Guia Completo para Cuidar de Plantas dentro de Casas e Apartamentos

Início

Sergio Oyama Junior


Orquídeas no Apê

Como Cuidar da Peperomia caperata


Peperomia caperata
Peperomia caperata

Quando penso em uma planta chic, essa é uma das que me vêm à mente. A Peperomia caperata, apesar de seu porte compacto, rouba os olhares através do efeito dramático das suas nervuras em baixo relevo, ornamentando as folhas brilhantes em forma de coração, sempre apresentando uma paleta sóbria de cores, que mescla o burgundy e diversas tonalidades de um verde bem fechado. Várias outras espécies de peperômia vêm fazendo bastante sucesso como plantas de interior. No entanto, é esta classuda caperata que ocupa um lugar especial no meu coração.

Existem diferentes variedades de Peperomia caperata disponíveis no mercado. A mais comumente encontrada é esta em destaque na foto de abertura deste artigo. No exterior, ela é conhecida como peperômia Emerald Ripple. Outro cultivar que faz bastante sucesso é a Peperomia caperata 'Rosso', que possui folhas mais alongadas, em uma tonalidade mais clara de verde, sendo que a parte inferior é surpreendentemente escarlate. A palavra rosso significa vermelho, em italiano. É uma peperômia na versão Louboutin.


O nome do gênero Peperomia resulta da latinização de duas palavras gregas que significam 'semelhante à pimenta'. Estas plantas fazem parte da família Piperaceae, a mesma na qual está incluído o gênero Piper, da pimenta. O nome da espécie, caperata, é o feminino de caperatum, que, em latim, significa enrugado, fazendo alusão à aparência das folhas desta peperômia.

Esta é uma espécie originária do Brasil, bastante apreciada em todo o mundo como planta ornamental de interiores. A Peperomia caperata é ideal para o cultivo dentro de casas e apartamentos porque está habituada à vida em ambientes de sombra, desenvolvendo-se bem apenas com luz difusa, indireta.

Ironicamente, o único aspecto comprometedor, do ponto de vista estético, fica por conta das florações da Peperomia caperata. Tratam-se, na realidade, de inflorescências sob a forma de hastes finas e compridas, cuja aparência nos remete à cauda de um rato. Olhando com mais atenção, dá para perceber que a estrutura tem a arquitetura de uma espiga, composta por minúsculas flores brancas. Ainda que não tenham uma época definida para aparecerem, estas florações são mais comumente vistas durante os meses que vão do verão ao outono. Inflorescências como estas, em forma de rabo de rato, são a marca registrada de diversas espécies de peperômia.


Aqui no blog, já apresentamos a cobiçada peperômia melancia, cujo nome científico é Peperomia argyreia. Esta é outra planta de interior que está bastante em voga, atualmente. Mais comum é a peperômia filodendro, Peperomia scandens, que possui aquele clássico aspecto pendente. Outra planta digna de nota, pertencente a este gênero botânico, é a Peperomia prostata, popularmente conhecida como colar de tartarugas. Assim como a Peperomia caperata, são todas plantas de fácil cultivo, ideais para ambientes internos, pouco exigentes quanto à luminosidade.

O único cuidado a ser tomado, no cultivo da Peperomia caperata, é exatamente com o excesso de sol, que pode queimar sua folhagem delicada. Dentro de casas e apartamentos, esta planta fica perfeita próxima a uma janela com luminosidade indireta. Nas horas mais quentes do dia, é importante protegê-la do sol pleno com a ajuda de uma cortina fina. Varandas face oeste, que recebem o sol da tarde, não são indicadas para o cultivo desta peperômia.

Por apreciarem ambientes úmidos e sombreados, as peperômias, e particularmente a Peperomia caperata, costumam ser utilizadas na composição de terrários. O porte compacto da planta ajuda a tornar os arranjos mais delicados, evitando o retrabalho com podas de manutenção. Neste tipo de ambiente, o principal cuidado a ser tomado é quanto ao excesso de regas. Como não há por onde a água escapar, seu acúmulo pode provocar o apodrecimento das raízes. Uma generosa camada de drenagem, com pedriscos no fundo, é essencial para o cultivo bem-sucedido desta peperômia em terrários.


Sendo uma planta de origem tropical, acostumada à vida no chão das florestas úmidas, a Peperomia caperata aprecia um solo rico em matéria orgânica. Aquela mistura clássica para jardinagem amadora, que compramos pronta, pode ser acrescida de húmus de minhoca ou esterco curtido, para um maior aporte de nutrientes. Alternativamente, uma adubação inorgânica, do tipo NPK, de manutenção, será suficiente para manter a folhagem desta peperômia bonita. Ainda que as florações não costumem ser priorizadas, neste tipo de planta, o uso de um fertilizante mais rico em fósforo poderá ajudar a promover o aparecimento das inflorescências.

É sempre aconselhável evitar o excesso de adubação, que pode resultar no acúmulo de sais minerais no solo, prejudicando o desenvolvimento das raízes.

A Peperomia caperata pode ser plantada em vasos de plástico ou barro, sem maiores problemas. No entanto, a frequência das regas deve ser ajustada de acordo com o material escolhido. O plástico tende a reter a umidade do solo por um período mais prolongado. Já a cerâmica, por ser mais porosa, permite que o substrato seque mais rapidamente. Esta espécie não tolera os extremos de umidade, o solo não pode ficar encharcado e nem seco por muito tempo. Sempre é válida a regra de se testar a umidade do substrato com a ponta do dedo.

Como não se dá bem com o frio, a Peperomia caperata é perfeita para o cultivo dentro de casas e apartamentos, onde as temperaturas se mantêm constantes ao longo de todo o ano. É por este motivo que esta houseplant faz tanto sucesso em países de clima temperado, onde invernos mais rigorosos impedem seu cultivo em áreas externas.


Outro grande atrativo da Peperomia caperata, como planta de interior, é o fato de suas folhas não serem tóxicas, caso ingeridas acidentalmente por crianças ou animais de estimação.

A multiplicação da Peperomia caperata é bastante tranquila, podendo ocorrer através da divisão de touceiras ou a partir de folhas saudáveis e adultas, destacadas da planta mãe. O processo é semelhante ao utilizado na propagação da violeta africana. As folhas podem ser colocadas para enraizar na água ou plantadas diretamente em um vaso separado. As peperômias, de maneira geral, geram novas mudas com facilidade, a partir de suas folhas.

Com tantas variedades de formas e cores disponíveis, além da facilidade de cultivo e baixa manutenção, fica difícil resistir à tentação de se colecionar peperômias. A espécie Peperomia caperata, particularmente, é um charme em qualquer ambiente, quebrando a monotonia do verde alface das folhagens em geral.