Como comprar orquídeas pela internet


Mini-orquídea Sophrolaelia Orpetii
Sophrolaelia Orpetii

A maioria das orquídeas que possuo, incluindo a beldade pink da foto, foi adquirida através da internet. Nem sempre foi um processo tranquilo e agradável. Já recebi ótimos exemplares, mas também já tive muita dor de cabeça. Em algumas ocasiões, não recebi as plantas pelas quais já havia pago, e fui obrigado a acionar mecanismos legais para reaver o valor investido. Também já recebi plantas que somente alguém de má fé se atreveria a vender. O processo é arriscado por natureza, já que depende da confiança mútua entre vendedor e comprador. A seguir, dou cinco dicas básicas para que você possa se proteger na hora de comprar orquídeas pela internet.

1. Pesquisa


Comprar pela internet parece mágica. Você aperta uns botões e a mercadoria aparece na porta da sua casa. Toda esta praticidade também tem o seu o lado negativo. Compramos mais por impulso e deixamos de tomar certas precauções. 

A pesquisa, embora enfadonha, é a arma mais eficaz para nos proteger de uma compra mal sucedida. Eu consulto bastante o site Reclame Aqui. Basta digitar o nome do vendedor ou do orquidário e podemos verificar se há consumidores insatisfeitos com o potencial fornecedor. 

As redes sociais também são excelentes aliadas nesta tarefa. Participar de grupos de discussão ajuda muito a conhecer os bons e maus vendedores, já que as informações e experiências dos usuários são compartilhadas. Existem grupos específicos destinados à troca, compra e venda de orquídeas. Aos poucos, e naturalmente, você vai tendo uma percepção de quem são os vendedores mais confiáveis.

Outro meio virtual que oferece importantes ferramentas de pesquisa é o Mercado Livre. Vários produtores de orquídeas vendem através deste canal. O interessante é que, a cada compra, o usuário avalia o vendedor, deixando suas impressões sobre o procedimento. Também é possível visualizar a reputação global de todos os negociantes, o que aumenta a segurança na hora de comprar.

Por fim, como uma recomendação geral, aconselho a adquirir orquídeas de grandes orquidários, cuja reputação seja bem estabelecida. Caso o estabelecimento tenha uma loja virtual, site com domínio próprio e serviço de atendimento ao consumidor, a compra tende a ser mais tranquila.

2. Condições de venda


A venda de orquídeas pela internet possui suas peculiaridades. Diferente de comprar um celular ou perfume, situação em que você sabe exatamente o que vai receber, a compra de uma orquídea envolve o imponderável. Você entra no site, vê fotos de belíssimas orquídeas floridas, escolhe, paga e recebe em casa um fiapo de planta envolto em papel, sem vaso, sem flores e com as raízes nuas. Sabe-se lá quando e como você verá aquela flor pela qual se apaixonou ao ver sua foto na internet.

Neste sentido, somos obrigados a confiar cegamente no vendedor. Ele decide qual o tamanho da muda que enviará, as condições fitossanitárias da planta, a veracidade de sua identidade. É muito comum ouvirmos relatos de pessoas que compraram a orquídea X e, muitos anos depois, quando finalmente a donzela floresceu, perceberam que se tratava de Y. 

Como costumam dizer, o combinado não sai caro. Se comprarmos já sabendo que vamos receber uma mudinha, que demorará anos para florescer, tudo bem. Mas isso tudo tem que estar explicado no site. É bom aprendermos a nomenclatura que costumam adotar para descrever o tamanho das plantas (geralmente em siglas indecifráveis, como o tamanho do vaso, em polegadas, BS (blooming size - tamanho apto a florescer), NBS (near blooming size - tamanho a florescer em um ano), e assim vai. Vale a pena perder um tempinho lendo todas estas informações, quando disponibilizadas pelo orquidário.

3. Pagamento


Eu, sempre que possível, opto por meios de pagamento que forneçam a possibilidade de ressarcimento em caso de problemas na compra. Caso você pague com uma transferência bancária eletrônica ou depósito direto na conta do vendedor, terá mais dificuldade em reaver os valores pagos, em caso de irregularidades. 

Por outro lado, se utilizar meios de pagamento como o PagSeguro ou PayPal, terá a possibilidade de abrir uma disputa e bloquear o pagamento, caso não tenha recebido a mercadoria ou tenha ficado insatisfeito com o produto. O uso do cartão de crédito também dá um pouco mais de garantias de ter seu dinheiro de volta, em caso de problemas com o vendedor. Eu já fui ressarcido em ocasiões em que utilizei estas duas modalidades de pagamento online e recomendo.

Outro conselho chatinho, mas que ajuda bastante, é ler a política de trocas e devoluções do orquidário. Caso você não concorde com as condições, já evita muita dor de cabeça optando por outro fornecedor. Transações com pessoas físicas e amadores não têm estas condições previamente definidas, o que dá margem a muito desentendimento e insatisfação.

4. Transporte


Poucos sabem, mas existe uma norma interna dos Correios que proíbe o transporte de seres vivos pela companhia, o que inclui plantas. Não entendo bem como funciona a aplicabilidade desta regra na prática, já que todas as orquídeas que comprei pela internet chegaram através de PAC ou Sedex. Dependendo da distância do orquidário de origem, não recomendo o PAC, uma vez que as plantas podem chegar bastante debilitadas, devido ao transporte mais demorado.

Cada vez mais, os orquidários estão optando por enviar suas plantas através de transportadoras. O custo tende a ser maior, mas não tenho experiência quanto a este tipo de transporte. Para alguns fornecedores sérios e conceituados, este valor a mais simplesmente inviabilizou o envio de orquídeas vendidas pela internet. Ironicamente, tenho cada vez mais optado por comprá-las ao vivo, preferencialmente floridas, para ter certeza do que estou adquirindo. Meu coração já não aguenta tantas incertezas.

5. Reclamação


Se você compra um frasco de vinagre e o mesmo apresenta problemas, entre em contato com o SAC e imediatamente terá um substituto na porta da sua casa, com alguns brindes e um pedido de desculpas. No caso de orquídeas, infelizmente, isso não acontece. Talvez por serem empresas menores, os orquidários ainda não contam com um bom sistema de atendimento no pós venda. Acompanho com frequência a insatisfação de pessoas com certos vendedores de orquídeas e raramente vejo um caso solucionado de forma satisfatória.

Ainda assim, meu conselho é reclamar, sempre. Claro que o ideal é evitar maiores aborrecimentos tomando as precauções listadas neste artigo. A despeito dos riscos e problemas que possamos enfrentar, é sempre uma alegria única receber estas pequenas maravilhas na porta de casa, com toda a comodidade.