Orquídeas na Decoração


Mini-orquídea Sophrocattleya Batemaniana
Sophrocattleya Batemaniana

Fotografei este arranjo com a mini-orquídea Sc. Batemaniana há algum tempo, mas somente hoje resolvi desengavetar a foto. A princípio, achei um pouco fútil retratar uma orquídea como um mero objeto de decoração. Afinal, para o orquidófilo inveterado, esta flor é uma obra-prima da natureza, repleta de valor histórico e científico.

De fato. Mas pensando bem, percebo que passo várias horas do dia e muitos meses do ano regando, adubando, protegendo do sol, ventos e pragas. Quando a orquídea finalmente floresce, pouco invisto em valorizar toda a beleza e esplendor deste evento. Por exemplo, não costumo colocar tutores nas hastes florais, com medo de quebrá-las. Ficam todas meio tortas, capengas. Além disso, meus vasos costumam ser feios e baratos, de plástico preto.

Neste contexto, tenho pensado em dedicar-me um pouco mais ao aspecto decorativo das orquídeas que se dignam a florescer aqui em casa. Gosto de providenciar cachepots charmosos, como fiz de forma temporária com o Dendrochilum filiforme. Ou montar pequenos cenários, como nos casos da Sophrolaelia Jinn e do Oncidium ornithorhynchum. Também tenho simpatia por arranjos que remetem aos quadros de natureza morta, com o efeito chiaroscuro dos pintores renascentistas. Uma tentativa deste processo foi feita com a foto da Ornithophora radicans.

É bem verdade que nenhuma destas artimanhas se equipara ao espetáculo de uma orquídea florescendo em seu habitat natural, sobre árvores, pedras ou folhas secas. Mas como tentamos roubar um pouquinho desta beleza para guardar em nossas casas, nada mais justo do que tentar valorizá-la ao máximo.