5 Dicas de Plantas para Interiores




Embora este blog tenha sido criado para narrar minhas experiências com o cultivo de orquídeas em apartamento, as circunstâncias e, quem sabe, a incompetência, acabaram me encaminhando a outros destinos. O fato é que as orquídeas nunca foram plenamente felizes aqui, encarapitadas no décimo andar de um apartamento face oeste, em São Paulo. 

Devido ao retumbante fracasso com esta família botânica, decidi eleger, para o cultivo no apê, plantas de índole mais afável, menos exigentes e mais generosas. São as 'plantas de aço', aquelas quase indestrutíveis. Não exigem altos níveis de luminosidade, adaptam-se bem aos ambientes internos, com menores índices de umidade relativa do ar, toleram pequenos equívocos no regime de regas e pouco se importam com fertilização. 

Poucos se dão conta de que um simples trevo roxo, quando cultivado com esmero, pode formar uma bela touceira ornamental. A lista a seguir é baseada na minha pequena mas crescente coleção. Atualmente, cultivo quase quarenta plantas dentro do meu quarto, que também é um home office, estufa de cultivo e estúdio fotográfico!




Zamioculcas zamiifolia


Na minha seleção de plantas, de A a Z, começaremos pelo final. Esta guerreira é conhecida como ZZ plant, no exterior. A zamioculcas é bastante resistente e aprecia locais sombreados. É uma planta bem exótica e ornamental, alta, com folhas brilhantes em um tom bem fechado de verde. É ideal para aquele canto mais escuro, distante da janela, onde poucas plantas sobreviveriam. O único porém é que todas as partes desta planta são tóxicas, devendo ser mantida fora do alcance de crianças e animais de estimação.


Sansevieria trifasciata


Esta é uma planta bastante versátil, utilizada frequentemente tanto em interiores como em áreas externas. Confesso que nunca havia me passado pela cabeça cultivar esta planta, popularmente conhecida como espada de São Jorge. No entanto, depois que comecei a conhecer as inúmeras variedades disponíveis no mercado, fiquei apaixonado. Existem miniaturas bem graciosas, em forma de roseta, que lembram um ninho de passarinho. Outras são lisas, em um tom bem claro de verde, com as folhas largas, como a Sansevieria Moonshine. Há as diversas formas cilíndricas, também conhecidas como lanças de São Jorge. Embora tolerem sol pleno, sombra, meia sombra, falta de água, apresentam o pequeno empecilho de serem venenosas.


Dieffenbachia amoena


Outra planta bastante popular, conhecida por sua habilidade de sobreviver em cantos mais sombreados, em interiores, é uma ilustre integrante da gangue 'duras na queda'. Há variedades incríveis disponíveis no mercado, que diferem bastante do padrão que estamos acostumados a ver. Além de bonita e resistente, é o tipo de planta que só se compra uma vez, já que costuma emitir novos brotos em profusão, junto à planta mãe. Como todas as anteriores, apresenta a desvantagem de ser tóxica quando ingerida ou mesmo manuseada.


Epipremnum aureum


Também conhecida como jiboia, devido à sua habilidade de se enrolar nos troncos das árvores. Na verdade, esta planta epífita escala qualquer coisa, até as paredes internas das casas. Esta é outra que considero 'planta de aço', indestrutível. Pedi umas folhinhas da jiboia do meu irmão, Márcio Oyama, que costuma podá-la para manter uma aparência mais comportada. Pois, quatro meses depois, estas pequenas mudas já enraizaram, foram envazadas e transformaram-se em uma planta enorme. Uma tranquilidade. No momento, estou atrás de outras variedades bastante em voga no exterior. Há uma forma totalmente marmorizada, belíssima. Outra apresenta as folhas em uma coloração neon, um tom de verde bem claro, quase fluorescente.


Clorophytum comosum


Esta é uma planta que se adapta bem ao cultivo em interiores, apesar de ser mais comumente utilizada no paisagismo, como forração de canteiros. Bastante versátil, tolera tanto o sol pleno como a meia sombra. Produz longas hastes com vários brotos pendurados, que lembram pequenas aranhas. O clorofito é conhecido no exterior como spider plant, por este motivo. De facílimo cultivo, é outro coringa valioso para compor a decoração de ambientes com menos luminosidade. O único porém é que suas folhas, muito delicadas, costumam ficar com as pontas queimadas, quando há falta de umidade.




Ao longo dos últimos quatro meses, fui montando dentro do quarto uma coleção de plantas ideais para o cultivo em interiores, resistentes e de baixíssima manutenção. Esta lista contém cinco delas, as que considero mais tranquilas e que recomendo fortemente. Ao longo dos próximos artigos, outras espécies serão abordadas. Nas fotos que ilustram este artigo, de baixo para cima, um resumo da evolução ocorrida em minha estação de trabalho, cada vez mais verde!


