A mini Cattleya de Bateman


Mini-orquídea Sophrocattleya Batemaniana
Sophrocattleya Batemaniana

Os produtores de orquídeas vêm cruzando e selecionando plantas, ao longo dos anos, com o intuito de obter flores cada vez maiores e mais vistosas. Na contramão do mercado atual, o lendário orquidário Veitch produziu, em 1886, uma miniatura de Cattleya. Pela primeira vez, utilizou a Sophronitis coccinea em um cruzamento, planta de porte pequeno e cultivo exigente. O par selecionado foi a Cattleya intermedia. Resultou deste experimento a Sophrocattleya Batemaniana, híbrido primário de porte mini e beleza maxi. Seu nome homenageia o célebre orquidófilo inglês James Bateman.

Apesar de bastante antiga, esta é uma orquídea difícil de ser encontrada nos orquidários atuais. Acho uma pena, já que as possibilidades de cores são infinitas, dependendo da variedade utilizada no cruzamento. O exemplar da foto acima une o porte mini e o vermelho exuberante da Sophronitis coccinea tipo ao flameado discreto da Cattleya intermedia flamea. Fico imaginando como seriam os resultados com formas albas, caeruleas, orlatas ou marginatas.

Esta é a mini-orquídea que salvei de um desastre, quase causado por mim mesmo. Talvez devido a este incidente, um dos botões não se desenvolveu bem. Felizmente, o que sobreviveu compensou toda a espera e o stress.