O fascínio do trevo roxo


Oxalis triangularis
Oxalis triangularis

Sou obcecado por estas vistosas borboletas esvoaçantes em diferentes tons de púrpura, burgundy e marron. Conhecida como trevo roxo, esta delicada planta é popular em todo o mundo. Confesso que passei a prestar mais atenção nos trevos após sua maciça aparição em diversos perfis do Instagram especializados em plantas de interiores, as famosas houseplants, tão em voga atualmente entre os millennials

O nome científico é pomposo: Oxalis triangularis atropurpurea, existindo também a variação Oxalis regnellii atropurpurea. Estas denominações remetem ao formato triangular dos três folíolos característicos do trevo roxo, ao passo que o termo atropurpurea faz alusão à bela mancha púrpura mais clara, na região central das folhas.

O verso dos folíolos exibe um tom mais claro de violeta, igualmente belíssimo. Dependendo da iluminação ambiente, do ângulo de observação e das condições de cultivo, cada trevo acaba apresentado uma paleta única de cores. Há inclusive variações de tons na mesma planta.


Oxalis triangularis
Oxalis triangularis

É importante salientar que existem variedades verdes de Oxalis triangularis. Aqui no Brasil, é muito comum encontrá-las por toda parte, até mesmo em calçadas de centros urbanos, parques e jardins.  O trevo roxo já foi mais cultivado por aqui, como planta ornamental, no passado. São também deste gênero as diversas pragas que infestam vasos e canteiros, os trevos de comportamento invasivo cujo crescimento é difícil de ser contido.

Há, no entanto, diversas outras espécies de Oxalis que são bastante ornamentais. São plantas menos conhecidas do público em geral, havendo inclusive quem as colecione. Por serem plantas com bulbos, é mais fácil adquiri-los de outros cultivadores, inclusive no exterior. 


Floração - Oxalis triangularis
Floração - Oxalis triangularis

As folhas do trevo roxo são tão ornamentais que, ocasionalmente, flagro-me tratando-as como se fossem flores eternas. Apenas apercebo-me do equívoco quando eles, efetivamente, florescem! E o fazem com generosidade, ao longo de todo o ano. O ápice da floração dos trevos roxos ocorre nos meses mais quentes do ano, na primavera e verão. As flores lembram pequenas campânulas brancas, com um leve sopro lilás, formadas por cinco pétalas. 

Toda esta beleza não é somente estática. Tanto as folhas como as flores do trevo roxo performam um delicado ballet ao longo do dia. Estas estruturas se abrem lentamente com o nascer do sol, voltando a se recolher ao final do dia. As folhas também podem se fechar durante o dia, quando a incidência do sol fica intensa demais.

Em suma, o trevo roxo é um companheiro ideal para os jardineiros de apartamento. Seu cultivo é bastante tranquilo, podendo também ocorrer em áreas externas. Em um artigo futuro, darei algumas dicas de como cuidar desta planta, de acordo com minhas observações aqui no apartamento.


4 comentários:

  1. São lindos! Muitos anos atrás, antes de me atrever a cultivar orquídeas, tive um trevo roxo no apartamento. Não sabia que floresciam e quando elas surgiram, fiquei encantada. Perdi a planta numa das tantas mudanças e nunca mais tive outro exemplar. Agora me deu saudades...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Alexia! Bela lembrança! Eu só conheci este trevo roxo há pouco tempo, mas confesso que estou apaixonado. Tomara que encontre outro exemplar, vale a pena ter um em casa!

      Muito obrigado pelo relato e pelo carinho da sua visita!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Quando penso em trevo, lembro logo das pragas nos meus vasos e no meu gramado. Mas confesso que, com este post, fiquei encantada com o roxo! 💚

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tida! Sim, eu também associava os trevos a pragas, até conhecer este! Que bom que gostou, muito obrigado pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir