Mini-orquídea salva por um triz


Botões florais da mini-orquídea Sophrocattleya Batemanina
Sophrocattleya Batemanina

Esta é uma mini-orquídea, Sc. Batemaniana, cuja floração eu aguardava há bastante tempo, com muita ansiedade. É uma clássica miniatura de Cattleya, híbrido resultante do cruzamento entre Cattleya intermedia e Sophronitis coccinea. Ocorreu que, sem saber, quase acabei com a possibilidade de ver esta orquídea florida, ao menos neste ano.

Há alguns meses, venho acompanhando o desenvolvimento do novo pseudobulbo desta orquídea. No entanto, reparei que a folha estava crescendo totalmente enrolada, já há bastante tempo. Aflito com o que eu julgava ser uma anomalia, tive a infeliz ideia de desenrolá-la à força. Quase provoco uma tragédia. Dentro da folha 'defeituosa', desenvolviam-se, tranquilos e escondidos, dois botões florais menores que um grão de arroz. Não havia espata que os protegesse. A natureza, infinitamente mais sábia do que eu, havia proporcionado um ambiente seguro para o crescimento destes botões. E eu, o brucutu, quase destruí tudo.
Para minha sorte, percebi a tempo a presença dos botões e evitei a completa abertura da folha. Além disso, mantive a estrutura 'de costas' para as correntes de vento e os raios do sol. Com isso, paulatinamente, os botões foram se desenvolvendo e a folha, naturalmente, concluiu seu lento desenrolar. Na foto acima, eles acabam de vir ao mundo, oficialmente, apreciando a luz do dia e já do tamanho de uma semente de pistache. Além do susto, o episódio transformou-se em um grande aprendizado. Por mais que a nossa pretensão nos faça imaginar o contrário, estas pequenas orquídeas sabem exatamente o que estão fazendo.