11 comentários:

  1. Olá Serginho, eu ainda ficou um pouco medrosa de colocar plantas no meu quarto por causa de saber que elas liberam dioxido de carbono durante a noite, mas sei também que tem outras que ate oxigenam a área.. Em outubro do ano passado peguei um galinho de uma epipremum aureum cor neon que vi pendurada na Holanda, fiquei fascinada com a cor, de la pra cá o galinho com 3 folhas passou da agua para a terra, e da terra para a agua e novamente em terra e depois ficou com uma folha só e quando pensei que já não sobreviria ela me surprendeu, ainda não canto vitória, mas estou vendo raíces térreas e algumas raíces aereas também, cuido muito bem dela com carinho , atenção, musica e orações 😂😂😂😂... beijos e que a sua coleção so continue aumentando🙏🏼

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liz! Tudo bem? Sim, existe esta preocupação quanto a colocar plantas no quarto, mas não há problema! Na verdade, elas até atuam na purificação do ar, removendo alguns compostos tóxicos do ambiente. É verdade que liberam gás carbônico, mas o fazem em quantidades muito ínfimas.

      Torço bastante para que o seu Epipremnum aureum Neon sobreviva! É um sonho esta cor, adoro! Nunca vi aqui no Brasil.

      Muito obrigado por compartilhar sua experiência conosco! Também agradeço pelo carinho e apoio!

      Beijos e tudo de bom!

      Excluir
  2. Olá Sérgio! Gostei da sua mudança! Amo orquídeas, mas recentemente perdi 2 Cattleyas... Não deixei as orquídeas, não!Mas agora estou me aventurando nas suculentas também. Há pouco tempo ganhei uma mudinha de Zamioculca. Como ela cresce rápido!!! Sucesso com sua coleção! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vânia! Que alegria saber que gostou do novo assunto! Torço para que seu cultivo, seja de orquídeas ou suculentas, seja muito bem-sucedido!

      Sim, eu adoro zamioculcas, são lindas e resistentes! Muito obrigado pelo carinho, sucesso no seu cultivo, também!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Eu também estou mudando. AMO ORQUIDEASão mas elas não florescem bem na minha sacada lado oeste. Acabei por desistir depois de perder muitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena... Sei bem como é dolorida esta decisão. Mas há tantas outras plantas que podem ser cultivadas neste espaço, não desanime! Torço para que sua sacada fique linda.

      Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  4. Sergio olá amigo, tudo bem?
    Que espetáculo, pois este artigo é de utilidade pública!!
    Todos precisavam saber quais as melhores plantas que se adaptam ao ambiente!!

    Mas antes preciso discordar do que você disse no início no seu artigo em que enfatiza que não foi um bom cuidador das temperamentais orquídeas!! Nooossa! Foi com você que aprendi milhões de coisas com elas e que também são criaturinhas difíceis demais para cuidar...hihihihihi
    Amigo, eu moro em uma casa que tem sol, gotas de chuva e vento na medida certa para as bebezinhas orquídeas, mas quem disse que elas apreciaram as acomodações? Vivem à míngua, mesmo assim, não florescem, não se desenvolvem e não ficam felizes como as que vejo encarapitadas nas árvores da Mata Atlântica ou no pé de manga do quintal da Vovó Zilda... Somente no ambiente "in natura" que percebo que as orquídeas são realmente felizes e diante desta constatação secular...rsrs Há muito desisti das belezuras amigo!!

    E você sempre foi um exímio cuidador, cauteloso, estudou até a fotossíntese das belezinhas amigo.. Mas é complicado mesmo!! Por isso que nada melhor do que partir para as plantinhas verdes como cactos e suculentas..Ahhhh em breve tirarei uma foto de um vaso de mini cajá que estou cuidando amigo, uma gracinha!! Acho que você vai gostar!!

    E lembre-se sempre: tudo o que você faz é sinônimo de beleza e sucesso, independente da plantinha que escolha!!
    Adoro o seu trabalho amigo!! Ahh amei o seu cantinho! Linnndo!!!!

    Um grande beijo e um final de semana maravilhoso!! :)))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Adriana, imagine! Que alegria, fiquei até comovido lendo sua mensagem! Bondade sua, muito obrigado pelas palavras de carinho e apoio! Sim, são bem temperamentais e exigentes estas orquídeas, embora há quem afirme o contrário.

      Vou adorar conhecer seu mini cajá, acho que nunca vi um vaso dele! Agradeço de coração pela visita e pelas palavras de apoio, são muito importantes para mim!

      Beijo grande e tudo de bom!

      Excluir
  5. Sérgio lindo! Pelo amor de Deus, não diga que vc é incompetente com orquídeas, pq vc é minha inspiração!
    Meu apê é lado Leste, moro na região do parque do Carmo.
    Ha esperança pras minhas orquídeas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, imagine! Bondade sua, muito obrigado pelo carinho!

      Então, a orientação do seu apê é ideal para o cultivo de orquídeas! Isso porque elas apreciam o sol da manhã, que é mais ameno. O importante é prestar atenção ao excesso de vento, dependendo da altura do andar. Desejo a você um excelente cultivo de orquídeas no seu apartamento!

      Um grande abraço!

      Excluir