Guia completo para cuidar de plantas dentro de casas e apartamentos

Sergio Oyama Junior

Ixora - Ixora coccinea


Ixora coccinea
Ixora coccinea

As vibrantes flores estreladas deste popular arbusto estão em todos os lugares. Esta planta ornamental, frequentemente utilizada no paisagismo de áreas externas, em empreendimentos comerciais, condomínios residenciais, e até mesmo em canteiros nas calçadas, é popularmente conhecida como ixória, icsória ou ixora. Seu nome científico é Ixora coccinea. Ainda que seja uma clássica planta de ruas e jardins, a ixora pode ser cultivada em vasos, dentro de casas e apartamentos, desde que receba bastante luminosidade.



Outro local ao qual a ixora se adapta muito bem, principalmente a mini ixora, é a sacada do apartamento, desde que esta seja bem ensolarada. A Ixora coccinea também vai muito bem em jardineiras, localizadas na parte externa das janelas de casas e apartamentos. No entanto, é preciso escolher a variedade com cuidado, já que há espécimes capazes de ultrapassar os dois metros de altura. O ideal é adquirir as formas mais compactas, para estes locais de cultivo, como a ixora anã. Esta versão também é perfeita para ser cultivada em interiores, plantada em vasos menores.

Os diferentes tipos de ixora pertencem à família botânica Rubiaceae, a mesma da gardênia e serissa. As ixoras são plantas originárias do continente asiático, sendo que a espécie Ixora coccinea é nativamente encontrada em países como Índia, Bangladesh e Sri Lanka. Em países de língua inglesa, a ixora é popularmente conhecida como jungle flame ou flame of the woods, algo como a chama da selva, graças ao intenso colorido avermelhado ou alaranjado de suas flores, que, de fato, parecem incandescentes. Além destas cores, também podemos encontrar ixoras com flores amarelas ou rosadas. Um tom que eu acho particularmente bonito é este mostrado na foto de abertura, acima, que corresponde à variedade chamada de ixora coral.

É, no entanto, a ixora vermelha a correspondente à espécie tipo, já que o termo coccinea vem do latim, significando vermelho, escarlate, da mesma forma que a clássica Sophronitis coccinea, já apresentada aqui no blog.


Por ser um arbusto bastante resistente e aceitar podas frequentes, a ixora presta-se à composição de jardins mais formais, nos quais as plantas são usadas como bordaduras retangulares ou moldadas através da topiaria. No entanto, como esta é uma planta que floresce a partir das extremidades dos caules, as podas de formação irão diminuir a produção de flores. Caso o objetivo seja priorizá-las, convém evitar este tipo de poda, limitando-se a retirar galhos mais antigos, improdutivos.

A ixora aprecia temperaturas mais elevadas, visto que se trata de uma planta de origem tropical. Sendo assim, este arbusto não se dá bem em regiões onde ocorrem geadas, por exemplo. Em países de clima temperado, com invernos rigorosos, a ixora é protegida em estufas ou dentro de casa, durante esta estação.

Ainda que as flores da ixora possam surgir ao longo de todo o ano, é durante a primavera e verão que a planta atinge o apogeu de suas florações. Durante os meses mais frios do ano, o metabolismo da planta entra em um ritmo mais lento. Por este motivo, deve-se evitar fazer podas ou plantar estacas, neste período do ano.

É interessante salientar que as diferentes estruturas vegetais da ixora, caule, folhas, flores e frutos, não são tóxicas caso ingeridas acidentalmente por crianças ou animais de estimação. Claro que é sempre aconselhável evitar o consumo de plantas ornamentais, com exceção das PANCs, muito embora haja registros do uso da ixora como planta medicinal, em algumas culturas orientais.


A ixora é um arbusto de fácil cultivo. Aqui em São Paulo, é comum encontrarmos canteiros nas calçadas repletos destas plantas, nas mais diferentes cores, sem que qualquer esforço extra de manutenção seja realizado. Tanto nas ruas como em jardins, as ixoras meio que se viram bem, sem nossa intervenção.

No entanto, quanto a ixora anã é trazida para dentro de casa, ou colocada em vasos e jardineiras, em varandas, alguns cuidados devem ser tomados. Como existe uma quantidade limitada de solo, e a mini ixora geralmente não recebe a água da chuva, nestes locais, as regas precisam ser efetuadas com frequência. A ixora é uma planta que consome bastante água, mas não pode ficar com o substrato encharcado.

Por ser uma planta tropical, a ixora aprecia solos ricos em matéria orgânica, que apresentem um pH mais ácido. O substrato precisa ser fértil, rico em nutrientes, porém aerado e facilmente drenável, para evitar o acúmulo da água das regas. Estes substratos prontos, próprios para a jardinagem amadora, à base de terra vegetal adubada, são apropriados para o cultivo da ixora.

Para que a floração venha sempre abundante, é importante complementar a adubação com uma fórmula mais rica em fósforo, a letra P do NPK. Existem adubos próprios para o estímulo da floração, à venda em lojas especializadas. Por uma questão de praticidade, o cultivador pode optar por grânulos de liberação lenta, misturados ao substrato, no momento do plantio. Aqui no apartamento, costumo alternar fórmulas para manutenção e floração, semanalmente, utilizando metade da dose recomendada pelo fabricante.


Além da adubação, outro fator crucial para que a ixora floresça regularmente é a luminosidade. Idealmente, esta é uma planta para ser cultivada sob sol pleno, em áreas externas. Dentro de casas e apartamentos, é importante que ela receba o maior número de horas de sol possível. Janelas face norte são as ideais para o cultivo desta planta. Existem, ainda, algumas variedades de ixora que são mais propícias para o cultivo em ambientes internos, mais sombreados. Como é grande o número de híbridos de ixora, sempre existem alternativas para todos os ambientes de cultivo, com cores e tamanhos variados.

A propagação da ixora é bastante tranquila, realizada através do plantio de estacas. Pode-se aproveitar o material remanescente das podas para a produção de novas mudas. É importante que este procedimento seja feito no início da primavera, com o aumento das temperaturas, e o consequente metabolismo mais ativo da planta.

Sendo possível escolher entre ixoras vermelhas, amarelas, e até mesmo a ixora coral, considerando que podemos plantá-las na calçada, sob sol pleno, ou dentro de casa, em vasos, e tendo à disposição exemplares de diferentes tamanhos, grandes, compactos, ou ainda menores, como a mini ixora ou ixora anã, torna-se bastante difícil ficar indiferente a tanta beleza e versatilidade. Qualquer que seja o ambiente de cultivo, há sempre uma ixora ideal para abrilhantá-lo, com sua explosão de flores, capazes de ostentar um colorido quente e tropical, e que ainda apresentam o diferencial da atração de borboletas e beija-flores.