Orquídeas no Gelo


Orquídea Potinara no gelo
Orquídea Potinara no gelo

A associação entre orquídeas e gelo é curiosamente recorrente, entre os cultivadores desta família botânica. Embora seja um mito, ainda é bastante comum ouvirmos o conselho para que reguemos as orquídeas com duas pedras de gelo, semanalmente. Trata-se de um método pouco eficiente de rega, incapaz de hidratar adequadamente todos os componentes do substrato. Mas a recomendação virou moda.

Outra dica bastante popular baseia-se em um truque para induzir a floração da orquídea Cymbidium, quando cultivada em regiões de clima quente. Alguns orquidófilos afirmam que, ao colocarmos pedras de gelo no vaso desta orquídea, simulamos a queda de temperatura do outono/inverno, necessária para a indução da floração do Cymbidium.

Há, no entanto, uma utilidade pouco conhecida do gelo na preservação de flores em geral. O artista floral Azuma Makoto, um dos mais célebres floristas japoneses, levou esta técnica ao estado da arte, enclausurando imensos arranjos florais em blocos de gelo completamente translúcidos, com mais de 2 metro de altura e cuidadosamente lapidados em forma de paralelepípedos gigantes.

Fascinado por este exercício estético, venho tentando reproduzi-lo, em menor escala, incrustando flores de orquídeas em blocos de gelo. Muitos acham um pecado fazer isso com as coitadas, mas ressalto que espero o término da floração, para só então colher alguns exemplares para o congelamento.

O procedimento requer alguns cuidados, para não estourarmos recipientes frágeis ou caros, e para evitarmos blocos de gelo demasiadamente opacos. Alguns dos detalhes desta técnica foram descritos neste artigo.

Uma pequena coletânea dos resultados obtidos até o momento encontra-se no vídeo abaixo. Espero incrementar o acervo de orquídeas congeladas, no futuro!