Orquídeas: Joias raras


Orquídea Sophrolaelia Marriotiana
Sophrolaelia Marriotiana

Durante o Japão feudal, ostentar uma rara orquídea Neofinetia falcata era para poucos. Símbolo de coragem e bravura, esta pequena orquídea habitava montanhas inóspitas e de difícil acesso. Apenas os mais capacitados samurais eram capazes de coletá-la, motivo pelo qual esta planta é até hoje conhecida como orquídea samurai.

Na Inglaterra da Era Vitoriana, cuidar de orquídeas significava luxo e sofisticação. Raras no continente europeu, as orquídeas chegavam de navio, provenientes de exóticos e longínquos países tropicais, dentre eles o Brasil. Apenas os mais afortunados tinham o privilégio de cultivá-las, em sofisticadas estufas que simulavam o clima apropriado para tal.

Ainda nos dias de hoje, as orquídeas, raras ou não, carregam consigo esta aura de exclusividade e bom gosto. Neste sentido, chega a ser cliché compará-las a joias. Ainda assim, trata-se de uma analogia irresistível e extremamente apropriada. A Sophrolaelia Marriotiana da foto acima, por exemplo, parece uma pequena e ordinária florzinha laranja, quando vista ao vivo. Possui o tamanho aproximado de uma moeda de um euro (para ficar mais chic). No entanto, quando observada de perto, principalmente em uma macrofotografia, a beleza de seus detalhes fica evidenciada.

Esta mini-orquídea laranja encontra-se florida no momento aqui no apartamento e apareceu bem de relance no vídeo da sacada onde cultivo as orquídeas. Inspirado por esta pequena joia rara, fiz uma coletânea das fotos de orquídeas que tirei em companhia das joias da minha mãe. É uma retrospectiva de imagens já apresentadas aqui no blog. Espero que gostem: Orquídeas e Joias.