CULTIVO DE PLANTAS DENTRO DE CASAS E APARTAMENTOS

Início

SERGIO OYAMA JUNIOR

Hera Inglesa - Hedera helix


Hedera helix
Hedera helix

A planta que conhecemos popularmente como hera ou hera inglesa, cujo nome científico é Hedera helix, é aquele elemento chave na composição dos diferentes cômodos de uma residência, capaz de dar um ar de urban jungle a qualquer ambiente sem graça. Onipresente no paisagismo de áreas externas, esta trepadeira também adapta-se ao cultivo dentro de casas e apartamentos, tornando-se um coringa na decoração de interiores.

Além da forma tipo, com folhas completamente verdes, existem diferentes variedades variegatas, com padrões que mesclam tons de creme, prata e amarelo. É comum encontrarmos a hera inglesa em diferentes jardins temáticos, seja cobrindo muros e paredes, seja ornamentando pérgolas e treliças. No hemisfério norte, onde a Hedera helix costuma ser chamada de english ivy, esta trepadeira também pode ser utilizada na composição de falsas topiarias, com os ramos preenchendo estruturas metálicas em forma de pirulito.


Em ambientes internos, a hera inglesa pode ser cultivada simplesmente sob a forma de uma planta pendente, em vasos suspensos. Com o passar do tempo, seus caules vão adquirindo uma textura lenhosa, bastante lignificada. Além disso, mesmo penduradas, estas estruturas continuarão a emitir raízes aéreas, tecnicamente chamadas de adventícias, ao longo de toda a sua extensão, agarrado-se a qualquer superfície, na primeira oportunidade. É por este motivo que também se costuma conduzir os ramos desta trepadeira com algum tipo de suporte, da mesma forma que se faz com a popular planta jiboia, Epipremnum aureum, ou os filodendros, de modo geral.

Por incrível que possa parecer, a hera inglesa é uma planta pertencente à família botânica Araliaceae, a mesma da árvore da felicidade, Polyscias guilfoylei. Apesar do nome, ela tem sua origem distribuída em diversos países da Eurásia, sendo, portanto, uma planta que aprecia climas mais amenos, entre o temperado e subtropical. Ainda assim, a espécie Hedera helix e suas inúmeras variedades adaptaram-se muito bem ao cultivo em solo brasileiro, sendo utilizada em projetos paisagísticos de norte a sul do país.

Também por este motivo, a hera inglesa torna-se uma escolha perfeita para a decoração de ambientes internos, uma vez que, nestas localidades, as temperaturas são mantidas constantes e amenas ao longo de todo o ano, independentemente da região do país.


O principal cuidado a ser tomado, no cultivo da hera inglesa, é quanto aos níveis de umidade relativa do ar, em seu ambiente. Esta é uma planta que se ressente de cômodos muito secos ou que sofrem a influência de aparelhos de ar condicionado. O primeiro sinal de que falta umidade no ambiente, emitido pela planta, é o surgimento de pontas secas e queimadas, em suas folhas. Caso a situação persista, a planta inteira pode secar, em questão de poucos dias.

No entanto, a solução para este problema não se traduz em uma frequência maior de regas. O excesso de umidade no solo pode levar ao mesmo fenômeno de ressecamento das folhas, uma vez que as raízes apodrecem e a planta se desidrata. O ideal é realizar uma rega moderada, de modo que o solo tenha tempo de secar bem, entre uma irrigação e outra.

De modo geral, os mesmos cuidados adotados no cultivo de samambaias, em ambientes internos, aplicam-se ao caso da Hedera helix. Em dias muito quentes e secos, a planta beneficia-se de borrifadas de água em suas folhas, procedimento que ajuda a aumentar os níveis de umidade relativa no microclima em torno da planta. Bandejas umidificadoras, com uma camada de areia, pedrisco ou argila expandida, com uma lâmina de água no fundo, também ajudam a manter o vaso levemente úmido, sem ficar com o solo encharcado.


As pulverizações periódicas de água sobre a superfície das folhas também ajudam a eliminar os ácaros, que costumam atacar a hera inglesa, principalmente dentro de casas e apartamentos, onde a ventilação é menor. Em casos de infestações mais agressivas, torna-se necessário o uso de um produto acaricida, que é diferente dos inseticidas, visto que ácaros são parentes das aranhas, não dos insetos. Soluções à base de enxofre costumam manter infestações de ácaros sob controle, além de funcionarem como fertilizantes.

A hera inglesa pode ser plantada em vasos de plástico ou barro, sem maiores problemas. No entanto, o vaso de plástico apresenta a vantagem de reter a umidade por mais tempo, além de ser mais leve, o que facilita seu posicionamento no cultivo suspenso. O importante é que ele tenha furos no fundo e um bom sistema de drenagem, de modo a evitar que o solo fique encharcado por muito tempo. Por este motivo, é sempre bom evitar utilizar o pratinho sob o vaso, que tende a acumular a água das regas e facilitar o apodrecimento das raízes. Caso ele seja preenchido com areia, o procedimento ajuda a manter a umidade e evita a proliferação do mosquito da dengue.

O solo típico para o cultivo da hera inglesa é o mesmo tradicionalmente utilizado em vasos da violeta africana. Qualquer mistura de terra vegetal, própria para a jardinagem amadora, e vendida pronta em lojas especializadas e garden centers, pode ser utilizada. O ideal é que o material não fique demasiadamente compactado e que tenha uma parte de compostos orgânicos, que auxiliarão na adubação da Hedera helix.

Adicionalmente, pode-se utilizar um fertilizante inorgânico, do tipo NPK, com níveis equilibrados destes macronutrientes, para garantir um bom desenvolvimento da hera inglesa. É importante tomar cuidado com o excesso de adubação, que pode causar um acúmulo de sais minerais no solo, prejudicando o desenvolvimento das raízes.


A multiplicação da hera inglesa é bastante tranquila, ocorrendo através do plantio de estacas retiradas da planta principal. De tempos em tempos, é recomendável fazer uma poda de manutenção nesta trepadeira, para que sua folhagem fique em um tamanho administrável e com o aspecto mais denso. Nestas ocasiões, os ramos excedentes podem ser utilizados na propagação da planta, bastando espetá-los no solo de um novo vaso. Para um enraizamento mais rápido e seguro, as estacas podem ser enraizadas previamente em um recipiente com água, desde que devidamente coberto.

Ainda que a hera inglesa seja tradicionalmente utilizada como planta medicinal, no hemisfério norte, convém salientar que esta espécie é tóxica se ingerida acidentalmente por crianças ou animais de estimação. Sua seiva também pode causar irritações em peles de pessoas mais sensíveis. Convém manter a planta longe do alcance de pequenos curiosos.

No mais, a Hedera helix é uma planta bastante ornamental, versátil, que se adapta a diferentes ambientes, internos e externos, requerendo pouca manutenção. Algumas variedades crescem mais rapidamente do que outras. Para quem aprecia o aspecto de uma pequena floresta dentro de casas e apartamentos, a hera inglesa é uma excelente opção.