A volta da orquídea Golden Chain


Micro-orquídea Dendrochilum filiforme
Dendrochilum filiforme

Após um ano de ausência, eis que ressurge esta curiosa orquídea da corrente dourada, the golden chain orchid. Há dois anos, ela florescia pela primeira vez no apartamento, envolta em um clima de mistério e perplexidade. Este Dendrochilum filiforme pode ser enquadrado naquele populoso grupo de plantas que nem parecem orquídeas.

A floração desta delicada micro-orquídea ocorreu no início do ano, mas somente hoje tive a oportunidade de apresentá-la apropriadamente, comme il faut. No ano passado, uma série de infortúnios quase ceifou a vida desta planta. Atacada por pragas até hoje não identificadas, foi perdendo as folhas e enrugando os pseudobulbos. No final do ano, após uma recuperação milagrosa, surpreendeu-me com duas hastes florais simultâneas, fato inédito por aqui.

Ressalto que espécimes bem cultivados desta orquídea exibem dezenas de hastes ao redor da planta, um espetáculo digno de exposição e premiação. Ao que tudo indica, estou bem longe de alcançar este patamar. Ainda assim, fico maravilhado e agradecido por cada ocasião em que esta orquídea floresce sob meus cuidados.

Costumamos descrever as orquídeas como joias da natureza, mas esta faz jus à comparação, com mérito e louvor. Não parece, mas cada minúscula conta amarela desta corrente é uma flor de orquídea completa, com pétalas, sépalas e labelo. Dispostas simetricamente em pares, voltadas para lados opostos, estas flores podem chegar a uma centena por haste. Como se não bastasse toda sua beleza e delicadeza, esta corrente dourada ainda faz pequenas torções ao longo do comprimento, lembrando a estrutura em dupla hélice do DNA.

Apesar de bastante duráveis, as flores desta orquídea sempre me causam um aperto no coração, quando começam a fenecer. A princípio escurecem, depois secam e começam a cair, de cima para baixo, a partir das mais antigas. Para mim, este processo deixa a mensagem de quão bela, delicada e preciosa é a vida, apesar de tão efêmera. E exorta-me a tentar vivê-la da melhor forma possível, plenamente, enquanto ainda estiver por aqui.