Uma micro-orquídea valente


Micro-orquídea Phymatidium delicatulum
Phymatidium delicatulum

Ganhei esta delicada micro-orquídea da orquidófila Elza Kurauchi, no início deste ano. Quando a recebi, estava aninhada em uma tampinha de desodorante e portava várias micro cápsulas de sementes. Fiquei tão encantado que logo publiquei uma foto deste presente especial.

Junto com a alegria do momento, fui tomado por uma grande apreensão. Afinal, já havia matado diversas outras micro-orquídeas aqui na árida varanda do 10º andar. Fazendo jus ao nome, a micro-orquídea Phymatidium delicatulum é conhecida pelo cultivo difícil, já que necessita de um local sombreado e com bastante umidade relativa do ar. A planta assemelha-se a um musgo, daqueles que costumam secar e morrer subitamente nas minhas mãos.

Como sou apaixonado por esta orquídea, e em consideração à grande amiga que ma presenteou, decidi encarar o desafio de ao menos tentar mantê-la viva. Fiz o plantio em um pequeno vaso plástico contendo sphagnum e argila expandida no fundo. O vaso, por sua vez, fica sobre uma bandeja contendo uma camada de argila expandida, encobrindo uma lâmina permanente de água. Ao contrário das demais orquídeas, jamais deixo que o sphagnum seque. Nos dias mais quentes e secos, borrifo água duas vezes ao dia sobre este vasinho.

Os meses se passaram e eu estava feliz da vida por notar que a orquídea continuava viva. Um fato que muito me alegrou foi observar minúsculas raízes nascendo das pequenas touceiras cabeludas. Uma vitória para um ex serial killer de micro-orquídeas. Como se não bastasse, há alguns dias fui xeretar o vaso e percebi duas belíssimas hastes florais em desenvolvimento. Na foto acima, estão ao redor do diamante. Várias outras parecem estar em formação. Não me contive de felicidade e vim correndo mostrar para vocês. Como de costume, prometo trazer fotos das flores em um futuro próximo, se tudo correr bem.