculentas


Mix de Suculentas
Mix de Suculentas

Tudo bem, Pessoal? Um ótimo 2018 a todos! Após um breve recesso de final de ano, estamos de volta com novidades. Devido ao meu desgosto com algumas orquídeas e orquidófilos, com os quais tenho me decepcionado bastante, decidi voltar às origens e expandir o espectro das plantas abordadas neste blog.

Na verdade, desde o início, venho apresentando neste espaço outras famílias botânicas que não a Orchidaceae. Um dos posts mais acessados é sobre a mini samambaia havaiana, por exemplo. Além disso, temos aqui uma compilação com sugestões de plantas para interiores.

A cor do ano escolhida para 2017, pela Pantone, foi o Greenery, um tom entre o verde e o amarelo bastante presente nas folhagens, que estiveram e continuam bastante em alta na decoração de ambientes internos.

Para 2018, elegi como uma das minhas metas o esverdeamento do meu quarto, introduzindo a maior quantidade de plantas que for possível. É incrível a capacidade destes seres vivos de alegrar um ambiente. Coincidentemente, ganhei várias plantas no Natal, que já estão devidamente acondicionadas em vários ambientes do apê.

Este belo presente, que inclui o mix de sculentas apresentado neste artigo, veio do casal Tomoko e Helio Simizu, que mantém um verdadeiro jardim botânico em sua residência, repleta de belíssimas plantas de todas as espécies possíveis, sempre cultivadas de forma orgânica e sustentável. Um exemplo admirável.

Ao longo dos próximos artigos, além das orquídeas, vou apresentar as suculentas com mais detalhes, contar novidades sobre o berçário destas plantas, além de apresentar novas folhagens que adquiri para o quarto. Conto com a companhia de vocês!


Orquídea Dendrobium aggregatum


Orquídea Dendrobium aggregatum
Dendrobium aggregatum

Esta é uma orquídea que demorou a florescer, aqui no apê. Após dois anos de cultivo, eis que um botão floral inédito finalmente surgiu, há alguns meses, para minha surpresa. Hoje, um pouco atrasado, trago para vocês a floração completa deste Dendrobium aggregatum, que ocorreu durante o auge da primavera, nos meses de outubro e novembro deste ano.

Também conhecida como Dendrobium lindleyi, em homenagem ao botânico inglês John Lindley, esta orquídea é típica de diversos países asiáticos, tais como China, Laos, Tailândia e Vietnã. Trata-se de uma orquídea epífita, de pequeno porte, cuja floração costuma ser abundante, consistindo em longas hastes repletas de avantajadas flores amarelas. No meu caso, apesar de possuir uma planta com um bom aspecto vegetativo e inúmeros pseudobulbos, obtive uma floração modesta, com apenas uma haste portando três flores. 

Como resultado, a haste floral permaneceu ereta, facilitando em muito a obtenção da foto que ilustra este artigo. Geralmente, devido ao maior número de flores, os cachos acabam tornando-se pendentes, proporcionando um espetáculo de floração. Espero que a coisa melhore no ano que vem.

O cultivo desta orquídea é um pouco mais dificultado devido às grandes mudanças que precisam ser aplicadas ao regime de regas e adubação, dependendo da estação do ano. Durante os meses do verão, quando novos pseudobulbos estão em desenvolvimento, as regas precisam ser abundantes. O substrato pode ser mantido mais úmido, neste período. No final do outono, e durante todo o inverno, é necessário aplicar o chamado stress hídrico, procedimento através do qual as regas são drasticamente reduzidas. A adubação também pode ser suspensa. 

O substrato mais seco, combinado com a queda de temperatura e diminuição de nutrientes, sinalizará à planta que a época de floração aproxima-se. Tomadas estas precauções, as hastes florais devem começar a surgir com a chegada da primavera. Nesta ocasião, as regas podem ser retomadas.

O meu Dendrobium aggregatum, como a maioria das minhas orquídeas, está sendo cultivado em um pequeno vaso de plástico preenchido com musgo sphagnum. Eu ganhei a planta do casal Hiroko e Takashi Matsumoto, há dois anos. Tem sido uma grande alegria acompanhar a evolução desta orquídea, que considero belíssima, pelo colorido exuberante e pela generosidade da floração.