Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
EM ALTA
Orquídeas Amarelas   Orquídea Denphal   Suculenta Kalanchoe

Epipremnum aureum   Monstera adansonii   Trapoeraba Roxa

Orquídea Encyclia


Orquídea Encyclia randii
| Encyclia randii |

Esta é uma orquídea mais discreta, de flores menores e cores sóbrias. O gênero Encyclia é composto por espécies bastante semelhantes entre si, de modo que sua correta identificação é sempre desafiadora. Além disso, mudanças constantes em seus nomes científicos contribuem para que mais confusões aconteçam. Embora sejam planas lindas, as Encyclias costumam ser cultivadas por colecionadores, interessados nas peculiaridades botânicas de cada espécie, como a Encyclia randii que ilustra este artigo.

Menos explorada comercialmente, por suas características ornamentais, a orquídea Encyclia possui pétalas e sépalas mais delgadas, levemente onduladas, geralmente apresentando uma coloração castanha, mais fechada. O labelo costuma ser branco, com discretas marcações em púrpura. É interessante notar que, no gênero Encyclia, as formas albinas não são completamente brancas. Nestes casos, as pétalas e sépalas são verdes, possuindo apenas o labelo inteiramente branco.


O gênero Encyclia ocorre exclusivamente nas Américas. Suas diferentes espécies distribuem-se pelo sul da América do Norte, no estado americano da Flórida e no México, podendo também ser encontrada nas ilhas do Caribe, na América Central. Trata-se de uma orquídea de clima tropical, habitando florestas úmidas e sombreadas, sob a forma epífita.

Isso significa que as raízes da orquídea Encyclia possuem a capacidade de absorver água a partir da umidade presente no ambiente, ao mesmo tempo em que provêm suporte à planta, entrelaçando-se pelos troncos das árvores. Nenhuma orquídea epífita retira nutrientes de seus hospedeiros e, sendo assim, não se tratam de plantas parasitas.

As árvores ajudam as orquídeas a se aproximarem mais da fonte luminosa, o sol, que é parcialmente obstruído pelas copas mais altas. No solo das florestas, o ambiente é muito mais sombreado e distante dos raios solares.


Uma das características mais marcantes das orquídeas pertencentes ao gênero Encyclia é a presença de pseudobulbos esféricos, cujo formato lembra o de uma cebola. As folhas surgem a partir dos ápices destas estruturas, apresentando um formato longo e afilado, lanceolado, de aspecto mais consistente.

A orquídea Encyclia foi descrita originalmente em 1828, pelo botânico inglês William Jackson Hooker, à época diretor do Royal Botanic Gardens, também conhecido como Kew Gardens, em Londres. Tanto o pesquisador, pessoa física, como a instituição, são renomadas autoridades na classificação científica de diferentes espécies botânicas, ao redor do mundo.

A Encyclia viridiflora é considerada a espécie tipo, aquela que foi originalmente encontrada e utilizada como modelo para a proposição formal de todo o gênero. Ainda assim, não é a mais conhecida. Aqui no Brasil, é comum encontrarmos as espécies Encyclia randii, Encyclia cordigera e Encyclia bracteata, entre outras, nas coleções dos especialistas. A espécie Encyclia fragrans, como seu nome já indica, produz flores bastante perfumadas, que exalam um odor adocicado, lembrando a baunilha.


Como uma orquídea epífita, a Encyclia fica perfeita em troncos de árvores, pedaços de madeira com ranhuras, para auxiliar a fixação das raízes, cascas rugosas de árvore, como a peroba, além de cachepots vazados e uma infinidade de outros suportes, capazes da dar sustentação às raízes aéreas da planta.

No entanto, por estarem expostas ao ambiente, as raízes necessitam de um ambiente com elevados níveis de umidade relativa do ar, preferencialmente acima de 60%. Além disso, a Encyclia não pode ficar exposta a correntes de vento ou sol direto intenso, condições que desidratam rapidamente as suas raízes.

Para contornar estes problemas, os cultivadores utilizam vasos preenchidos com substratos próprios para o cultivo de orquídeas epífitas. O material mais comumente utilizado é aquele composto por casca de pinus, carvão vegetal e fibra de coco. É uma receita universal e que funciona muito bem. Alternativamente, existem materiais menos conhecidos, como a casca de macadâmia, a brita pura e o musgo sphagnum.


O importante é que, tanto o substrato como o vaso, que pode ser de barro ou plástico, proporcionem uma boa aeração às raízes da Encyclia, de modo que estas estruturas tenham a oportunidade de secar rapidamente, após as regas. Estas devem ser moderadas e variam conforme o clima local e as estações do ano, sempre de modo que as raízes não fiquem em um ambiente úmido por muito tempo.

A adubação da orquídea Encyclia pode ser orgânica, mineral ou mista, dependendo da preferência do cultivador. Como são muitas as opções, prefiro a simplicidade das fórmulas específicas para o cultivo de orquídeas, compostas por macro e micronutrientes em proporções equilibradas, desenhadas para cada fase do desenvolvimento da planta. Neste sentido, alterno fórmulas de manutenção, com níveis similares de nitrogênio, fósforo e potássio, NPK, com adubos de floração, onde a concentração de fósforo, a letra P, é mais elevada.

É sempre importante utilizar metade da dose recomendada pelo fabricante. As orquídeas, em seus habitats de origem, estão acostumadas ao fornecimento escasso e esporádico de nutrientes, que costumam chegar através do vento ou com a água das chuvas, constituindo-se de pequenos detritos orgânicos resultantes da vida nas florestas. Sendo assim, no cultivo doméstico, a fertilização não precisa ser intensa. Além disso, os sais minerais presentes nos adubos inorgânicos tendem a se acumular no substrato, causando um aumento na salinidade do material. Por osmose, a água tende a sair das raízes, desidratando estas estruturas.


A Encyclia é uma orquídea que aprecia níveis abundantes de luminosidade. No entanto, a planta deve ser protegida do sol direto, que pode causar queimaduras em suas folhas. O sol da manhã é ideal para garantir um bom desenvolvimento à orquídea e induzir sua floração. Dentro de casas e apartamentos, é importante que o vaso fique posicionado bem próximo a uma janela ampla e bem iluminada. As posições voltadas ao norte são as ideais, em ambientes internos. Já as janelas face oeste, que recebem o sol mais intenso da tarde, devem ser protegidas por uma cortina fina ou tela de sombreamento. O mesmo vale para varandas e coberturas muito ensolaradas.

Por fim, vale ressaltar que a taxonomia botânica é uma ciência que apresenta mudanças tão rápidas e frenéticas, que nem os estudiosos a ela dedicados conseguem chegar a um acordo. Neste contexto caótico, as espécies pertencentes ao gênero Encyclia podem passear por outras nomenclaturas científicas, tais como Epidendrum e Prosthechea. Esta informação é importante na hora de comprar as plantas, já que suas identificações podem variar.

Para aqueles que apreciam a beleza sutil e minimalista presente nos pequenos detalhes, as espécies de Encyclia são uma excelente opção para as coleções botânicas mais sofisticadas.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil