Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

A Quarentena com Suculentas, Orquídeas e Outras Plantas



A calamidade que assola todo o planeta parece estar muito longe de um final feliz, uma volta à normalidade, assumindo contornos cada vez mais dramáticos e imprevisíveis, dia após dia. Neste contexto, em que devemos permanecer em nossas casas, por uma questão de responsabilidade e respeito ao próximo, restringindo a propagação do covid-19, podemos lançar mão de diversos recursos capazes de tornar este período difícil de confinamento o mais agradável e proveitoso possível. Uma vez que o assunto principal deste blog é o cultivo de plantas em interiores, nada mais apropriado do que abordar alguns benefícios que estes seres fotossintetizantes podem trazer aos nossos lares.

Eu percebo que a principal dificuldade das pessoas, ao terem suas saídas de casa restringidas, principalmente no caso dos idosos, é a falta do que fazer no ambiente doméstico. Os mais jovens ainda se distraem nos celulares, PCs e games, mas as pessoas com mais idade ficam meio sem assunto. As tradicionais mídias físicas, como livros, revistas e jornais, passam por uma crise de decadência, já há alguns anos. As revistas sobre orquídeas, por exemplo, desapareceram das bancas, há bastante tempo. É neste cenário que entram as plantas de interiores, principalmente os cactos e suculentas, que estão na crista da onda e desbancam as orquídeas em termos de popularidade.

Neste contexto, a quarentena imposta pelo covid-19 nos proporciona um excelente momento para o estudo de nossas meninas. Aqui no blog, há mais de 250 artigos publicados sobre orquídeas, cactos, suculentas e as mais diversas plantas de outras famílias. Tudo isso pode ser acessado gratuitamente através de um índice visual, prático e rápido, contendo todas as matérias do blog. Para conferir, basta seguir nosso perfil no Pinterest. Todo o material está organizado por pastas, de acordo com os interesses de cada um.

Coleção de Suculentas
Coleção de Suculentas

Já no campo prático, do cultivo, é comum que as pessoas mais abastadas tenham uma casa de campo ou de praia, onde mantêm suas coleções de orquídeas, cactos e suculentas. No entanto, são locais mais afastados, no interior ou litoral, longe dos grandes centros urbanos. Com as crescentes restrições de circulação, que atingem os transportes em todos os níveis, torna-se cada vez mais difícil ter contato com estas plantas. Geralmente, são os caseiros que se encarregam de cuidar das meninas, de modo que o próprio dono pouco usufrui de sua valiosa coleção.


Aqui no apartamento, onde o espaço é escasso, a luz intensa demais na varanda e fraca demais dentro do quarto, pela primeira vez senti as vantagens do cultivo de orquídeas, cactos e suculentas em ambientes internos. Durante esta quarentena, não preciso pegar o carro, que não tenho, para visitar minhas plantas. Durmo e acordo na companhia delas. Consequentemente, sei exatamente quando cada uma precisa de água, percebo o surgimento do primeiro sinal de cochonilha e faço sua rápida erradicação. Bisbilhoto cada floração desde os primeiros sinais de haste ou botão floral. Convivendo com as setenta plantas que mantenho dentro do quarto, sei quais delas dormem à noite, recolhendo suas folhas para cima, tais como as tradicionais rezadeiras, maranta riscada, Calathea ornata, ou maranta tricolor, Stromanthe thalia 'Triostar'.

Stromanthe thalia 'Triostar'
Stromanthe thalia 'Triostar'

Também aprendo que a famosa planta sensitiva ou dormideira, Mimosa pudica, além de fechar os folíolos quando tocada, também o faz durante a noite, quando está descansando. Talvez eu jamais saberia deste curioso detalhe, se esta planta estivesse em um sítio, a 100 quilômetros de distância, ou mesmo largada em um canteiro no quintal. 

Mimosa pudica
Mimosa pudica

Outro aprendizado que esta menosprezada planta me oferece, ainda que muitos a considerem mato, é que as mais comuns das espécies podem ser cultivadas como plantas ornamentais de rara beleza.


Basta observar a delicadeza das florações produzidas pela dormideira, que duram apenas um dia.

Mimosa pudica
Mimosa pudica

O trevo roxo, Oxalis triangularis atropurpurea, é outra planta desprezada por muitos, já que pode ser encontrada em qualquer lugar, inclusive em praças e calçadas, aqui no Brasil. No entanto, no exterior, esta é uma houseplant bastante apreciada pelos millennials, sendo vendida em floriculturas e garden centers, como qualquer outra planta ornamental. Tanto a variedade púrpura como a verde podem ser cultivadas em ambientes internos, com luminosidade difusa.

