CULTIVO DE PLANTAS DENTRO DE CASAS E APARTAMENTOS



SERGIO OYAMA JUNIOR
Links Parceiros

Suculentas   Orquídeas


Orquídeas no Apê

Peperômia Melancia - Peperomia argyreia


Peperomia argyreia
Peperomia argyreia

Assim como acontece no mundo da decoração, as plantas também estão sujeitas a modismos e tendências. Atualmente, estão em alta as mais diferentes espécies de peperômias, graças à sua facilidade de cultivo no interior de casas e apartamentos. Dentre elas, destaca-se a peperômia melancia, cujo nome científico é Peperomia argyreia. Suas folhas apresentam uma textura firme, que lembra a das plantas suculentas, sendo bastante ornamentais. O padrão de estrias esverdeadas sobre um fundo prateado lembra, de fato, a aparência de uma melancia.

Aqui no blog, já apresentamos outra representante mais comum deste gênero botânico, a Peperomia scandens, popularmente conhecida como peperômia filodendro. Apesar do apelido, não se trata de uma espécie do gênero Philodendron. Também já falamos sobre a elegante Peperomia caperata e a curiosa Peperomia prostata, chamada de colar de tartarugas. As peperômias fazem parte da grande família Piperaceae, também conhecida como a família da pimenta. O nome é derivado da palavra pippali, utilizada para denominar os pimentões asiáticos, em sânscrito. São plantas que ocorrem naturalmente em praticamente todas as regiões tropicais e subtropicais do globo terrestre.


No entanto, a maioria das peperômias cultivadas com fins ornamentais, em todo o mundo, são originárias do continente americano. A peperômia melancia, por exemplo, é uma planta tipicamente brasileira. A espécie Peperomia argyreia também pode ser encontrada em outros países da América do Sul, tais como Equador, Bolívia e Venezuela. O nome da espécie faz referência ao belíssimo colorido apresentado pelas folhas da peperômia melancia. O termo argyreia, em latim, corresponde ao feminino de prateado. Argenti é a palavra latina para designar o metal prata.

Mas é a aparência de melancia a característica mais marcante desta peperômia. Tanto que, no exterior, ela também é conhecida como watermelon peperomia. Alguns também a chamam de watermelon begonia, ainda que ela não tenha parentesco algum com este gênero botânico.

Ao contrário da peperômia filodendro, que se torna pendente, com o passar do tempo, a peperômia melancia mantém-se compacta ao longo de toda a vida. Trata-se de uma típica planta de interior, ideal para ser cultivada em vasos. Embora possa florescer, seu maior atrativo são as folhas. As inflorescências da Peperomia argyreia têm o aspecto característico de outras plantas do gênero, sendo longas e repletas de minúsculas flores, lembrando a cauda de um rato. No cultivo doméstico, dentro de casas e apartamentos, é mais raro que estas florações ocorram.


Ainda assim, na eventualidade de a peperômia melancia produzir flores, é comum que seus cultivadores cortem a haste floral, tão logo surja, com o intuito de priorizar a energia da planta em direção ao crescimento vegetativo, resultando em um melhor desenvolvimento de sua folhagem.

Devido à sua origem tropical, a Peperomia argyreia aprecia as temperaturas amenas e constantes ao longo de todo o ano, situação comumente encontrada no interior da maioria das residências. Sendo assim, a peperômia melancia é a escolha ideal para quem mantém suas plantas em ambientes internos. Tudo o que ela necessita é de um local com luminosidade difusa, indireta, próximo a uma janela que não precisa ser muito ensolarada. A peperômia melancia não tolera a incidência direta dos raios solares sobre suas folhas, situação que pode causar queimaduras e a morte da planta.

Por outro lado, a falta de luminosidade pode fazer com que as folhas percam a variegação, tornando-se completamente verdes. O mesmo ocorre com a peperômia filodendro. De modo geral, a peperômia melancia beneficia-se da luminosidade requerida pela maioria das plantas de interior, nem muito intensa, nem muito fraca. Na natureza, a Peperomia argyreia encontra-se como forração, sobre o solo das florestas tropicais, protegida pela sombra fornecida pelas copas das árvores.


Neste contexto, a peperômia melancia aprecia um solo mais rico em matéria orgânica. Existem substratos próprios para a jardinagem amadora, à venda em lojas especializadas e garden centers. Estas misturas podem ser enriquecidas com a adição de composto orgânico, para um maior aporte de nutrientes à planta.

Alternativamente, uma adubação inorgânica, do tipo NPK, com níveis equilibrados destes nutrientes, é suficiente para suprir o desenvolvimento vegetativo da peperômia melancia. Caso o objetivo seja fazer a planta florescer, uma formulação mais rica em fósforo pode ser fornecida, de forma intercalada com o adubo de manutenção. O ideal é sempre evitar o excesso de fertilizantes, situação que pode provocar um crescimento excessivo da planta, roubando-lhe a robustez, bem como ocasionar a queima das raízes, devido ao acúmulo de sais minerais no solo.

Da mesma forma, as regas da peperômia melancia devem ser feitas de forma moderada. A natureza suculenta de suas folhas é um indicativo de que a planta é capaz de armazenar água em seus tecidos, de modo que o excesso de irrigação pode fazer com que a planta apodreça. Quando isso acontece, o estrago é grande e rápido.

Por outro lado, a falta de água pode fazer com que as folhas mais antigas caiam. Com o tempo, aprendemos a perceber quando a peperômia melancia precisa ser regada, apenas tocando em suas folhas e dando uma leve curvada, testando seu turgor. Se estiverem meio flácidas, é sinal de que necessitam de uma rega.


Em resumo, o ideal é não deixar o solo nem muito seco, nem muito molhado. Quanto maiores forem os níveis de umidade relativa do ar, no ambiente de cultivo, mais saudável ficará a Peperomia argyreia. Por este motivo, a planta pode sofrer em ambientes com ar condicionado. Umidificadores de ar e bandejas umidificadoras, contendo areia ou pedrisco e uma lâmina de água no fundo, ajudam a manter a planta hidratada, sem que suas raízes fiquem encharcadas.

A peperômia melancia é uma planta fácil de ser propagada. O método é semelhante àquele utilizado para multiplicar a violeta africana, através de suas folhas. Basta cortar algumas folhas saudáveis e maduras e colocá-las na água, para que enraízem. Há quem prefira plantá-las diretamente na terra. Em ambos os casos, novas mudas surgirão a partir das pontas das folhas. Alternativamente, pode-se fazer a propagação com folhas cortadas ao meio, plantadas diretamente no substrato. Neste caso, eu costumo utilizar musgo sphagnum, já que a contaminação é menor e o índice de folhas apodrecidas é significativamente reduzido.

Ainda que esta seja uma planta brasileira, não é muito comum encontrá-la nas lojas de jardinagem e garden centers que costumo frequentar. Curiosamente, a peperômia melancia faz grande sucesso em países do hemisfério norte, onde é amplamente cultivada e apreciada como planta de interior. Trata-se, sem dúvida, de uma excelente escolha para trazer um frescor tropical aos ambientes internos, seja em casas ou apartamentos.





Vídeo | Suculentas de Sombra