Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Trevo de Quatro Folhas - Oxalis tetraphylla


Oxalis tetraphylla
Oxalis tetraphylla

Em grande parte dos artigos publicados aqui no blog, faço questão de colocar o nome popular da planta no início do título, seguido pelo nome científico. Desta forma, fica mais fácil, para quem digita o termo nos mecanismos de busca, encontrar as informações das quais necessita. No caso da planta em destaque, nesta matéria, embora seja bastante conhecida como trevo de quatro folhas ou trevo da sorte, ela não é considerada formalmente um trevo. Além disso, as estruturas que contamos como folhas são, na realidade, folíolos.

As espécies vegetais consideradas trevos verdadeiros pertencem ao gênero botânico Trifolium, da família Fabaceae, a mesma do feijão e da dormideira, já apresentada anteriormente, aqui no blog. As diferentes espécies de Trifolium podem apresentar três, quatro e até cinco folíolos, em suas folhas compostas.

Já o trevo de quatro folhas que apresentamos neste artigo, o mais conhecido e cultivado como planta ornamental em todo o mundo, é parente do trevo roxo, que também já foi tema de um artigo por aqui. Diferentemente dos trevos verdadeiros, ambos pertencem à família Oxalidaceae, e são espécies do gênero Oxalis, assim nomeado em função do elevado teor de ácido oxálico em seus tecidos vegetais. O trevo de quatro folhas ornamental atende pelo nome científico Oxalis tetraphylla. Já o trevo roxo pode ser encontrado como Oxalis trigangularis atropurpurea ou Oxalis regnelii atropurpurea.

Com o intuito de serem diferenciados dos trevos considerados verdadeiros, os exemplares de Oxalis triangularis, verdes ou roxos, costumam ser chamados de false shamrock, em países de língua inglesa. Embora sejam considerados mato, por aqui, estes trevos são bastante apreciados e cultivados como plantas ornamentais, no exterior.


O trevo de quatro folhas, Oxalis tetraphylla, por outro lado, faz sucesso nos quatro cantos do mundo. Devido à sua característica mancha bordeaux no centro dos quatro folíolos verdes, este trevo recebe a denominação de iron cross, cruz de ferro, em países de língua inglesa. Neste caso, o nome científico completo acaba sendo Oxalis tetraphylla 'Iron Cross'. Acho este trevo belíssimo, mais até do que outras variedades de trevo de quatro folhas consideradas as verdadeiras.

Ao contrário de outros gêneros, espécies e variedades de trevos de quatro folhas, que podem ser bastante raros, e dependem da ocorrência de uma mutação genética para serem formados, a espécie Oxalis tetraphylla 'Iron Cross' é muito mais fácil de ser encontrada no comércio, além de apresentar um cultivo bastante simples.

Trata-se de uma planta bulbosa originária do México, que apresenta o grande atrativo de poder ser cultivada dentro de casas e apartamentos. Atualmente, existem kits contendo os bulbos deste trevo de quatro folhas à venda em lojas de jardinagem e garden centers. Além disso, também é possível comprar vasos de Oxalis tetraphylla em touceiras já bem desenvolvidas. Eu confesso que sou fascinado por comprar bulbos e sementes, apenas para acompanhar todo o processo de brotação e desenvolvimento das novas plantinhas.

Neste caso, o ideal é plantar os bulbos no início da primavera, quando as temperaturas começam a entrar em elevação. Não é necessário afundá-los muito na terra, basta cobri-los com uma fina camada de substrato bem aerado e facilmente drenável. Neste período inicial, as regas devem ser feitas com cuidado, já que não há raízes nem folhas para consumir a água do solo. O excesso de umidade pode fazer com que o bulbo apodreça. O substrato deve ser mantido apenas levemente úmido, até que estas estruturas bulbosas comecem a despontar suas delicadas folhas. Não é necessário tentar adivinhar a partir de qual posição o bulbo irá brotar, ele pode ser assentado no solo sem uma orientação definida.


Ainda que possa ser cultivado em áreas externas, sob sol pleno, o trevo de quatro folhas sente-se muito à vontade em interiores, onde não faz nem muito frio, nem muito calor. Além das temperaturas amenas, a Oxalis tetraphylla também aprecia uma boa luminosidade, que pode ser indireta. O ideal é posicionar o vaso em um local bem próximo ao parapeito de uma janela ensolarada. Varandas e jardineiras externas também são locais ideais para o cultivo do trevo de quatro folhas. Quando mantido em um ambiente muito sombreado, suas folhas tendem a desenvolver pecíolos muito longos e finos, o que prejudica a aparência do conjunto. Além disso, sob estas circunstâncias, o trevo não irá florescer.

O trevo de quatro folhas produz belíssimas e contrastantes flores rosadas, que surgem durante os meses mais quentes do ano, na primavera e verão. Após o término deste processo, pode ser que a Oxalis tetraphylla comece a perder suas folhas. Não há motivo para pânico, este é um fenômeno comum, indicando que a planta irá entrar em dormência. Trata-se de um período de descanso, durante o qual todas as flores e folhas murcham e desaparecem, restando apenas o bulbo enterrado. Durante este período, é importante reduzir as regas para um mínimo necessário. Assim que as condições se tornarem mais favoráveis, geralmente com o aumento da temperatura, os bulbos despertam e voltam a produzir novas folhas e flores.

Propagar o trevo de quatro folhas é uma tarefa bastante tranquila. Embora não estejamos observando, seus bulbos vão se multiplicando, por baixo da terra. Com o passar do tempo, as touceiras vão ficando cada vez mais densas e volumosas. Quando o vaso estiver muito cheio, e as raízes muito compactadas, estas touceiras podem ser divididas, gerando novas mudas. Além disso, os bulbos podem ser desenterrados e plantados separadamente.

Por fim, a adubação do trevo de quatro folhas não precisa ser muito intensa ou elaborada. Qualquer formulação de manutenção, do tipo NPK, em níveis equilibrados, dará conta do recado. É sempre bom evitar o excesso de nutrientes, principalmente aqueles de natureza inorgânica, que tendem a se acumular no substrato e causar danos às raízes delicadas desta planta, devido ao excesso de sais minerais.

Assim como acontece com o trevo roxo, o trevo de quatro folhas costuma fechar suas folhas, todos os dias, ao anoitecer. Quando o dia amanhece, os quatro folíolos voltam à sua posição normal, funcionando como pequenos painéis solares, prontamente direcionados à fonte mais intensa de luz.

Esta é uma excelente opção para ambientes internos, por seu fácil cultivo, rápido desenvolvimento e propagação. Sozinho ou em conjunto com outros membros do gênero Oxalis, o trevo de quatro folhas é uma adição valiosa às nossas urban jungles.



Compartilhe com quem ama plantas: