Entrevista com Mauro Rosim


Orquídea Cattleya labiata f. purpureo-lineata
Cattleya labiata f. purpureo-lineata

Se você gosta de orquídeas e costuma navegar pela net à procura delas, com certeza já viu várias fotos das plantas dele. Agora, se você gosta mesmo de orquídeas, provavelmente é como eu e minha amiga Carol Costa, fãs de carteirinha dele. Estou falando de Mauro Rosim, paulista de nascimento, formado em Economia pela USP, orquidófilo e diretor técnico da SOSA - Associação Orquidófila de Santo André. Acostumado a sambar na cara da humanidade com suas orquídeas raras e espetaculares, o Mauro gentilmente encontrou tempo para conceder esta entrevista exclusiva ao blog.

O.A. Quantas são as suas orquídeas e onde as cultiva?
M.R. Estou envolvido com orquídeas há 30 anos, então minha coleção é razoável, mas não tão grande quanto a de muitos amigos. Comecei a cultivar orquídeas no ano de 1982, por conta de uma Cattleya intermedia que ganhei de um amigo. De lá para cá, já cultivei no quintal da casa da sogra, depois no apartamento (cheguei a ter umas 200 plantas na varanda por uns bons anos!) e atualmente cultivo minhas plantas na região de Itatiba. Minha coleção tem por volta de 1.500 plantas, centrada nas Cattleyas e Laelias, mas tenho tentado diminuir para poder cuidar melhor.

Mauro Rosim
Mauro Rosim

O.A. Na sua opinião, qual o fator mais importante para um cultivo bem sucedido?
M.R. Indubitavelmente, saber escolher. Descobrir o que vai bem e o que não vai bem em seu orquidário e montar sua coleção com base nisso. Depois das boas escolhas, o fator mais importante, essencial mesmo, num bom cultivo, é o controle da água. O resto vem por acréscimo.

O.A. Como é feita a sua adubação? E o controle de pragas?
M.R. A maioria absoluta das minhas plantas é adubada com o adubo da AOSP, portanto é uma adubação orgânica. Três a quatro vezes por ano, uma quantidade proporcional ao tamanho da planta e do vaso. Já para as poucas vandaceas que cultivo, a adubação é química (Peters), pesada, duas vezes por semana. O ideal seria todo dia, mas a rotina diária não me permite.

Das pragas ninguém se livra, infelizmente! Procuro utilizar uma combinação de métodos naturais e pouco agressivos com tratamento químico, quando necessário. Nesse sentido, utilizo plantas carnívoras, papel-colante, ácido pirolenhoso (vinagre de madeira), óleo de neem e coisas do gênero para um tratamento mais preventivo e quando não há alternativa lanço mão do tratamento químico, na maioria das vezes feito de forma individualizada, planta por planta.

O.A. Existe um gênero ou espécie preferidos em sua coleção?
M.R. Esta pergunta é interessante porque o orquidófilo verdadeiramente apaixonado pelas orquídeas gosta de todas elas, não importando muito estas divisões por gênero, ou espécies. Então, na minha coleção eu gosto de todas e todas são minhas preferidas. Porém, se eu tivesse que escolher, seria a aliança Cattleya-Laelia.

O.A. Além do cultivo propriamente dito, de que outras atividades ligadas à orquidofilia você participa?
M.R. Venho exercendo nos últimos 6 anos a Diretoria Técnica da SOSA - Associação Orquidófila de Santo André, cujas reuniões acontecem todas as terças-feiras, às 20h. Tenho artigos publicados na AOS Magazine, revista da American Orchid Society, na Brasil Orquídeas e em revistas especializadas em orquídeas da Europa. Tenho um álbum de fotografias de orquídeas no Flickr cujo link é: http://www.flickr.com/photos/rosim. Também participo de alguns fóruns de discussão.

O.A. Esta foi uma das poucas ocasiões em que aprendi tanto em tão pouco tempo. Muito obrigado pela entrevista e pela disponibilidade em compartilhar um pouco do seu vasto conhecimento sobre o assunto!

24 comentários:

  1. Sergio, obrigado por compartilhar a entrevista, diz para p Mauro que quero a planta que está no avatar dele. abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elisabete, imagine, eu é que agradeço pela visita e pelo comentário! Pode deixar que eu dou o recado, eheheh! Um grande abraço!

      Excluir
  2. Sergio querido, parabéns foi fantastica esta entrevista. Adorei. Já deveria ter feito isso mas.... então vou fazer agora. Adorei as amostras do adubo que vc me mandou. Minhas meninas gostaram mto e responderam bem. Brigaduuuuuuuuu.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana, que bom que gostou, muito obrigado! Esta entrevista eu devo ao Mauro, ele foi muito gentil e prestativo. Quanto ao adubo, acho que você me confundiu com outra pessoa... Não fui eu que enviei as amostras, mas fico feliz que as meninas tenham gostado! Abraços!

