Sakura - A Flor da Cerejeira


Flor de Cerejeira
Flor de Cerejeira

Ao contrário do que se costuma imaginar, não existe uma espécie única da árvore frutífera popularmente conhecida como cerejeira. Vários representantes do gênero Prunus podem produzir cerejas, além de pêssegos, nectarinas, damascos e muitas outras frutas. Além disso, mesmo entre as cerejeiras, existem aquelas espécies que são cultivadas para produzir frutos comestíveis e outras que são desenvolvidas apenas com fins ornamentais.

É nesta última categoria que se encaixa a sakura (em japonês) ou a cherry blossom (em inglês), termos específicos para designar a magnífica flor da cerejeira ornamental. A espécie Prunus serrulata, originária da China, Japão e Coreia, é a mais cultivada para produzir as célebres florações vistas no paisagismo de bosques e jardins de vários países do mundo, principalmente no hemisfério norte.

No entanto, é no Japão que a flor de cerejeira tem seu lugar de destaque. Uma das flores nacionais do país, ao lado do crisântemo, a sakura vem sendo admirada e reverenciada há séculos. Ao longo deste período, foram desenvolvidos mais de 200 cultivares de cerejeiras ornamentais, incluindo espécies, híbridos e variedades.

A cerejeira é uma planta originária de países de clima temperado, apreciando o frio rigoroso do inverno. No final desta estação, na transição para a primavera, costumam ocorrer suas florações, que duram menos de duas semanas.

O hábito japonês de admirar a flor da cerejeira remonta ao período Nara da história do país, iniciado em 710 d.C. Este costume perdura até os dias atuais e é denominado hanami. Por todo o Japão, e em vários países do mundo, a época de floração das cerejeiras é celebrada por festejos que duram poucos dias. Manda a tradição que o desabrochar da sakura seja apreciado pelas famílias com um picnic sob as árvores. Aquele que tiver uma pétala de flor de cerejeira caída sobre sua cabeça terá sorte, diz a lenda.

O interessante é que a floração das cerejeiras não acontece concomitantemente em todas as províncias do Japão. A primeira sakura surge no extremo sul do país, nas ilhas de Okinawa, onde o clima é subtropical. A agência meteorológica japonesa vai fazendo a previsão, não só do tempo, mas também das florações, que vão avançando em direção ao norte, rumo às regiões mais frias. Desta forma, a população de cada cidade pode se organizar para o hanami. Assim, as flores de cerejeira vão levando seu espetáculo Japão acima, para Fukuoka, Kyoto, Tokyo, sequencialmente, até atingirem a ilha de Hokkaido, no extremo norte, a última região a ser contemplada com a beleza da sakura. É um acontecimento nacional.


Flor de Cerejeira
Flor de Cerejeira

Aqui no Brasil, a despeito da grande diferença climática, existem bosques de cerejeiras bem estabelecidas, principalmente nos estados do sul e sudeste do país. Nem todas as variedades trazidas pelos imigrantes japoneses adaptaram-se ao clima local. Até hoje, os diferentes cultivares sobreviventes precisam de cuidados especiais para que possam resistir ao calor e às pragas.

A maior coleção de cerejeiras em solo nacional encontra-se em São Paulo, mais precisamente no Parque do Carmo. São 1.500 árvores de três variedades da espécie Prunus serrulata, denominadas 'Ikiwari', 'Himalaya' e 'Okinawa'.

Assim como no Japão, aqui os brasileiros têm a oportunidade de apreciar a flor da cerejeira em datas específicas do ano, quando ocorrem diversos festivais inspirados no hanami. Em São Paulo, estes eventos costumam acontecer no início de agosto, quando a sakura encontra-se em seu ápice de floração. É um espetáculo imperdível.

Por durar tão pouco, a flor de cerejeira está associada à efemeridade da vida, na cultura japonesa. Ao mesmo tempo, a sakura simboliza o renascimento, por ressurgir todos os anos, anunciando a chegada da primavera.

No vídeo abaixo, uma reportagem da Ananda Apple para o Quadro Verde, mostrando os detalhes da floração das cerejeiras do Parque do Carmo, em 2017.