Como comprar orquídeas sem flores


Phragmipedium Sedenii
Phragmipedium Sedenii

Esta orquídea da foto em destaque, Phragmipedium Sedenii, além de velha conhecida de vocês, foi uma das primeiras que adquiri, no começo da 'carreira'. Eu a procurava há bastante tempo, quando finalmente encontrei uma muda à venda no site de um orquidário. Comprei a orquídea pela internet. Recebi uma muda menor que a palma de uma mão pequena, com três folhas raquíticas, uma delas comida por uma lesma ou caramujo. Fico com raiva só de lembrar.


Claro que a coitada não resistiu. Muito tempo depois, encontrei esta mesma orquídea à venda em uma exposição. Além de ter o triplo do tamanho da primeira muda, estava florida. Neste dia, aprendi bastante sobre os cuidados a serem tomados no momento da compra de uma orquídea. Algumas destas dicas, tomo a liberdade de dividir com vocês. Não são regras nem ensinamentos, apenas sugestões que podem ajudá-los a fazer melhores aquisições.


1. Orquídeas sempre identificadas


O primeiro e mais importante passo na hora de comprar uma orquídea é certificar-se de que a mesma possua identificação, com nome e sobrenome. Este cuidado torna-se ainda mais necessário quando a muda que vamos adquirir não está florida. No caso de orquídeas híbridas, provenientes de cruzamentos complexos, é quase impossível saber sua identidade sem que o produtor a forneça. Mesmo observando a flor, esta tarefa é complicada.


2. Comprando orquídeas sem flores


É bastante comum encontrarmos as orquídeas mais populares à venda em supermercados, feiras e floriculturas. Geralmente, são híbridos de Phalaenopsis, Dendrobium, Cymbidium, entre outros. Nestas ocasiões, via de regra, as orquídeas estão floridas. No entanto, quando visitamos exposições ou orquidários, é mais difícil achar aquelas orquídeas especiais, mais raras, com flor. Usualmente, há uma planta florida, a título de amostra, e várias mudas sem flor à venda.

Neste momento, é importante ficarmos atentos e averiguarmos se a muda corresponde à orquídea que realmente desejamos adquirir. Já comprei duas mudas de orquídeas diferentes, cada uma com sua devida identificação e, anos depois, quando finalmente floresceram, descobri que se tratavam da mesma planta. Pensem no meu desgosto.


3. Tamanho das mudas de orquídeas


Por falar em desgosto, outro ponto importante a ser observado é quanto à idade da muda que vamos levar para casa. O vendedor precisa especificar o tamanho da planta, que se traduz em uma estimativa de quando a orquídea estará apta a florescer. Evidentemente, quanto maior a planta, mais próxima da idade adulta ela estará. Também é importante estar familiarizado com o porte da espécie a ser adquirida. Muitas pessoas ficam revoltadas com compras, principalmente pela internet, após receberem mudas minúsculas, sem de fato estarem a par do tamanho original da orquídea.

Outro aspecto que costumo verificar é quanto à presença de espatas ou vestígios de florações anteriores. Neste caso, a compra é mais vantajosa, já que a orquídea é adulta. Como sou esganado, também fico de olho em quantas frentes (novas brotações) a planta possui. Obviamente, quanto mais, melhor. Constatar que a orquídea está emitindo pseudobulbos maiores em relação aos anteriores também garante boas compras.


4. Comprando orquídeas saudáveis


Na hora de escolher orquídeas para comprar, é sempre bom estar atento ao estado fitossanitário da planta. Observar se há manchas nas folhas ou vestígios de pragas. Já comprei orquídeas infestadas por ácaros, outras com lesmas escondidas no substrato. Caramujos também são bastante frequentes e podem infestar as outras plantas da coleção. Neste sentido, convém manter as orquídeas recém adquiridas em um local separado das demais, sob quarentena.

Algumas orquídeas podem vir com manchas que são resquícios de produtos aplicados à planta, tais como defensivos ou fertilizantes. Neste caso, não há com o que se preocupar. Também é bom verificar se a orquídea está bem enraizada, quer seja no vaso ou na madeira, tronco, etc. Orquídeas coletadas ilegalmente da natureza costumam vir soltas, já que não tiveram tempo para se enraizar no substrato. A aparência destas plantas também é típica, geralmente estão mais judiadas por ficarem expostas às intempéries, fungos, insetos, etc.


5. Ajuda de especialistas


Por fim, existem as dicas que eu não sou capaz de fornecer. Existem orquidófilos experientes que são capazes de olhar para uma jovem muda e, através de suas características vegetativas, prever como será sua floração quando adulta. Desta maneira, estes especialistas conseguem selecionar dez mudas, dentre centenas, que terão maior probabilidade de produzir flores de qualidade. Cada pequeno detalhe conta, como a cor da ponta de uma raiz ou a pigmentação de um broto. Coisas que estou a anos luz de dominar.