Guia completo para cultivar plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Echeveria 'Black Prince'


Suculenta Echeveria 'Black Prince'
Echeveria 'Black Prince'

Esta é uma planta suculenta que possui um lugar de destaque na minha coleção. Aliás, a Echeveria 'Black Prince' é a queridinha entre os colecionadores, graças à sua coloração única. As folhas nascem verdes, no centro da roseta, mas vão se tornando cada vez mais escuras, à medida que se desenvolvem. Devido ao fato de existirem poucos representantes com a coloração negra, no reino vegetal, a Echeveria 'Black Prince' destaca-se em meio às onipresentes suculentas esverdeadas ou acinzentadas.

A metamorfose cromática depende muito da quantidade de luz que a Echeveria 'Black Prince' recebe. Caso a suculenta seja cultivada em ambientes com menos claridade, suas folhas podem permanecer com uma coloração verde jade, também belíssima. Mas quanto maior for sua exposição à luz solar, mais escuras ficarão suas folhas, cuja cor pode variar de um chocolate suave até um tom quase negro, que faz jus ao nome do cultivar, 'Black Prince'.

Poucas plantas suculentas apresentam esta coloração. Além da Echeveria 'Black Prince', temos o Aeonium arboreum 'Zwartkopf', cujo apelido, evidentemente, é 'Black Rose'. Esta é uma planta mais difícil de ser encontrada, está há tempos na minha wishlist.


Ainda que esta nobre planta suculenta adquira sua belíssima coloração quase negra quando exposta à luz solar, convém não exagerar. O sol direto, nas horas mais quentes do dia, durante a primavera e verão, pode acabar queimando as folhas desta delicada Echeveria. O ideal é que o sol seja filtrado por uma tela de sombreamento, nestes casos. Por outro lado, se a luminosidade for insuficiente, a planta pode ficar estiolada, alongando-se e crescendo exageradamente, em busca de luz. A aparência final é a de uma planta popularmente chamada de 'pescoçuda'.

Neste caso, pode ser interessante efetuar uma poda drástica, conhecida como decapitação de suculentas. Com um instrumento afiado e esterilizado, no fogo, por exemplo, corta-se a roseta superior da Echeveria 'Black Prince', de modo a encurtar o comprimento do caule. As folhas da base podem ser retiradas. Convém polvilhar canela em pó nas superfícies cortadas, procedimento que ajuda a evitar a contaminação por fungos e bactérias. Também é importante que a porção decapitada fique descansando por algumas horas ou um dia, em um local sombreado, para que o corte cicatrize, antes de ser plantada em um novo vaso.

A porção remanescente da Echeveria 'Black Prince' decapitada não precisa ser descartada. O caule irá produzir novos brotos, que poderão ser separados no futuro, gerando novas plantas. Esta é a forma mais rápida de propagação desta suculenta. As folhas destacadas também podem ser utilizadas para a produção de novas mudas. Basta assentá-las em um berçário de suculentas, de modo que novos brotos possam surgir a partir de suas extremidades. No entanto, não é um processo 100% garantido. Além disso, é bem mais demorado e um pouco trabalhoso.

Por incrível que possa parecer, a Echeveria 'Black Prince' é uma suculenta híbrida, resultante do cruzamento entre duas espécies mexicanas, a Echeveria shaviana (que é completamente diferente) e a Echeveria affinis (de quem herdou a coloração escura).


Algumas suculentas do gênero, como a Echeveria 'Topsy Turvy' e a Echeveria 'Perle von Nürnberg', já mostradas aqui no blog, possuem a interessante característica de apresentarem folhas hidrofóbicas. Elas são cobertas por uma fina cera protetora, a pruína, que impede o acúmulo das gotas de água sobre sua superfície. Esta substância também protege as plantas dos raios solares. Contudo, as folhas da Echeveria 'Black Prince' não apresentam esta propriedade de repelir a água. Quando molhadas, ficam repletas de gotículas que, se permanecerem por muito tempo, podem causar manchas. Este fenômeno é particularmente observável quando a água é muito rica em minerais ou contém adubo.

Da mesma forma, a aparência das folhas negras da Echeveria 'Black Prince' pode ficar seriamente prejudicada caso a planta seja borrifada com defensivos químicos. Além de causarem queimaduras, estas substâncias podem deixar a superfície bastante manchada. Por este motivo, costumo realizar a remoção de pragas manualmente, sempre que avisto algo errado. Aqui no apartamento, o mais comum é que cochonilhas ataquem este tipo de planta.

A Echeveria 'Black Prince' pode ser cultivada em vasos de barro ou de plástico. O importante é que eles tenham furos no fundo e sejam montados com uma boa camada de drenagem, que pode ser composta por brita, argila expandida ou qualquer outro tipo de pedrisco. Uma manta geotêxtil por cima deste material ajuda a reter o substrato, de modo que ele não escoe junto com a água das regas.


Existem bons substratos próprios para o cultivo de cactos e suculentas à venda no mercado. Alternativamente, pode-se fazer uma mistura de terra vegetal e areia grossa, em partes iguais. Alguns cultivadores adicionam esterco curtido ou húmus de minhoca, mas eu não vejo necessidade. A Echeveria 'Black Prince' é um híbrido resultante de espécies adaptadas à vida em ambientes áridos, de solos arenosos e podres em matéria orgânica. Além disso, quando a suculenta é cultivada em interiores, casas e apartamentos, a decomposição do adubo orgânico pode causar incômodo, devido ao odor desagradável e à presença de insetos indesejáveis.

O principal cuidado a ser tomado, no cultivo da suculenta Echeveria 'Black Prince', é quanto à frequência das regas. Ela deve ser bastante espaçada, apenas quando o substrato estiver completamente seco. O excesso de umidade no vaso, por um tempo prolongado, pode causar o apodrecimento das raízes e a morte da planta, graças ao ataque de fungos e bactérias. Por este motivo, o uso do pratinho sob o vaso não é recomendado, por facilitar o acúmulo de água das regas.

Como se não bastasse tanta beleza, a Echeveria 'Black Prince' ainda produz flores que são um espetáculo à parte. A minha ainda não me presenteou, mas adianto que a haste floral desta suculenta produz um lindo arranjo de flores vermelhas em forma de sino. Aguardo ansiosamente.

Esta planta suculenta especial foi um dos presentes que ganhei do casal Hiroko e Takashi Matsumoto, a quem sou muito grato por todo o incentivo e apoio à formação das minhas coleções, tanto de orquídeas como de plantas suculentas.