Dendrobium purpureum - O Retorno


Orquídea Dendrobium purpureum
Dendrobium purpureum

Neste começo de ano, várias orquídeas que estavam empacadas, sem florescer há anos, resolveram desencantar aqui no apartamento. Foi uma grata surpresa ver botões florais surgindo de plantas das quais eu já havia desistido há tempos. Uma destas orquídeas, que trago hoje para vocês, é o Dendrobium purpureum album.

Desde a primeira vez que vi uma foto desta orquídea na internet, fiquei fascinado e passei a procurá-la loucamente. Inúmeros pseudobulbos em forma de cana, totalmente ressecados e sem folhas, repletos de pequenos pompons brancos. Um espetáculo. Depois de muito tempo, consegui adquirir uma muda jovem. Achei que demoraria alguns anos para florescer mas, para meu espanto, produziu duas belas esferas repletas de minúsculas flores brancas, poucos meses após a compra.

Isto foi no início de 2012. Desde então, fiquei a ver navios. Apesar da ausência de flores, a orquídea continuou a crescer de forma acelerada, emitindo de dois a três novos pseudobulbos por ano. No começo de 2015, totalmente desesperançoso, observava minha mini floresta de troncos secos e prateados, quando avistei dois pontinhos verdes, escondidos em meio àquele cenário árido. Quase caí para trás, de tanta emoção.

Hoje, já mais desenvolvidos, tomei coragem para mostrá-los a vocês. Não vou torturá-los apresentando cada etapa da floração, como fiz anteriormente. Desta feita, mostrarei apenas os estágios mais interessantes, a começar pela imagem que sempre me impressionou: o surgimento da vida verdejante a partir de estruturas enrugadas e aparentemente sem vida, trazendo uma mensagem de esperança e renascimento.