Oxalis triangularis
Oxalis triangularis

Todas as plantas de interior acima mencionadas apresentam a grande vantagem de se adaptarem perfeitamente ao ambiente doméstico, dentro de casas e apartamentos. Elas não requerem altos níveis de luminosidade para seu bom desenvolvimento, nem mesmo de sol pleno para que suas florações ocorram. Outros exemplos de suculentas de sombra podem ser encontrados neste artigo. Isso não significa que elas vivam no escuro, precisam de luz como todas as plantas. No entanto, podem se adaptar à vida em interiores, desde que cultivadas próximas a janelas bem iluminadas. O mesmo princípio vale para a nossa já publicada seleção de orquídeas de sombra.


Vale a pena conferir estes artigos, sobre suculentas, orquídeas e outras plantas recomendadas para ambientes internos, com o objetivo de trazer um pouco de vida e alegria às casas e apartamentos, durante a reclusão da quarentena imposta por esta terrível pandemia causada pelo covid-19.

Haworthia coarctata
Haworthia coarctata

Para quem está acostumado a cultivar orquídeas em apartamento, o tema da quarentena não é novidade, uma vez que este é o procedimento padrão adotado quando da chegada de um novo exemplar à coleção. É importantíssimo mantê-lo isolado, por um período razoável, até que nos certifiquemos de que a orquídea recém-adquirida não irá contaminar toda a coleção com doenças fúngicas, bacterianas ou virais. Além disso, existe o risco de a nova integrante ser portadora das mais diversas pragas, tais como lesmas, caramujos, pulgões ou cochonilhas. Outra lição valiosa que o cultivo de plantas nos oferece, fundamental em tempos de coronavírus, consiste na importância de se manter uma certa distância entre um exemplar e outro, de modo a dificultar a propagação de doenças. Neste sentido, as aglomerações são prejudiciais, tanto para plantas como para seres humanos.

Por outro lado, além de trazerem vida e beleza para dentro de casas e apartamentos, as mais diferentes plantas, tais como orquídeas, suculentas e folhagens, funcionam como verdadeiras terapeutas, em tempos de crise. Cuidar de outro ser vivo, seja ele um pet ou uma planta, faz com que esqueçamos, por um momento, dos nossos próprios problemas, de forma a nos dedicarmos a outras atividades capazes de aliviar o estresse e a ansiedade causada por catástrofes como a que estamos vivendo, com o alastramento descontrolado do covid-19.

O efeito terapêutico de cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos, até mesmo dentro do quarto, alia-se ao benefício que estes seres clorofilados proporcionam aos ambientes internos, graças às suas propriedades purificadoras do ar. Estudos conduzidos pela agência espacial americana concluíram que uma série de plantas de interior, bastante comuns, são capazes de atuar como filtros biológicos nos ambientes em que são cultivadas, filtrando o ar e eliminando impurezas comumente encontradas em recintos domésticos, principalmente nas grandes cidades.


Este é um surpreendente contraponto ao mito de que faz mal dormir com plantas dentro do quarto. Na realidade, o consumo de gás carbônico destes organismos vegetais, durante a noite, é infinitamente menor do que o de um pet ou outro ser humano, que porventura ocupem o mesmo ambiente. Sendo assim, não há o menor risco de alguém morrer asfixiado porque dormiu na companhia de setenta plantas, como eu faço, dentro da minha urban jungle.

Perigoso, de fato, é não acreditar na ameaça que a pandemia causada pelo covid-19 representa, e sair saracoteando por aí, contaminando-se e transmitindo a doença para meio mundo, destruindo a vida de entes queridos mais frágeis, como idosos e crianças.

Como compartilhou minha mãe, em sua conta no Facebook, os profissionais chineses que desembarcaram na Itália, levando ajuda para o combate ao coronavírus, evocaram trechos de uma belíssima obra do escritor romano Séneca:

"Siamo onde dello stesso mare, 
foglie dello stesso albero, 
fiori dello stesso giardino."

"Somos ondas do mesmo mar,
folhas da mesma árvore,
flores do mesmo jardim."

Lúcio Aneu Séneca



Compartilhe com quem ama plantas: