Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Suculenta Cotyledon pendens


Suculenta Cotyledon pendens
| Cotyledon pendens |

Ainda não tão conhecida entre o público leigo, a planta suculenta Cotyledon pendens tem feito grande sucesso entre os colecionadores. Seu porte compacto e a aparência delicada de suas folhas gorduchas, em tom pastel, com um acabamento fosco, tornam a espécie um ponto de atenção bastante ornamental, em qualquer jardim de suculentas. Trata-se de uma escolha perfeita para um vaso suspenso.

A Cotyledon pendens pertence à família Crassulaceae, sendo parente de outra suculenta bastante famosa entre os cultivadores, a Cotyledon tomentosa, mais conhecida como patinha de urso. A diferença é que a primeira carece da delicada cobertura de tricomas, estruturas semelhantes a pelos, que conferem à planta um aspecto aveludado.


No caso da espécie Cotyledon pendens, que não possui um nome popular na língua portuguesa, o acabamento das folhas suculentas fica a cargo da pruína, substância de natureza cerosa, semelhante a um fino pó translúcido, que dá uma aparência empoeirada à planta. Em países de língua inglesa, esta suculenta é conhecida como cliff Cotyledon, devido ao fato de ser nativamente encontrada em penhascos.

Uma localidade específica na África do Sul, conhecida como Mbashe River, na província Eastern Cape, é o único habitat original da suculenta Cotyledon pendens. Este grande rio, que deságua no Oceano Índico, é acompanhado por grandes penhascos, em cujas encostas se desenvolve esta espécie botânica. Neste ambiente quente e seco, sob sol pleno, a planta se beneficia da companhia de outras suculentas, que lhe fazem alguma sombra.

A Cotyledon pendens cresce originalmente como um pequeno arbusto. Com o passar do tempo, os caules vão pendendo em direção ao solo. A depender das condições do habitat, a planta pode adquirir o aspecto de um tapete, espalhando-se horizontalmente sobre o solo, ou se tornar pendente, emitindo longas ramificações suspensas repletas de folhas gorduchas, em um formato que fica entre o oval e o elíptico.


As folhas desta planta suculenta assumem tipicamente a coloração verde, tendendo a uma tonalidade mais clara, pastel e acinzentada. Quando exposta a generosos níveis de luminosidade, a Cotyledon pendens pode adquirir um suave colorido avermelhado, nas bordas de suas folhas. As flores são avermelhadas, pendentes, em forma de sino, surgindo predominantemente durante o verão. Estas estruturas podem ocorrer solitariamente ou agrupadas, em inflorescências.

Esta é uma suculenta que pode ser cultivada dentro de casas e apartamentos, desde que posicionada próxima a uma janela bem ensolarada, preferencialmente face norte. A Cotyledon pendens também é perfeita para varandas, coberturas ou jardineiras externas, nos peitorais das janelas. Ainda que aprecie o sol pleno, esta espécie pode sofrer queimaduras em suas folhas, caso esteja habituada a um ambiente interno e seja subitamente exposta à radiação solar mais intensa. O ideal é sempre manter a planta sob luz filtrada, principalmente durante as horas mais quentes do dia.

Uma luminosidade abundante também é essencial para manter o porte compacto da Cotyledon pendens. Em ambientes muito sombreados, esta suculenta tende a ficar estiolada, com um grande espaçamento entre as folhas. Seus caules ficam mais frágeis, finos e compridos. Além disso, a luz também é fundamental para induzir a floração da planta, que ocorre durante os meses mais quentes do ano.


A Cotyledon pendens pode ser cultivada em vasos de barro ou plástico, sem maiores problemas. Do ponto de vista estético, esta suculenta fica mais atraente quando plantada em vasos suspensos. Alternativamente, ela pode ser utilizada como forração, em jardins de inspiração desértica. A escolha do material do recipiente vai influenciar no intervalo entre as regas. Vasos de barro, por serem mais porosos, permitem que o solo em seu interior seque mais rapidamente. Já os recipientes de plástico tendem a reter a umidade por mais tempo.

O solo ideal para o cultivo da Cotyledon pendens é aquele semelhante ao encontrado em seu habitat de origem, mais arenoso, bem drenável e aerado, pobre em matéria orgânica. Uma mistura de terra vegetal e areia grossa de construção costuma resultar em um ótimo substrato para esta espécie. Alternativamente, solos próprios para o plantio de cactos e suculentas podem ser adquiridos em lojas de jardinagem, prontos para o uso.

As regas devem ser bem espaçadas, de modo a permitirem que o substrato seque completamente, durante os intervalos entre as irrigações. Como toda suculenta, a Cotyledon pendens está adaptada à vida em ambientes quentes e secos, ressentindo-se do excesso de umidade em suas raízes. Durante o inverno, a frequência das regas deve ser reduzida.


A adubação não precisa ser muito intensa ou elaborada. Uma fórmula inorgânica, do tipo NPK, especialmente desenvolvida para o cultivo de cactos e suculentas, é suficiente para a manutenção da Cotyledon pendens. É preciso ter cuidado para não fornecer um fertilizante muito rico em nitrogênio, elemento que tende a produzir plantas mais estioladas e frágeis, devido ao crescimento acelerado de seus tecidos vegetais. Além disso, o excesso de nutrientes pode ser prejudicial à planta, devido ao aumento na salinidade do substrato. Durante o inverno, não é necessário adubar a suculenta.

A multiplicação da espécie Cotyledon pendens é bastante rápida e tranquila. Toda vez que um ramo da planta se aproxima do solo, tende a emitir novas raízes e formar mudas. Esta é uma suculenta que se entouceira facilmente. Cortes da planta podem ser colocados na água para enraizarem. Também há quem os coloque diretamente no solo ou na areia úmida, para este fim. Existe, ainda, a possibilidade de propagação desta suculenta através da colocação de suas folhas em um berçário de suculentas.

É importante salientar que a suculenta Cotyledon pendens é bastante tóxica, caso seja acidentalmente ingerida. Sendo assim, é fundamental que esta planta seja cultivada longe do alcance de crianças pequenas e animais de estimação, que costumam ficar particularmente fascinados pelo aspecto fofo de suas folhas. A intoxicação pela ingestão desta espécie pode ser aguda ou crônica. Existe a possibilidade de envenenamento a longo prazo, após sucessivas ingestões em dias diferentes.

Tomando-se as devidas precauções, esta é uma planta rara, capaz de conferir um charme extra à coleção de qualquer apaixonado por suculentas. Infelizmente, ainda não é muito comum encontrar a Cotyledon pendens à venda no mercado. Contudo, devido à facilidade de propagação da espécie, sua popularização e acessibilidade serão maiores, em um futuro próximo.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil