Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Gerânio - Pelargonium híbrido


Pelargonium híbrido
Pelargonium híbrido

Há muitos anos, no início da taxonomia botânica, Carl Linnaeus estabeleceu o gênero Geranium, pertencente à família Geraniaceae, que incluía todas as espécies conhecidas de gerânios. Pouco tempo depois, decidiram separar estas plantas em dois gêneros, Geranium e Pelargonium. De tal forma que, atualmente, os gerânios ornamentais mais conhecidos e cultivados são espécies, variedades e híbridos do gênero Pelargonium, não mais Geranium. Ainda assim, por motivos históricos, estas plantas continuam a ser chamadas de gerânios.



A confusão é ainda maior em países de língua inglesa, onde o gerânio é chamado de geranium, nome do gênero original, muito embora estas plantas ornamentais sejam, atualmente, classificadas como Pelargonium. Os gerânios estão entre as flores mais cultivadas em todo o mundo, principalmente em jardins e áreas externas, locais que recebem bastante luminosidade. Dentro de casas e apartamentos, é mais difícil que um gerânio consiga produzir flores, devido à luz filtrada e indireta, típica deste tipo de ambiente.

Embora poucos se apercebam do fato, os gerânios podem ser considerados plantas suculentas. Ainda que suas folhas tenham a aparência normal, os caules do gerânio possuem a capacidade de armazenar água em seus tecidos vegetais, de modo similar às begônias. Não por acaso, as diferentes espécies que originaram os híbridos de gerânios ornamentais são nativas de regiões localizadas ao sul do continente africano. Sendo assim, estas plantas podem resistir a temperaturas elevadas e períodos de estiagem.

Existem, basicamente, duas variedades de gerânio mais cultivadas, em função de suas flores bastante ornamentais. Uma é mais ereta, arbustiva, representada por híbridos descendentes da espécie Pelargonium hortorum. Devido ao aspecto de suas folhas, este cultivar costuma ser popularmente chamado de gerânio ferradura. De modo geral, tanto as folhas como as flores deste tipo de gerânio são bastante perfumadas, apresentando uma grande diversidade de aromas, dependendo do cultivar. É das folhas do gerânio que o óleo essencial geraniol, bastante utilizado na indústria de perfumes, é extraído. Há quem afirme que o gerânio aromático, capaz de exalar um perfume cítrico, pode ser usado como repelente de mosquitos, assim como a citronela.


Já a variedade híbrida, que possui o Pelargonium peltatum em sua ascendência, apresenta um porte mais herbáceo, de aspecto prostrado. Por este motivo, estas plantas são conhecidas como gerânios pendentes. Ao contrário da variedade ereta, eles formam belas cascatas floridas, de grande efeito ornamental, em vasos suspensos. Neste caso, no entanto, as flores não são perfumadas. No exterior, o gerânio pendente é conhecido como ivy leaved geranium, uma vez que suas folhas possuem a aparência daquelas encontradas na hera (ivy).

As flores dos gerânios, além de belíssimas, servem para distinguir os dois principais gêneros desta família botânica. Aquelas produzidas pelas espécies do gênero Geranium apresentam cinco pétalas idênticas, dispostas ao redor de um eixo central. Desta forma, a simetria da flor deste gerânio é radial. Já as flores dos gerânios pertencentes ao gênero Pelargonium possuem as duas pétalas superiores diferentes das três basais. Deste modo, a flor torna-se zigomorfa, apresentando uma simetria bilateral.

Atualmente, no entanto, vários híbridos comercializados de gerânio apresentam flores com pétalas dobradas. Neste caso, há várias camadas de pétalas sobrepostas, o que confere à inflorescência o aspecto de um mini bouquet natural, extremamente ornamental. A variedade de cores e perfumes é incrível, fruto de décadas de cruzamentos sucessivos, entre diferentes espécies de gerânios. Atualmente, podemos encontrar gerânios com flores em diferentes tonalidades de branco, pink, vermelho, laranja e púrpura. Existem variedades mais raras, capazes de produzir flores amarelas. Outro híbrido digno de nota é o gerânio com flores em um tom bem fechado de vermelho, quase negro.


A floração do gerânio costuma ocorrer durante os meses mais quentes do ano, iniciando-se na primavera e prolongando-se até o outono. De modo geral, os gerânios de porte arbustivo costumam ser cultivados em quintais e jardins ensolarados, formando maciços e bordaduras bastante floríferos. Já os gerânios pendentes ficam belíssimos em vasos suspensos ou floreiras na parte externa das janelas. Também são ideais para quem mora em apartamento e dispõe de uma varanda que receba bastante luminosidade. Por serem plantas de natureza suculenta, mais resistentes aos períodos de seca, os gerânios costumam ser indicados para aquelas varandas de apartamentos localizados em andares mais altos, onde venta muito, já que a umidade do ar nestes locais é mais baixa. Neste tipo de ambiente, jardins verticais ornamentados com gerânios pendentes ficam um espetáculo.

Os vasos e floreiras para o plantio do gerânio devem ser preparados com uma camada de drenagem no fundo, composta por qualquer material particulado, como cacos de telha, argila expandida ou brita. Por cima desta camada, pode-se posicionar uma manta geotêxtil, para evitar que o solo escape durante as regas. Alternativamente, há quem reutilize o filtro de café, para esta finalidade.

O substrato ideal para o gerânio é aquele rico em matéria orgânica. Porém, como se trata de uma planta de origem africana, de natureza suculenta, convém adicionar uma parte de areia à mistura. O importante é que o solo fique bem aerado, facilmente drenável, além de ser capaz de fornecer nutrientes às raízes do gerânio. As regas devem ser moderadas, ocorrendo apenas quando o substrato estiver seco. Pode-se fazer esta aferição com a ponta do dedo, para sentir a umidade do material, ou através do peso do vaso. Quanto mais leve estiver, mais seco estará o solo em seu interior. De modo geral, mas principalmente em relação ao gerânio, convém evitar o uso do pratinho sob o vaso, que pode aumentar a umidade e causar o apodrecimento das raízes. Outro hábito prejudicial, no caso do gerânio, é o de borrifar as folhas e flores. Este procedimento também pode facilitar o desenvolvimento de fungos e bactérias, nestes tecidos vegetais, prejudicando sua aparência.


A manutenção dos gerânios é bastante tranquila. Basta retirar as folhas amarelas, mais antigas, que vão secando com o tempo, além de hastes florais que já finalizaram o processo. No caso dos gerânios pendentes, que vão ficando cada vez mais compridos, pode-se fazer uma poda nas extremidades do caule, utilizando os segmentos cortados como mudas para a formação de novas plantas. Este procedimento também ajuda o caule remanescente a se ramificar, produzindo uma touceira mais densa.

Embora os gerânios possam ser plantados a partir de sementes, o método de estaquia, acima descrito, é o mais prático e rápido para se realizar a multiplicação desta planta. Tanto as sementes como as estacas devem ser plantadas no início da primavera, quando o metabolismo do gerânio está mais ativo.

O excesso de adubação, no caso do gerânio, pode prejudicar sua floração, principalmente se a fórmula utilizada for rica em nitrogênio. Para que as flores surjam com mais vigor, pode-se estimular o processo com um adubo rico em fósforo. Existem formulações específicas para estimular a floração de plantas ornamentais, à venda em lojas especializadas. Não é necessário aplicar muito fertilizante químico, nos casos em que o substrato já tiver sido bem preparado, com uma terra adubada, rica em matéria orgânica.

Embora seja belíssimo, perfumado e de fácil cultivo, o gerânio apresenta a desvantagem de ser bastante tóxico a animais domésticos, principalmente gatos e cachorros, se ingerido acidentalmente. Portanto, ele deve ser plantado em locais inacessíveis a estes pets. Tomado este cuidado, o gerânio é um espetáculo de planta, podendo inclusive ser cultivado apenas pela sua folhagem perfumada e ornamental.