      Excluir
  3. não tem nem o q falar sobre sua veia jornalistica né, pois afinal... corre no sangue mesmo ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe, imagine, muito obrigado, Lilize! Será mesmo? Eu sempre fui a exceção na família... Você sim, tenho certeza que herdou o dom! Bjos!

      Excluir
  4. Prezado Sérgio, boa tarde. Parabéns pela excelente matéria. Espero que eu consiga alcançar este nível de concisão, clareza e conteúdo no meu site, que pretendo colocar no ar até julho.

    O Mauro foi um grande (e paciente) mestre meu. Aprendi muito com ele através dos seus ricos e detalhados emails sobre adubação e pH. Infelizmente não o conheço pessoalmente, mas admiro-o como um dos melhores cultivadores que já conheci.

    Um abraço para você e também para o Mauro.

    Sérgio Leite
    São Paulo/SP
    sergioleite.natureza@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio, boa tarde! Que ótimo receber sua mensagem! Imagine, muito obrigado pela sua visita e pelas gentis palavras. Também aprendo bastante com os ensinamentos do Mauro e sou bastante grato a ele por compartilhá-los.

      Boa sorte para o seu novo site, torço para que eu possa conhecê-lo em breve.

      Um grande abraço!

      Excluir
  5. gostaria de saber como cultivar orquídea olho de boneca?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? As orquídeas olho de boneca, híbridos de Dendrobium nobile, podem ser cultivadas em substrato mix para orquídeas, contendo casca de pinus e carvão vegetal. Elas gostam de bastante luminosidade. No inverno, precisam receber menos água para florescerem. Você encontra mais informações no portal www.minhasplantas.com.br.

      Muito obrigado pela visita e um grande abraço!

      Excluir
  6. Ola, adorei a reportagem dei uma olhadinha nas fotos no flickr são lindas, ha se por acaso o Mauro se desfazer de alguma para diminuir a coleção estou aqui heimm....,
    Parabéns!!! pela dedicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Fico muito feliz em saber que gostou da entrevista! De fato, as fotos do Mauro são um espetáculo. Muito obrigado pela visita e apoio!

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Gostaria de saber em qual região se tem mais orquídeas, pois minha mãe quer muito ir conhecer um lugar assim ... Se alguem souber me respondam. Obrigado :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Infelizmente, hoje em dia é cada vez mais difícil encontrarmos orquídeas na natureza. Ainda assim, elas ocorrem por todas as regiões do país, distribuídas de acordo com as preferências de cada espécie.

      Eu não saberia indicar um local específico, mas acredito que sejam áreas de difícil acesso. Peço desculpas por não poder ajudar!

      Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  8. Parabéns pela entrevista e pelas perguntas objetivas e esclarecedoras.

    Grato
    Erdine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Erdine, tudo bem? Que ótimo saber que gostou da entrevista! Muito obrigado pela visita e pelo incentivo!

      Um grande abraço!

      Excluir
  9. minhas orquidias estao ficando com umas manchas secas no meio das folhas e envolta com manchas presta o q fazer.Tem algumas q esta secando das pontas para o tronco.O que devo fazer para isso acabar,sou iniciante na paixao por oquidias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Poxa, que pena. A melhor coisa a fazer é tirar umas fotos das suas orquídeas e pedir a opinião de especialistas. Existem fóruns especializados, grupos no Facebook, sites, onde você pode mostrar as fotos e tirar dúvidas.

      Outra alternativa é levar uma folha para um engenheiro agrônomo, que indicará o melhor procedimento a adotar. Boa sorte!

      Um grande abraço!

      Excluir
  10. Olá! Sou fã de orquideas tanto que possuo umas 30 de flores pequenas e algumas mini.Aonde consigo instruções quanto ao cuidado/cultivo.
    Qual a espécie que mais se adapta nos troncos de Samambaias plantadas?
    Resido em Curitiba que é clima muito frio no inverno.
    Agradeço a informação.
    wadikazelinski7@gmail.com.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem? Que legal, parabéns pelas suas orquídeas. Um bom local para obter informações sobre o cultivo é na seção 'Entrevistas' aqui do blog. Vários especialistas dão dicas de cultivo. Infelizmente, não tenho experiência quanto ao plantio em troncos de samambaia. Por outro lado, várias orquídeas se beneficiam de um inverno frio para florescer bem, há vários gêneros que você pode cultivar, como Cymbidium e Dendrobium.

      Muito obrigado pela visita e um grande abraço!

      Excluir
  11. O Mauro é uma profissional espetacular, possui vasto conhecimento e está sempre disposto a ensinar. Tenho aprendido muito com ele nas nossas conversas, ele é bem detalhista, porém objetivo.

    Parabéns pela publicação Sergio.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michael, tudo bem? É verdade, concordo com você! Que ótimo saber que o conhece pessoalmente, deve ser um privilégio. Muito obrigado pela visita e pelo comentário!

      Um grande abraço!

      Excluir
  12. Ho letto l'intervista a Mauro Rosim adoro le stesse orchidee cattleye e laelie in po che parole hs dpigsto molto è un mito ciao.

    ResponderExcluir