Entrevista com Leili Odete Campos Izumida


Leili Odete Campos Izumida
Leili Odete Campos Izumida

Nesta semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, nada mais justo do que reverenciar uma grande dama da orquidofilia brasileira, Leili Odete Campos Izumida, presidente da Sociedade Bandeirante de Orquídeas. Fundada em 1946, às vésperas de completar 70 anos de atividades ininterruptas, a SBO é uma das mais antigas e respeitadas associações orquidófilas do país.

Tive o prazer e o privilégio de acompanhar a Leili durante o planejamento e a montagem de algumas das tradicionais exposições da Sociedade Bandeirante, no Esporte Clube Banespa. Ela faz questão de cuidar pessoalmente de todos os detalhes, contando com a ajuda de uma equipe dedicada e comprometida. 

Uma grande apoiadora do trabalho deste pequeno blog, a presidente Leili gentilmente convidou-me a expor as fotos aqui publicadas em duas exposições da SBO, nos últimos anos. Durante os preparativos destes eventos, veio pessoalmente em casa, em três ocasiões diferentes, apenas para cuidar dos pormenores de cada mostra fotográfica. Por todo este apoio e carinho, sou eternamente grato à Leili, que ouso considerar uma pessoa da família. Vamos à entrevista?

O.A. Quando e de que forma as orquídeas passaram a fazer parte da sua vida?

L.O.C.I. Quando advogava, costumava ganhar muitas orquídeas dos clientes. Claro que elas não sobreviviam em minhas mãos. Assim, comecei a pesquisar para aprender a cultivar essas maravilhas da natureza. A primeira coisa que aprendi foi eliminar o pratinho de água sob a planta (risos). Li revistas sobre o assunto e pesquisei bastante. Comprei livros, principalmente estrangeiros, dada a escassez de material nacional, à época. Aprendi um pouco e me viciei muito. Me transformei em uma incurável  amante das orquídeas. Estávamos entrando no século XXI.

O.A. Quais os pontos positivos e negativos de estar há tantos anos à frente de uma tradicional sociedade orquidófila?

L.O.C.I. Conduzir uma sociedade orquidófila demanda muito trabalho. São vários aspectos que exigem atenção. Nossas reuniões são semanais. Precisamos providenciar palestrantes, pois os sócios querem aprender cada vez mais. A Sociedade Bandeirante de Orquídeas participa de todas as exposições que as sociedades parceiras promovem. Desse modo, é preciso levar as plantas à cidade, onde está acontecendo o evento. Cabe à presidência coordenar, ou até mesmo levar as plantas, montar o estande e trazer tudo de volta.

Além disso, a Sociedade promove sua própria exposição, atividade essa que ocupa alguns meses do ano. O trabalho, de um modo geral, é grande, mas contamos com a atuação dos sócios. Sem eles, seria impossível realizar todos os objetivos da SBO. Em contrapartida, é um prazer sem tamanho ver as orquídeas de nossos companheiros de sociedade fazendo bonito, nos pódio das exposições.

O.A. Durante esta longa e bem sucedida trajetória à frente da SBO, quais foram os momentos marcantes?

L.O.C.I. Para mim, o ponto mais relevante, da minha vida de orquidófila, foi acompanhar a evolução da Sociedade Bandeirante em suas exposições e vê-la partir de pequenos e obscuros eventos a uma exposição concorrida em todos os aspectos.

O.A. Que benefícios o cultivador obtém ao participar de uma associação orquidófila?

L.O.C.I. Tenho observado o quanto é salutar frequentar uma entidade de orquidófilos. O ambiente é de muita camaradagem: há um poderoso objetivo que une o grupo, qual seja, a divulgação da orquidofilia. Os conhecimentos são divididos, amigavelmente, entre os sócios. Nada como a prática! Na Sociedade Bandeirante, temos sócios com 30, 40 anos de vivência orquidófila. Todos prontos para compartilhar suas experiências.

O.A. Como contornar as principais dificuldades enfrentadas pelo cultivador iniciante?

L.O.C.I. Esse é o principal motivo para o iniciante estar ligado a uma entidade. Aprenderá muito, com toda certeza, ganhará preciosas amizades - fato que todos orquidófilos ressaltam - e caminhará com menos tropeços pelos caminhos da orquidofilia.

O.A. Deixo aqui registrada a minha profunda gratidão à Dra. Leili Odete Campos Izumida, pela generosidade em compartilhar sua experiência e trajetória com nossos leitores. Tem sido um prazer e um privilégio contar com a sua amizade e apoio, ao longo destes anos. Muito obrigado!