Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Suculenta Patinha de Urso - Cotyledon tomentosa


Suculenta Cotyledon tomentosa
Cotyledon tomentosa

O universo das plantas suculentas é repleto de elementos lúdicos e figuras que nos remetem a outros reinos, que não o vegetal. É o caso da suculenta patinha de urso, estrela do artigo de hoje, cujo nome científico é Cotyledon tomentosa. Anteriormente, já havíamos apresentado outra planta que também se parece com um bichinho de pelúcia, a Kalanchoe tomentosa, popularmente conhecida como suculenta orelha de gato. O interessante é que, em ambos os casos, não é preciso usarmos muita imaginação para, de fato, enxergarmos estes detalhes anatômicos nas plantas.



No exterior, a suculenta patinha de urso recebe o mesmo apelido, bear's paw, que significa pata de urso. Sempre que encontrarmos uma planta com o termo tomentosa no nome científico, como é o caso da Cotyledon tomentosa, podemos ter certeza de que se trata de uma planta peluda. Isto porque o termo é derivado da palavra tomentum, que, em latim, significa lã ou pelo.

Aqui no blog, já publicamos artigos sobre outros exemplos de plantas suculentas que apresentam suas folhas cobertas por pelos, como a Tradescantia sillamontana, que parece ter sido envolta por teias de aranha, e a Echeveria pulvinata, com pelos menores e mais delicados, capazes de conferir um aspecto aveludado à planta.

Tecnicamente, os pelos que cobrem as folhas da suculenta patinha de urso, bem como dos outros exemplos acima citados, recebem a denominação de tricomas. Estas estruturas são modificações do tecido vegetal, cujo objetivo é diminuir a perda de água por evaporação, nos ambientes áridos e sob sol pleno, aos quais estas suculentas estão adaptadas.

A suculenta patinha de urso pertence à família botânica Crassulaceae, a mesma de muitos gêneros de plantas cultivadas com fins ornamentais, bastante apreciadas pelos colecionadores, tais como Echeveria e Kalanchoe, além, obviamente, das crássulas, entre outros. A espécie Cotyledon tomentosa é originária do continente africano, ocorrendo mais especificamente na região da África do Sul.


Embora a patinha de urso seja frequentemente vendida em vasinhos pequenos, sob a forma de mudas jovens, ela pode atingir um porte maior, arbustivo, quando bem cultivada. A espécie Cotyledon tomentosa costuma apresentar entre 30 a 70 cm de altura, em seu habitat de origem. Com o tempo, seus caules vão se ramificando, conferindo à planta o aspecto de um pequeno arbusto.

Como se não bastasse o formato foto de suas folhas, a suculenta patinha de urso ainda se supera com o acabamento avermelhado nas extremidades destas estruturas, que lembram unhas pintadas. Esta coloração se torna mais evidente quando a planta é cultivada em locais com bastante luminosidade. É também sob estas condições de cultivo que a patinha de urso pode florescer, tipicamente na primavera, produzindo inflorescências portando flores alaranjadas, em forma de sino, com a aparência típica das florações apresentadas pelos representantes do gênero Cotyledon. É interessante notar que até mesmo as hastes, flores e botões florais da Cotyledon tomentosa apresentam delicados tricomas em sua superfície. A planta é toda peluda.

A patinha de urso é uma suculenta bastante versátil. Ela pode ser cultivada em áreas externas, sob sol pleno, ficando perfeita em jardins rochosos, de inspiração desértica. Além disso, esta planta vai bem em vasos, sejam eles de plástico ou terracota, desde que a frequência das regas seja ajustada de acordo com o material escolhido.

Vasos de barro, por serem mais porosos, permitem que o solo em seu interior seque mais rapidamente. Por outro lado, o vaso de plástico tende a reter a umidade por mais tempo, de modo que as regas devem ser mais espaçadas, quando este material é utilizado. A suculenta patinha de urso é capaz de armazenar bastante água em suas folhas, de modo que as regas não precisam ser frequentes. Independentemente do número de vezes por semana, o importante é que as regas somente ocorram quando a terra estiver bem seca. O excesso de água nas raízes da Cotyledon tomentosa acarreta em seu apodrecimento, levando a planta à morte em um curto espaço de tempo.


Por este motivo, é sempre recomendável não colocar o pratinho sob o vaso, para que a água das regas não fique acumulada. Outro cuidado importante, durante as regas, é evitar molhar as folhas peludas da suculenta patinha de urso. A cobertura de tricomas já torna a superfície hidrofóbica, de modo que as gotículas de água ficam pairando sobre as folhas, sem serem absorvidas ou escoadas.

Para garantir uma boa drenagem no vaso da suculenta patinha de urso, o importante é que ele tenha furos no fundo. Deve-se evitar o uso de xícaras, bules ou cachepots, que não permitem o escoamento da água. Além disso, uma boa camada de drenagem precisa ser construída, a partir de qualquer material particulado, que pode ser composto por cacos de telha, brita ou argila expandida. Por cima desta camada, uma manta geotêxtil impede que o solo escoe pelos furos, durante as regas. Muitos cultivadores reutilizam o filtro de café, com este objetivo.

O solo ideal para o cultivo da patinha de urso precisa ser parecido com aquele encontrado no habitat natural desta suculenta. Existem compostos próprios para o cultivo de cactos e suculentas, à venda em lojas de jardinagem. Alternativamente, pode-se preparar uma versão caseira, através da mistura de terra vegetal e areia grossa, em partes iguais. Como a Cotyledon tomentosa está habituada a solos arenosos e pobres em nutrientes, não é necessário adicionar matéria orgânica à mistura.

Neste sentido, a adubação não precisa ser muito elaborada. É importante não fornecer uma adubo muito rico em nitrogênio, que pode causar um crescimento acelerado dos tecidos vegetais da patinha de urso, tornando-a mais frágil. Caso o intuito seja estimular sua floração, um adubo mais rico em fósforo pode ser aplicado. O ideal é sempre utilizar metade da dose recomendada pelo fabricante.


A multiplicação da suculenta patinha de urso é bastante tranquila, quando efetuada por estacas. Basta cortar um ramo da planta, esperar que o ferimento cicatrize, e plantá-lo separadamente, aguardando seu enraizamento. As mudas obtidas desta forma têm maior probabilidade de um bom desenvolvimento. Alternativamente, pode-se tentar a propagação da patinha de urso através de suas folhas. Neste caso, basta destacar algumas folhas saudáveis, da parte inferior da planta, e colocá-las em um berçário de suculentas. Não é necessário afundá-las, basta assentá-las no substrato, horizontalmente. Se tudo correr bem, as extremidades destas folhas irão produzir raízes e uma nova muda. No entanto, seu crescimento é bastante lento e são necessários alguns anos até que estas suculentas se tornem plantas adultas.

Como se trata de uma planta que aprecia bastante luminosidade, a patinha de urso deve ser posicionada bem próxima a uma janela ensolarada, caso ela seja cultivada dentro de casas e apartamentos. Varandas são excelentes locais para o cultivo da Cotyledon tomentosa, que tenderá a ficar mais colorida, neste tipo de ambiente.

Embora seja difícil resistir aos encantos deste mimo de suculenta, convém salientar que a patinha de urso é uma planta tóxica, caso seja inadvertidamente ingerida por crianças ou animais domésticos. Como sua aparência é inofensiva e engraçadinha, o risco de acidentes é ainda maior. No entanto, quando cultivada em locais fora do alcance destes pequenos curiosos, a suculenta patinha de urso dá um show de fofura. Sempre que a vejo, tenho vontade de apertar suas folhas gorduchas e peludas.