Sua orquídea tem seguro de vida?


Mini-orquídea Laelia Adrienne
Laelia Adrienne

Provavelmente, vocês já leram aqui no blog sobre a orquídea que vale ouro, a Cattleya walkeriana 'Feiticeira'. Nunca entendi como uma planta pode chegar a atingir valores tão exorbitantes, na casa dos milhares de reais. Também desconheço as razões que levam uma pessoa a pagar tanto por um ser tão frágil, frequentemente atacado por toda a sorte de pragas e infortúnios. 

No começo da minha paixão pelas orquídeas, fiquei fascinado pelo Paphiopedilum rothschildianum, considerado o rei dos sapatinhos. O pequeno detalhe é que ele estava sendo vendido por R$ 1.200,00. Algum tempo depois, encontrei uma pequena muda desta orquídea sendo oferecida por R$ 80,00. Não tive dúvida, comprei-a correndo, de olho no lucro exorbitante que teria dentro de alguns anos. Nem preciso dizer que meu ambicioso investimento foi para o vinagre, quando a pobre muda definhou até a morte, poucos meses após a compra.

Pois agora, todos estes desgostos e prejuízos já podem ser amenizados. Segundo informações do iG, a tradicional companhia seguradora Chubb, especializada em proteger o patrimônio de famílias abastadas, composto principalmente por joias, obras de arte e antiguidades, já aceita em seu portfólio itens bem menos convencionais. Além de segurar a maior coleção de arte brasileira, avaliada em 25 milhões de reais, a Chubb protege também nossos amigos clorofilados.

Fazem parte de seu portfólio um conjunto de palmeiras reais com mais de 200 anos de idade, plantadas em mansões de luxo. Além disso, uma raríssima coleção de orquídeas, valendo cerca de 330 mil reais, está sob a proteção desta seguradora. Não consigo imaginar as espécies que compõem esta valiosa coleção. Deve ser um sonho. Quanto a mim, se somar os valores de todas as 50 orquídeas que possuo, não chego ao preço de um quadro barato. Portanto, em caso de perda total, o melhor é arcar com o prejuízo e abafar o caso.