Resultado do plantio de orquídeas


Mini-orquídea Sophrocattleya Batemaniana
Sophrocattleya Batemaniana

Oi, Pessoal, tudo bem? Hoje, escolhi uma foto bem bonita desta mini-orquídea vermelha para fazer um contraponto em relação ao resultado melancólico do meu experimento com as sementes de orquídeas. Vocês podem recapitular toda a história através deste artigo.

Resumidamente, após uma fecundação casual e meses de espera, finalmente consegui obter uma cápsula repleta de sementes de orquídeas, pela primeira vez aqui no orquidário. Seguindo um método caseiro, plantei estas sementes em frascos estéreis, contendo um meio de cultura próprio para sua germinação.

O começo foi animador, já que nenhum frasco apresentou sinais de contaminação, após uma semana de cultivo. Isto significa que o processo de esterilização foi bem sucedido. No entanto, a coisa parou por aí. Nada, absolutamente nada aconteceu, ao longo de dois longos meses de espera e ansiedade.

A expectativa foi tanta que cheguei a cogitar comprar um microscópio portátil, para ver melhor as sementes. Ainda bem que não o fiz. O fato é que, muito comumente, o desenvolvimento das sementes não se dá de forma satisfatória, gerando indivíduos estéreis. Confesso que já temia que algo neste sentido houvesse ocorrido, devido à coloração amarela/alaranjada da cápsula.

Quando tudo ocorre a contento, a germinação costuma acontecer em três a quatro semanas. Esperei dois meses, até vir a público relatar o fracasso deste experimento. A boa notícia é que já tenho outra cápsula de sementes em gestação. Desta vez, a polinização foi planejada, de modo que sei quem são os pais. Oportunamente, conto para vocês sobre mais esta tentativa de plantar orquídeas a partir de sementes. Até lá!