Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê
Orquídeas no Apê

Suculenta Kalanchoe Fantasma - Kalanchoe fedtschenkoi


Suculenta Kalanchoe fedtschenkoi
| Kalanchoe fedtschenkoi |

Existem diversas espécies de plantas suculentas cujos nomes populares incluem as palavras fantasma, fantôme, em francês ou ghost, em inglês. Isto se deve à coloração pálida e ao aspecto empoeirado de suas folhas. É o caso da Kalanchoe fantasma, cujo nome científico é Kalanchoe fedtschenkoi. Na foto de abertura deste artigo, a planta em questão não se encontra muito fantasmagórica porque trata-se de uma forma variegata da espécie. Em sua versão tipo, mais comumente encontrada na natureza, esta suculenta possui uma aparência mais fosca, menos colorida.

Devido às incontáveis idas e vindas da taxonomia botânica, a Kalanchoe fantasma também pode atender pela ainda mais complicada denominação Bryophyllum fedtschenkoi. O nome popular da forma variegata, no entanto, é bastante poético e sugestivo, Aurora Borealis.


Outro apelido curioso da Kalanchoe fantasma, em países de língua inglesa, é lavander scallops, vieiras na coloração lavanda. Qualquer que seja o nome científico, Kalanchoe fedtschenkoi ou Bryophyllum fedtschenkoi, o importante é saber que se trata de uma planta suculenta pertencente à família botânica Crassulaceae, repleta de gêneros e espécies vegetais de grande interesse ornamental, bastante apreciados pelos colecionadores.

A espécie Kalanchoe fedtschenkoi homenageia o botânico russo Boris Fedtschenko, que esteve à frente do Jardim Botânico de São Petersburgo, no início do século XX. A Kalanchoe fantasma é originária da ilha de Madagascar, habitando áreas de clima semi desértico, sobre solos arenosos e pouco férteis. Atualmente, esta suculenta é cultivada em todo o mundo, com fins comerciais.

A Kalanchoe fantasma forma touceiras rapidamente, emitindo novas brotações que, ao encostarem no solo, enraízam-se e formam novas mudas, espontaneamente. Individualmente, cada suculenta pode chegar aos trinta centímetros de altura. As folhas apresentam uma tonalidade pastel de verde azulado, um pouco acinzentada, e são cobertas por uma camada de pruína, substância cerosa que visa proteger os tecidos vegetais da radiação solar intensa. A deposição deste material, que tem o aspecto de um pó translúcido, confere à Kalanchoe fedtschenkoi sua característica aparência fosca e empoeirada.


Quanto cultivada sob sol pleno, a Kalanchoe fantasma desenvolve uma coloração avermelhada nas bordas das folhas, mesmo em sua forma tipo. Os períodos de estiagem também estimulam o surgimento deste colorido. As flores possuem uma tonalidade que varia entre o púrpura e o vermelho, têm a forma de um sino e surgem em clusters, nos ápices de longas hastes.

Esta é uma suculenta que se desenvolve melhor quando plantada em ambientes externos, em jardins de inspiração desértica, em meio a rochas, cactos e outras suculentas. No entanto, plantada diretamente no solo, a Kalanchoe fantasma tem a tendência de se espalhar com facilidade. O cultivo em canteiros e vasos ajuda a restringir o crescimento horizontal da Kalanchoe fedtschenkoi. Tamanha é a sua capacidade de propagação que a espécie acabou se naturalizando em outros países, fora de seu habitat original.

Dentro de casas e apartamentos, é importante que a Kalanchoe fantasma seja cultivada em um local com bastante luminosidade, que receba algumas horas de sol pleno, diariamente. Neste tipo de ambiente, o principal cuidado é quanto à possibilidade de estiolamento da planta, devido à falta de luz. Sob condições muito sombreadas, a suculenta tende a crescer aceleradamente, com um grande espaçamento entre as folhas, ficando fina, frágil e comprida.


A Kalanchoe fantasma desenvolve-se bem em coberturas, varandas e jardineiras externas, desde que recebam bastante sol pleno. Trata-se de uma planta mais resistente ao excesso de vento que costuma incidir sobre estas localidades, principalmente se estiverem em andares mais altos.

Principalmente quando plantada em vasos, a espécie Kalanchoe fedtschenkoi necessita de um substrato bem aerado, de natureza arenosa, pobre em matéria orgânica e facilmente drenável. Esta condição pode ser obtida através da mistura de terra vegetal e areia grossa de construção, em partes iguais. Sempre lembrando que a areia da praia não é apropriada para este fim, já que contém elevados níveis de salinidade. Para quem prefere praticidade, existem substratos próprios para o cultivo de cactos e suculentas, prontos para o uso, à venda em lojas de jardinagem e garden centers.

É importante que o vaso para o cultivo da Kalanchoe fantasma seja montado da forma correta, para que a água das regas escoe com eficiência. O ideal é que o recipiente seja de barro, já que o material é mais poroso e permite uma secagem mais rápida do substrato. Ele precisa ter furos no fundo e uma camada de drenagem, que pode ser feita com argila expandida, brita ou cacos de telha. Por cima deste material, uma manta geotêxtil ajuda a reter o solo arenoso, impedindo que ele se perca com a água das regas.


Estas devem ser bastante espaçadas, ocorrendo somente quando o substrato estiver completamente seco. Podemos perceber que o momento de regar chegou colocando o dedo sobre a terra, afundando levemente. Além disso, quando o solo encontra-se bem seco, o peso do vaso diminui consideravelmente. Com o tempo, aprendemos a fazer esta avaliação.

A adubação da Kalanchoe fedtschenkoi não precisa ser muito intensa ou elaborada. Como se trata de uma espécie originária de regiões áridas, com solos pobres em matéria orgânica, o fornecimento de uma formulação básica de manutenção, própria para cactos e suculentas, já garante um bom desenvolvimento da suculenta Kalanchoe fantasma.

Assim como muitas outras espécies do gênero, a Kalanchoe fedtschenkoi se propaga facilmente através de folhas destacadas da planta mãe e colocadas em um berçário de suculentas. Mesmo sem que este cuidado seja tomado, é frequente observarmos plântulas se formando espontaneamente, a partir de folhas caídas no solo. A multiplicação da Kalanchoe fantasma também pode ocorrer através de sementes e estacas.


Por fim, é importante salientar que todos os componentes da espécie Kalanchoe fedtschenkoi, folhas, caules, raízes e flores, são ricos em glicosídeos cardíacos, substâncias que agem sobre o tecido do coração, podendo causar intoxicações, se ingeridos. Portanto, é importante que os vasos de Kalanchoe fantasma sejam mantidos fora do alcance de crianças e pets.

Esta é uma suculenta bastante popular, devido à sua beleza e facilidade de cultivo. A forma variegata é muito procurada e garante um splash de cor ao ambiente, seja ele interno ou externo.

Publicado em: | Última atualização:





Bacharel em biologia pela Unicamp, com mestrado e doutorado em bioquímica pela Usp, escreve sobre o cultivo de orquídeas, suculentas, cactos e outras plantas dentro de casas e apartamentos.

São Paulo, SP, Brasil