Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê

Suculenta Sedum lineare


Suculenta Sedum lineare
Sedum lineare

No vasto universo morfológico das plantas genericamente chamadas de suculentas, a espécie botânica Sedum lineare é uma das que apresentam as folhas mais delgadas e delicadas, fugindo do estereótipo de vegetais arredondados e rechonchudos. Além disso, a forma que mais se popularizou entre os colecionadores é a variegata, que acrescenta um contorno na coloração creme a estas estruturas lanceoladas, tornando-as ainda mais ornamentais. Trata-se de uma planta de pequeno porte, que se assemelha a uma versão miniaturizada de pleomele.

O gênero Sedum pertence à família Crassulaceae, contendo algumas centenas de espécies que apresentam as mais diferentes características anatômicas. Temos as clássicas suculentas pendentes, cujo representante mais célebre é o Sedum morganianum, também conhecido como dedo de moça ou rabo de burro. Também existem as espécies de porte mais ereto, como o Sedum moranense e Sedum rubrotinctum.


No entanto, quando pensamos em Sedum, o mais comum é que nos venha à mente a imagem de uma planta reptante, de crescimento rasteiro, mais próximo ao solo. Esta é a aparência clássica de suculentas como o Sedum makinoi e Sedum japonicum, também conhecido como Sedum Oro. Geralmente, são plantas capazes de formar um denso tapete verde, com as mais diferentes texturas e colorações. É nesta categoria que se encaixa o Sedum lineare, tema central do artigo de hoje.

Em razão deste modo de crescimento, o Sedum lineare, em sua forma varietata, é conhecido como cream and green carpet Sedum. No entanto, ainda que cubra completamente o solo, esta espécie não é tão achatada como outras espécies de Sedum em forma de tapete. De modo geral, a planta cresce na forma ereta, como uma miniatura de arbusto, atingindo algo em torno de 15 cm de altura, até que tomba sob a ação de seu próprio peso, tornando-se rasteira.

Sendo assim, esta é uma suculenta ideal para ser usada como forração, fazendo uma belíssima composição com outras plantas típicas de ambientes áridos, em jardins rochosos de inspiração desértica. No entanto, apesar de o Sedum lineare ser bastante rústico e resistente, ele não suporta ser pisoteado. Convém, portanto, posicioná-lo em um local a salvo do fluxo de pessoas. Esta espécie também cresce muito bem em vasos, principalmente quando a planta é jovem e mais ereta. À medida que se desenvolve, pode precisar de um local com uma superfície mais ampla, para que possa se esparramar. Quando mantida em um vaso de diâmetro muito pequeno, pode ficar com a aparência desajeitada, pendendo pelos lados do recipiente.


O Sedum lineare é conhecido por apresentar um ritmo de crescimento mais lento, individualmente. No entanto, o conjunto da touceira pode se avolumar rapidamente, quando as condições de cultivo são favoráveis. Para um bom desenvolvimento desta suculenta, é essencial que bastante luminosidade, preferencialmente composta por sol direto, seja fornecida à planta, pelo maior número possível de horas diárias. Ainda que esta seja uma planta indicada para ambientes externos, o Sedum lineare pode ser cultivado dentro de casas e apartamentos, desde que o vaso seja posicionado em um local próximo a uma janela que receba bastante sol, preferencialmente face norte.

Quando cultivado em ambientes muito sombreados, o Sedum lineare cresce de forma acelerada, tornando-se fino e comprido, com um grande espaçamento entre as folhas. A este processo dá-se o nome de estiolamento. Por outro lado, é importante adaptar a planta ao sol direto de forma gradativa. Por ter pouca capacidade de reter água, suas folhas finas podem sofrer queimaduras muito facilmente. Percebe-se que a suculenta está estressada pelo excesso de sol direto quando suas folhas adquirem uma tonalidade avermelhada.

Ainda que este não seja o principal atrativo do Sedum lineare, sua floração costuma ocorrer durante os meses da primavera e verão. As flores desta suculenta são pequenas e delicadas, na coloração amarela, em forma de estrela. Quando a planta é cultivada em ambientes internos, dificilmente produz flores. Para que isso aconteça, é importante que ela seja exposta a várias horas de sol por dia.


É preciso tomar um cuidado especial quanto à frequência das regas do Sedum lineare. Por ser uma planta suculenta com folhas finas e delicadas, existe um risco maior de desidratação, principalmente durante o verão em regiões tropicais. Esta é uma planta originária de locais de clima temperado, em diversos habitats de países como China e Japão.

Neste sentido, tanto a falta como o excesso de água podem causar a desidratação desta suculenta. O ideal é verificar o nível de umidade do substrato, com a ponta do dedo, e regar apenas quando o material estiver seco. O uso do pratinho sob o vaso deve ser evitado, para que a água das regas não fique acumulada por um período prolongado, o que culmina no apodrecimento das raízes. No caso do Sedum lineare, estas estruturas são finas e não atingem um grande comprimento, sendo sua distribuição restrita à camada mais superficial do solo.

Ao contrário de outras suculentas, que apreciam um solo mais arenoso e pobre em nutrientes, o Sedum lineare pode se beneficiar de um substrato mais rico em matéria orgânica. Para tanto, pode-se misturar o substrato próprio para o cultivo de cactos e suculentas, que compramos pronto em lojas especializadas, com uma parte equivalente de adubo orgânico. Neste caso, não há a necessidade de suplementação com uma adubação inorgânica, do tipo NPK. Assim como a falta de luz, o excesso de nutrientes pode causar o crescimento acelerado e estiolado desta suculenta. Especificamente, deve-se evitar o uso de fertilizantes mais ricos em nitrogênio.


Como mencionado anteriormente, é importante que o Sedum lineare seja transplantado para recipientes maiores, à medida que a touceira se avoluma. Além disso, não importa o quão bem cuidemos da planta, chega um momento que sua aparência começa a se deteriorar, devido ao crescimento de seus ramos. Sendo assim, é conveniente podá-la, de tempos em tempos. Novas brotações surgirão a partir do ápice dos caules seccionados. Posteriormente, as ponteiras resultantes da poda podem ser utilizadas na propagação da suculenta, que ocorre de uma forma bastante simples. Basta plantar as estacas em um novo recipiente e aguardar pelo seu enraizamento. Para um maior sucesso, é importante que o procedimento seja realizado no início da primavera, quando o metabolismo do Sedum lineare está mais ativo.

Em resumo, esta é uma planta diferenciada no panorama das espécies consideradas suculentas. Sua folhagem variegada e delicada acrescenta um charme extra ao conjunto de plantas mais convencionais. Tudo o que ela necessita é de bastante luminosidade e um bom controle das regas. Particularmente, acho que o Sedum lineare é uma valiosa adição à coleção, por aliar beleza e rusticidade em uma mesma planta.