Como esculpir orquídeas com a luz


Micro-orquídea Sophronitis cernua
Sophronitis cernua

Quando comecei a cultivar orquídeas, li muitas recomendações de que não devíamos mudar as plantas de lugar. Algumas pessoas, inclusive, recomendavam que se marcasse a posição do vaso com caneta, para não alterá-la. A princípio, segui esta diretriz à risca. No entanto, o que obtive foram orquídeas deitadas, completamente tortas. 

Para os cultivadores de orquídeas em apartamento, o sol nunca está sobre nossas cabeças (zênite solar). Ele sempre incide pela lateral, fazendo com que as plantas cresçam voltadas para o horizonte. No artigo de hoje, vou dar algumas sugestões de como lidar com esta situação atípica.

Brotos de orquídeas


Para obtermos orquídeas mais bonitas, com os pseudobulbos eretos e bem organizados, devemos desobedecer completamente a regra de não mudar o vaso de posição. O segredo é ficar sempre atento e identificar o momento exato em que um novo broto começa a nascer. Neste estágio inicial, giramos o vaso de modo que o recém-nascido fique voltado para a direção diametralmente oposta à do sol. Caso mantenhamos o broto voltado para a luz, ele se desenvolverá na horizontal. Ao girarmos o vaso, forçamos o coitado a se levantar, já que ele sempre terá o fototropismo positivo (tendência de crescer em direção à luz).

Adotando este procedimento, a orquídea terá um crescimento vertical. Ao longo do desenvolvimento do pseudobulbo, precisamos continuar a monitorar e a girar o vaso, de modo que ele não se incline demasiadamente. Tenho realizado este procedimento há anos e, até o momento, não notei prejuízo à saúde ou floração das plantas.

Neste contexto, aqueles 'vasos pela metade', próprios para fixação na parede, não são muito apropriados para o cultivo de orquídeas em varandas de apartamento. São muito práticos e decorativos, mas não podem ser girados, o que acaba prejudicando a estética das plantas neles cultivadas.

Flores de orquídeas


No caso das flores, a situação é completamente diferente. Se ficarmos alterando a posição do vaso, as orquídeas produzirão uma floração toda desorganizada, com cada flor apontando para uma direção. Neste contexto, a varanda ou janela, de casa ou apartamento, são excelentes locais para direcionarmos o crescimento e floração de nossas orquídeas.

A grande vantagem destes locais é que se assemelham a uma caixa com uma única abertura. Sendo assim, a luz incide sempre na mesma direção, forçando os botões florais a orientarem-se de forma uniforme e ordenada. Para que tudo dê certo, é importante que o vaso não sofra rotação.

Apesar de tomar todos estes cuidados, dificilmente obtenho aquelas florações magníficas de orquídeas compradas na floricultura. Confesso que não sei o que os produtores fazem para obter hastes de Phalaenopsis adornadas por flores milimetricamente dispostas, todas voltadas para a mesma direção. É bem verdade que, no caso de orquídeas dos gêneros Cattleya, Laelia e seus híbridos, os orquidófilos costumam usar um cuidadoso método de tutoramento, com varetas e arames, para manter as flores harmoniosamente posicionadas e bem espaçadas. As Phalaenopsis também já vão sendo tutoradas à medida que suas hastes crescem.


Por fim, é importante salientar que nenhum destes procedimentos influencia diretamente na saúde das orquídeas. Não é porque elas crescem deitadas, tortas ou com as flores desorientadas, que elas serão menos saudáveis do que as demais. Inclusive, é assim que vivem na natureza, nos troncos das árvores. Ocorre apenas que pseudobulbos na vertical ocupam menos espaço. Adicionalmente estas dicas são para aqueles que, como eu, têm também uma preocupação com o lado estético desta fascinante ciência que é o cultivo de orquídeas.